Tratado de Amizade e Comércio Sino-Português

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Tratado de Amizade e Comércio Sino-Português

Foi um tratado desigual assinado em 1 de dezembro de 1887 entre Portugal e a China,[1] com 54 artigos, entre o representante da China, Sun Xuwen, e o representante de Portugal, Tomás de Sousa Rosa,[2] confirmando a governação de Macau por Portugal.[2]

Assinatura[editar | editar código-fonte]

Em 13 de agosto de 1862 uma tentativa foi feita entre a China e Portugal para assinar o Tratado de Comércio de Tianjin, ao qual foi assinado. Se o tratado não fosse ratificado em 2 anos, se tornaria nulo. Em 1864, o tratado tornou-se nulo. Portugal só teve outra oportunidade de assinar o segundo tratado, até 26 de março de 1887,[1] com os chineses enfraquecidos pela Guerra do Ópio.[3] Um emissário foi enviado de Portugal para a China. O protocolo foi assinado por representantes dos dois países em 1 de dezembro de 1887.[1]

Interpretações[editar | editar código-fonte]

Na interpretação portuguesa, a soberania sobre Macau foi perpetuamente entregue a Portugal. Na interpretação chinesa, só os direitos administrativos foram transferidos.[4] Com a melhoria das relações entre a República Popular da China e Portugal no século XX, a questão do retorno de Macau à China foi agendada entre os dois países. Quando estes estabeleceram relações diplomáticas oficiais em 8 de fevereiro de 1979, os dois governos acordaram que Macau era parte integrante da China, embora provisoriamente sob administração portuguesa. A questão foi resolvida através de negociações, concluídas em abril de 1987, quando foi assinada a Declaração Conjunta Sino-Portuguesa sobre a Questão de Macau, que marcou a data da transferência de soberania para 20 de dezembro de 1999 e a transformação de Macau numa região administrativa especial chinesa, sob o princípio um país, dois sistemas.[2]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c Ride, May. Wordie, Jason. [1989] (1989). The voices of Macao stones. Hong Kong University Press. ISBN 9622094872, 9789622094871.
  2. a b c 澳門回歸賀禮陳列館 (asp) (em português) Handovermuseum.iacm.gov.mo. Visitado em 3 de outubro de 2009. Cópia arquivada em 19 de dezembro de 2012.
  3. Comparações culturais entre ex-colônias portuguesas (shtml) (em português) Revistaescola. Visitado em 3 de outubrode 2009. Cópia arquivada em 19 de dezembro de 2012.
  4. Page, Melvin Eugene. Sonnenburg, Penny M. [2003] (2003). Colonialism: an international, social, cultural, and political encyclopedia. ABC-CLIO publishing. ISBN 1576073351, 9781576073353. p 359.
Logo of the United Nations (B&W).svg   Este artigo é um esboço sobre um Tratado Internacional. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-a.