Tratado de Kanagawa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde dezembro de 2012).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

O Tratado de Kanagawa (神奈川条約) foi um tratado assinado entre o Comandante Matthew Perry da marinha estadunidense e o Japão no dia 31 de março de 1854. O tratado abriu os portos japoneses de Shimoda e Hakodate para o comércio estadunidense, garantindo a segurança dos marinheiros dos Estados Unidos, e estabeleceu um consulado permanente. Isso acabou definitivamente com a política de isolamento do Japão que durou por duzentos anos.

Perry, no comando de uma esquadra e ameaçando utilizar a força, inicialmente recusou negociar com os oficiais japoneses e exigiu falar com o imperador japonês. Nesta vez, o shogun Tokugawa Ieyoshi era de fato o homem das leis do Japão; para o imperador interagir em algum meio com estrangeiros era fora de questão. No final, Perry concluiu que era melhor tentar um tratado com representantes Xogun e não com o imperador.

O Tratado de Kanagawa foi assinado pelos Estados Unidos e pelo Japão, assim como o Tratado de Amizade e Comércio de 1858, o qual permitiu ao Japão o estabelecimento de concessões estrangeiras, extra-territorialidade para estrangeiros e diminuir as taxas de importação para bens estrangeiros.

Tratados similares foram negociados depois com os russos, os franceses e os britânicos.