Tratado de Nanquim

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Assinatura do Tratado de Nanquim.

O Tratado de Nanquim foi um tratado firmado entre a China da Dinastia Manchu e a Grã-Bretanha em agosto de 1842, que encerrou a primeira das chamadas Guerras do Ópio.

É considerado o primeiro dos "Tratados Desiguais" ou "Tratados Iníquos", assinados entre a China Qing, o Japão Tokugawa e a Coreia Chosun com as potências industrializadas ocidentais, entre meados do século XIX e o início do século XX.

O diploma continha doze artigos, entre os quais destacam-se:

  • Artigo 2º - Determinava a abertura de cinco cidades chinesas - Cantão, Fuzhou, Xiamen, Ningbo e Xangai - para a moradia de súditos britânicos, além da abertura de tratados nessas mesmas cartas.
  • Artigo 3º - A possessão de Hong Kong por tempo indeterminado pela rainha Vitória e seus sucessores.
  • Artigo 6º - Indenização pelos custos da guerra em um valor de 21 milhões de dólares.

Legado[editar | editar código-fonte]

As cláusulas do tratado foram analisadas por outras potências ocidentais, entre elas a França e os Estados Unidos. Estes últimos assinaram posteriormente o Tratado de Wanghia, seguindo o modelo britânico.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Wikisource
O Wikisource contém fontes primárias relacionadas com Tratado de Nanquim
Ícone de esboço Este artigo sobre História da China é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.