Tratado de Paris (1856)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
O Congresso de Paris, óleo de desconhecido, c. 1860, Museo nazionale del Risorgimento italiano, Turim.

O Tratado de Paris de 1856 foi o acordo de paz após a Guerra da Crimeia, que opôs, de 1853 a 1856, o Império Russo (derrotado) contra o Império Otomano, a França, a Inglaterra e o Reino da Sardenha.

O Congresso de Paris.

Foi assinado em 30 de março de 1856 no congresso de Paris, presidido pelo imperador francês Napoleão III, sendo garantidos os direitos do Império Otomano. A Rússia cedeu uma parte da Bessarábia (o sul) à Moldávia, neutralizando a sua posição no mar Negro. Cedeu também a embocadura do rio Danúbio para a Turquia e foi proibida de manter bases ou forças navais no mar Negro. O tratado estabelecia também a liberdade de navegação no Danúbio e assegurava uma administração à Moldávia.

Este conflito assegurou o prestígio europeu do Segundo Império Francês. Pelas querelas europeias, ele significou o fim da Santa Aliança e favoreceu as ações bélicas do Reino da Sardenha e do Reino da Prússia.

Ícone de esboço Este artigo sobre História ou um historiador é um esboço relacionado ao Projeto História. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.