Tridente

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde agosto de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Estátua de Posídon, em que vê-se um tridente em sua mão

Tridente, garfo ou forcado é uma arma branca antiga que se assemelha a uma lança,com 3 (três ) pontas que acabam por enfraquecer o poder penetrante da lança (quando não há a armadura), sendo aperfeiçoado para uso nas legiões romanas (durante o domínio romano da Grécia), com a transformação do terminal do cabo ou empunhadura numa lâmina ou agulha penetrante, semelhante à lança de arremesso (imprópria para a cavalaria).

Uso militar[editar | editar código-fonte]

Essa arma branca antiga era também muito usada na guerra, pela infantaria (a cavalaria não costumava usá-la) tanto na versão grega como na versão legionária romana, como também nos circos ou arenas romanas pelos gladiadores; juntamente com a sua lança (de arremesso) e o gládio; eram usadas também conjuntamente com as redes, escudos, maças de arremesso (conjunto de três cordas que partiam de um centro que as unia, com três esferas de pontas de metal nas extremidades), esses tinham como objetivo paralisar ou distrair a atenção do inimigo no combate, para espetá-lo com o tridente em pontos vitais, porém essa arma branca antiga não costumava matar, apenas imobilizava o oponente; para então, varar, atravessando a armadura, pois o gládio era a única arma que realmente trespassava a armadura de bronze naquele tempo.

Mitologias[editar | editar código-fonte]

Bandeira de Barbados.

Por vezes remetendo diretamente ao cetro mitológico de Netuno, o senhor dos mares de acordo com a mitologia romana (equivalente ao deus Poseidão, na grega), senhor guardião e protetor dos mares e súdito e paralisador de ânimo dos inimigos de Zeus ou Júpiter.

Além de Netuno, pode caracterizar ainda outros personagens mitológicos como os tritões, e entidades bíblicas como o próprio diabo ou demônios inferiores, que provocavam a desestabilização no olimpo, e admoestações de inimigos.

Ver também[editar | editar código-fonte]