Tucano-de-bico-preto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaRamphastos vitellinus
Ramphastos vitellinus no Parque de Aves de Matsue, em Shimane, no Japão

Ramphastos vitellinus no Parque de Aves de Matsue, em Shimane, no Japão
Estado de conservação
Status iucn3.1 EN pt.svg
Em perigo (IUCN 3.1) [1]
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Aves
Ordem: Piciformes
Família: Ramphastidae
Género: Ramphastos
Espécie: R. vitellinus
Nome binomial
Ramphastos vitellinus
Lichtenstein, 1823
Ramphastos vitellinus

Ramphastos vitellinus Ariel Vig., vulgarmente conhecido como tucano-de-bico-preto,[2] canjo (em Mato Grosso) e tucano-pacova, é uma ave da ordem Piciformes, da família Ramphastidae. Pode ser confundido com Ramphastos tucanus.

Descrição[editar | editar código-fonte]

Seu habitat são as florestas tropicais e pode ser encontrado em toda faixa litorânea que vai do Pará a Santa Catarina, no Brasil. Sua cor geral é preta, com a garganta e peito de cor amarelo gema de ovo e distingue-se dos demais tucanos, por possuir bico negro, mas na base apresenta uma zona amarela pálida. Pode medir cerca de 46 cm, tendo 12 cm de bico. Seus dedos são providos de unhas longas e curvas, as asas são curtas e a língua é comprida e fina.

A fêmea pode colocar 2 a 4 ovos e a incubação dura cerca de 18 dias. A fêmea incuba os ovos sozinha, sendo alimentada pelo macho durante o período. O tucano-de-bico-preto faz ninhos em cavidades nas árvores, a cerca de 10 metros acima do chão. Alimenta-se de frutos, insetos (inclusive cupins, no cupinzeiro e em revoada), aranhas e ovos e filhotes de outras aves.

Apesar do grande tamanho, seu bico é extremamente leve. Seu voo não é longo e é feito em linha sinuosa. Gosta de banhar-se na folhagem molhada pela chuva. Para dormir, eleva a cauda, com ela cobrindo a cabeça, a qual é mantida virada para as costas, mantendo o bico oculto. Vive em bandos de quatro a dez indivíduos. É, frequentemente, vítima de sua própria curiosidade, sendo facilmente atraído com assobios pelos traficantes de animais.

A preservação desta espécie é do maior interesse, pois estão entre os mais peculiares elementos da avifauna do Brasil. O Ramphastos vitellinus é considerado extinto no estado de São Paulo.

O tucano-de-bico-preto é considerado, pelo Clube de Observadores de Aves do Estado do Rio de Janeiro, a ave-símbolo do estado[3] .

Referências

  1. Ramphastos vitellinus IUCN Red List. Página visitada em 26 de novembro de 2012.
  2. FERREIRA, A. B. H. Novo Dicionário da Língua Portuguesa. Segunda edição. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986. p.1 724
  3. OLIVEIRA, Roberto Gonçalves. As Aves-Símbolos dos Estados Brasileiros. Porto Alegre: Editora AGE, 2003. Consultado em 21 dez. 2011.