Tufão Paka

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Tufão Paka
Tufão  (AMJ)
Categoria 5  (EFSS)
Paka 15 dec 1997 0429Z.jpg
O super tufão Paka em 15 de Dezembro de 1997
Formação: 28 de Novembro de 1997
Dissipação: 23 de Dezembro de 1997
Vento mais forte (1 min): 160 nós (296 km/h, 184 mph)
Vento mais forte (10 min): 100 nós (185 km/h, 115 mph)
Pressão mais baixa: 901 hPa (mbar) ou 676 mmHg
Danos: $580 milhões de dólares (valores em 1997)
Inflação: $745 milhões de dólares (valores corrigidos em 2007)
Fatalidades: Nenhuma
Áreas afetadas: Ilhas Marshall, Guam, Ilhas Marianas
Parte da
Temporada de tufões no Pacífico de 1997

O tufão Paka (designação internacional: 9728, designação do JTWC: 05C, designação filipina: Rubing[1] , também conhecido como super tufão Paka) foi o último ciclone tropical nas temporadas de furacões e tufões no Pacífico de 1997. Paka também é o ciclone tropical mais intenso já registrado no pacífico noroeste no mês de Dezembro.[2] Paka, que é um nome havaiano para Pat,[3] formou-se em 28 de Novembro de 1997 de um cavado a uma grande distância a sudeste do arquipélago do Havaí. A tempestade deslocou-se para oeste durante uma boa parte de seu período de existência e em 7 de Dezembro, o ciclone adentrou a bacia do Pacífico noroeste.[4] Uma boa parte de sua trajetória foi influenciada por flutuações em sua intensidade e em 10 de Novembro, o ciclone intensificou-se num tufão assim que passava sobre as Ilhas Marshall.[5] Em 16 de Novembro, Paka atingiu Guam e Rota com ventos de até 230 km/h e fortaleceu-se ainda mais, alcançando o pico de intensidade em 18 de dezembro, sobre águas abertas. Logo em seguida, Paka sofreu uma rápida tendência de enfraquecimento e dissipou-se em 23 de Dezembro.

O tufão Paka inicialmente afetou as Ilhas Marshall, onde causou chuvas fortes e $80 milhões de dólares em prejuízos (valores em 1997 - $100 milhões de dólares, corrigidos em 2007). Depois, paka passou logo ao norte de Guam,[5] onde ventos fortes destruíram cerca de 1.500 construções e danificou outras 10.000: 5.000 pessoas ficaram desabrigadas e a ilha experimentou a completa interrupção de eletricidade após a passagem do tufão. Os danos na ilha totalizaram $500 milhões de dólares (valores em 2007 - $645 milhões de dólares, valores corrigidos em 2007), que garantiram a retirada de seu nome. Paka também provocou leves danos nas Ilhas Marianas do Norte e no geral, o tufão não causou fatalidades.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Furacão Catrina Portal da
meteorologia

Referências

  1. The United Nations Task Force on El Niño, et. al (1999). The 1997-1998 El Niño Event: A Scientific and Technical Retrospect (em inglês) Organização Meteorológica Mundial. Visitado em 19-04-2007.
  2. Agência Meteorológica do Japão (2007). Best Track for Western North Pacific Tropical Cyclones (PDF) (em inglês). Visitado em 27-10-2007.
  3. Benjamin C. Hablutzel, Hans E. Rosendal, James C. Weyman, Jonathan D. Hoag (1997). The 1997 Central Pacific Tropical Cyclone Season (em inglês) Centro de Furacões do Pacífico Central. Visitado em 29-04-2007.
  4. Hurricane Research Division (2007). Eastern North Pacific Tracks File 1949-2007 (em inglês) NOAA. Visitado em 06-03-2006.
  5. a b Joint Typhoon Warning Center (1999). Super Typhoon Paka (05C) ATCR (em inglês). Visitado em 29-04-2007.
Ícone de esboço Este artigo sobre ciclones tropicais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.