Turismo cultural

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde dezembro de 2012).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Vietinã, Agosto de 1999.

É certo o que o conceito de cultura é extremamente amplo, entretanto quando falamos de Turismo cultural este obtém uma conotação restritiva. O termo Turismo Cultural designa uma modalidade de turismo cuja motivação do deslocamento se dá, segundo Andrade, com o objetivo de encontros artísticos, científicos, de formação e de informação.

O Turismo Cultural se caracteriza por uma permanência prolongada e um contato mais “intimo” com a comunidade, ocorrendo viagens menores e suplementares dentro da mesma localidade com o intuito de aprofundar-se na experiência cultural.

Segundo Andrade, os alicerces do turismo cultural:

“situam-se no esforço de conhecer, pesquisar e analisar dados, obras ou fatos,
em suas variadas manifestações.”

De acordo com Lise e Hélio Barroso (2008), o Turismo Cultural é motivado pela busca de informações, de novos conhecimentos, de interação com outras pessoas, comunidades e lugares, da curiosidade cultural, dos costumes, da tradição e da identidade cultural.

Torna-se interessante observar que este segmento turístico se constitui fundamentalmente pelo comportamento, preparação e foco do turista e não do patrimônio da localidade.

Turismo científico[editar | editar código-fonte]

Turismo de congresso[editar | editar código-fonte]

O Turismo de congresso é uma especial sub-dimensão o Turismo Cultural que se caracteriza por viagens cujo objetivo é reunir-se na tentativa de trocar experiências entre profissionais de uma mesma categoria.


Museu Oscar Niemeyer em Curitiba

Este segmento turístico cujos programas são voltados aos participantes interessados em entrar em contato com o “novo”. Possui como atividades a dança, a música, as festas culturais, o folclore, a culinária, pesquisa, expedições, exposições, pesquisa de campo etc.

É importante desmistificar este segmento, pois este muitas vezes é percebido de forma superficial designado com uma atividade de simples contato com a cultura do “outro”. É certo que a visita a uma localidade produz um contato cultural, entretanto este se dá geralmente de forma superficial e despreparada. Fundamental para a existência do Turismo Cultural, não é a visita a instituições culturais tais como museus e teatros e sim o esforço apontado por Andrade de conhecer, pesquisar e analisar os dados.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Andrade, José Vicente, Fundamentos e Dimensões do Turismo, Belo horizonte. Editora Ática, 8 ed, 1976.