Turismo no Rio Grande do Norte

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Natal, capital e maior cidade do estado, porta de entrada para o turismo no Rio Grande do Norte.
Ficheiro:Praça do Teatro Municipal Dix-Huit.jpg
Mossoró, segunda maior cidade do estado, é um destino cultural especialmente procurado.

O turismo no Rio Grande do Norte se tornou uma das principais atividades econômicas do estado e é a atividade que mais emprega, visto sua abundante riqueza de atrações naturais e por ser um estado nordestino e ter um clima tropical agradável. Ele é responsável também pelo principal papel que alavanca o desenvolvimento do estado, já ocupando o posto de segunda fonte de renda estadual (Receita estimada de US$ 216.131.752 em 2002, segundo dados da SETUR-RN) e de maior empregador da iniciativa própria.[1]

O Rio Grande do Norte, segundo pesquisas, é um estado altamente atrativo, tanto que em 91% dos turistas entrevistados, pretendem retornar ao estado em outra oportunidade. Em apenas cinco anos, o número de visitantes praticamente dobrou – saiu de 1.423.886 em 2002, para 2.096.322 em 2007.[2]

Como forma de interiorização do turismo, para que este não fique apenas concentrado em Natal e arredores, o governo do estado criou cinco pólos turisticos, cada um com temas turisticos definidos, (apesar de não ser restrito a). Pode se escolher entre:

Atrações turísticas[editar | editar código-fonte]

Praias[editar | editar código-fonte]

Dunas[editar | editar código-fonte]

Águas cristalinas[editar | editar código-fonte]

Lagoas[editar | editar código-fonte]

Monumentos históricos[editar | editar código-fonte]

Museus[editar | editar código-fonte]

Construções em geral[editar | editar código-fonte]

Parques[editar | editar código-fonte]

Picos[editar | editar código-fonte]

Serras[editar | editar código-fonte]

Outros[editar | editar código-fonte]

Festividades e Eventos[editar | editar código-fonte]

Cultura potiguar.

Carnaval[editar | editar código-fonte]

Micaretas[editar | editar código-fonte]

Festa junina[editar | editar código-fonte]

Festivais de música[editar | editar código-fonte]

Festa religiosa[editar | editar código-fonte]

Festivais gastronômicos[editar | editar código-fonte]

Outros[editar | editar código-fonte]

Trivia[editar | editar código-fonte]

O turismo cultural no estado, especialmente na capital é quase nulo. Existem várias opções de cultura, como os museus e prédios históricos, porem estes locais recebem poucas visitas de turistas. O próblema é que os guias de turismo e as agências de viagem não colocam os locais no roteiro de quem visita o estado, pois estes não recebem comissão e por isso só indicam os pontos de venda e visitação onde obtém lucros. Além disso, a falta de preservação, divulgação, infra-estrutura e segurança dos monumentos históricos e prédios é outro empecilho ao turismo cultural. Entretanto, para tentar inserir o Centro Histórico de Natal nos roteiros turísticos, a secretaria municipal de turismo mandou um projeto para a Unesco que foi aprovado no final do ano de 2008. No plano estão previstas todas as mudanças na área para que ela contemple as reivindicações das agências.[3] [4]

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre Rio Grande do Norte é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.