Turismo no Rio Grande do Sul

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Emblem-scales.svg
A neutralidade desse artigo (ou seção) foi questionada, conforme razões apontadas na página de discussão.
Justifique o uso dessa marca na página de discussão e tente torná-lo mais imparcial.

O Rio Grande do Sul é um estado com vastas opções de turismo. O estado recebe anualmente cerca de 2,0 milhões de turistas de fora do país.[carece de fontes?] As praias do litoral norte nas cidade de Capão da Canoa, Tramandaí e Torres são as mais conhecidas no estado, esta última apresentando falésias. São três pedras que ficam na beira do mar, sendo que uma delas avança mar a dentro em uma altura de 30 metros. As serras atraem milhares de turistas todos os anos, no inverno e verão. Na conhecida como "Pequena Itália", em que se localizam as cidades de Caxias do Sul, Bento Gonçalves e Garibaldi, pode-se encontrar as melhores vinícolas do Brasil. Ainda a oeste, se encontram as Missões Jesuíticas, na cidade de São Miguel das Missões e arredores. No Vale do Caí, região de colonização alemã, próximo a Porto Alegre, as cidades de Montenegro, São José do Hortêncio, Feliz, Salvador do Sul, Maratá, Bom Princípio.

A Secretaria do Turismo do Rio Grande do Sul é responsável pela políticas de turismo no Estado do Rio Grande do Sul.

Turismo Paleontológico[editar | editar código-fonte]

Geoparque Paleorrota.

O Rio Grande do Sul possui um grande potencial para o turismo paleontológico, com muitos sítios paleontológicos e museus, no geoparque da paleorrota. Há uma grande área no centro do estado que pertence ao triássico na Formação Santa Maria e Formação Caturrita, que datam em 230 milhões. Ali viveram rincossauros, exaeretodons, estauricossauro, guaibassauro, saturnalia tupiniquim, sacissauro, unayssauro, Tecodontes e muitos outros.

Turismo Internacional[editar | editar código-fonte]

No turismo internacional, o país que mais envia turistas para o Brasil é a Argentina, com mais de um milhão por ano. Estes turistas geralmente entram de automóvel pelo Rio Grande do Sul em direção as praias de Santa Catarina, percorrendo a Rodovia dos Dinossauros.

Serra Gaúcha[editar | editar código-fonte]

As cidades de Gramado e Canela são conhecidas na época de Natal pela decoração das cidades, juntamente com os parques natalinos. No inverno, os turistas visitam essas cidades juntamente com São José dos Ausentes e Cambará do Sul, devido às temperaturas baixas, freqüentemente negativas e com a possibilidade de queda de neve. Nas mesmas se encontram os cânions de Itaimbezinho e da Fortaleza, os quais são dos maiores do Brasil. Em Gramado acontece o Festival de Cinema.

Existem vários roteiros turísticos consolidados na região de colonização italiana, com uma variedade de opções que vão do turismo ecológico e esportivo ao gastronômico e histórico-cultural. A região é rica em edificações históricas dos imigrantes, tem uma culinária farta e saborosa, festas tradicionais como a Festa da Uva atraem multidões, e o cenário natural é acidentado e atraente, próprio para caminhadas e excursões ou mesmo esportes radicais.[1] [2]

Vale dos Vinhedos[editar | editar código-fonte]

Também nas serras do estado, em Bento Gonçalves e Garibaldi, se localizam a maior concentração de produtores de vinho do país. Mais ao sul, na região da Campanha, está situada a segunda mais importante área produtora. As vinícolas gaúchas são premiadas internacionalmente, em razão da alta qualidade de seus vinhos e espumantes.[carece de fontes?]

O estado é privilegiado pela sua condição geo-climática, estando situado no início da faixa entre os paralelos 30° e 50°, considerada ideal para a produção de uva vinífera. Isso lhe permite a produção de cepas nobres de uvas européias, como Merlot, Chardonnay e Cabernet Sauvignon, entre outras. A uva e o vinho gaúchos são produzidos sob as melhores técnicas disponíveis e condições tecnológicas avançadas, a exemplo das melhores regiões vinícolas da Europa.

Litoral[editar | editar código-fonte]

Ao Norte, o litoral do estado nasce em uma pequena faixa entre o mar e a serra, onde se encontra o maior cordão de lagos da América Latina. São cerca de 50 lagos, que se ligam através de rios e canais. No sul, encontra-se o maior complexo lacustre do mundo, constituído pela Lagoa dos Patos e Lagoa Mirim, as duas maiores do Brasil. Nesse ponto, passa a ser acompanhado por áreas de reservas naturais de preservação que vão até o extremo sul do Brasil, na cidade de Chuí. A costa é retilínea, com cerca de 622 km de extensão, constituindo uma das mais extensas e contínuas praias arenosas do mundo, na qual o visitante encontra rios, praias de água doce, mar aberto, dunas móveis e fixas, com mais de 10 metros de altura, lagos e serra.

Rota do Yucumã[editar | editar código-fonte]

Localizada no noroeste do estado, é conhecida pelo salto d'água homônimo.

Termas[editar | editar código-fonte]

Na cidade de Nova Prata, em meio à mata nativa, há um parque temático com fontes que jorram águas termais numa temperatura de 41°C, a qual possui excelentes propriedades medicinais e terapêuticas.

Parques Nacionais[editar | editar código-fonte]

Parques Estaduais[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências