Two for the Road (Lost)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
"Two for the Road (Lost)"
20º episódio da 2ª temporada de Lost (série de televisão)
Informação geral
Escrito por Elizabeth Sarnoff & Christina M. Kim
Direcção Paul Edwards
Código de produção 220
Exibição original 3 de Maio de 2006
Convidados

John Terry Dr. (Christian Shepherd),
Rachel Ticotin (Captain Teresa Cortez),
Michael Emerson ("Henry Gale"/Benjamin Linus),
Gabrielle Fitzpatrick (Lindsey)

Cronologia
Último
Último
"S.O.S"
"?"
Próximo
Próximo
Lista de episódios de Lost

"Two for the Road" é o quadragésimo quarto episódio de Lost. É o vigésimo episódio da segunda temporada da série. Foi dirigido por Paul Edwards e escrito por Elizabeth Sarnoff e Christina M. Kim. Foi ao ar originalmente em 3 de Maio de 2006, pela ABC. O episódio foca o flashback em Ana Lucia Cortez.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

No flashback, Ana Lucia aparece na morgue, observando o corpo do homem que matou. A sua mãe, também presente, começa a colocar-lhe questões desconfortáveis e Ana Lucia fala-lhe sobre o seu alibi, estando perfeitamente ciente do seu ar de culpada. A mãe oferece-lhe ajuda e Ana Lucia recusa-a; quando a mãe insiste com ela para que então procure ajuda noutro lugar e para que respeite o seu trabalho como oficial de polícia, a jovem demite-se.

Mais tarde, Ana Lucia aparece a trabalhar como segurança num aeroporto. No bar, conhece Christian Shepard, o pai de Jack. Os dois condoem-se sobre as suas vidas e Christian oferece-lhe um trabalho como sua guarda-costas, em Sydney. Os dois decidem adoptar nomes falsos, enquanto estiverem juntos. Ana Lucia decide chamar Christian de "Tom" (um nome partilhado por ambos os namorados de Kate e Claire), enquanto que Christian chama a Ana Lucia, "Sarah" (o nome da mulher de Jack). Em Sydney, passam-se 4 dias, em que os dois não fazem outra coisa se não beber, até que Chistian ganha coragem para visitar uma mulher loura nos subúrbios da capital, a meio da noite. Uma discussão começa, quando os dois se encontram; Christian diz a essa mulher que lhe pagou o empréstimo da casa e que tem todo o direito de ver a filha, o que efectivamente faz da rapariga, meia-irmã de Jack. Ana Lucia agarra Christian e arrasta-o para o carro e partem dali para fora. Mais tarde, ainda no carro, os dois discutem sobre de quê, é que cada um deles, anda a fugir; Ana Lucia tenta encorajar Christian a regressar aos Estados Unidos, mas ele recusa voltar e em vez disso, dirige-se para um bar, abrindo a porta do carro e batendo com força em Sawyer, que ia a passar naquele momento.

Ana-Lucia vai para o aeroporto e espera na fila de embarque, onde também se encontra Jin. Jack está no balcão de check-in a falar nervosamente com a funcionária sobre a necessidade de levar o corpo do pai para casa, o mais cedo possível. Ana-Lucia ouve a conversa e telefona à mãe, confessando-lhe que foi até à Austrália, para fugir dela, uma vez que a mãe sabia o que a filha tinha feito; a mãe pede-lhe que volte para casa.

Na ilha, mostram-nos Ana-Lucia tomando conta de Henry Gale. Ela faz-lhe uma pergunta; quando ele sussura qualquer coisa inaudível (a primeira vez parece ter sido "Tu enviaste-nos", a segunda é mais difícil decifrar)Ana Lucia inclina-se para perceber o que é que Henry estava a dizer e ele ataca-a. Estrangulando-a, Henry diz-lhe furioso, "Tu mataste dois de nós. Boas pessoas que te iam deixar em paz. Tu, és a assassina, Ana-Lucia." Locke aparece e bate com a sua moleta em Henry, deixando-o inconsciente.

Jack e Kate trazem Michael de volta à escotilha. Entretanto, Hurley pergunta a Sayid sobre o rádio; espera poder impressionar Libby com uma imitação do herói do filme Say Anything. Sayid aconselha-o em vez disso, a preparar um piquenique e diz-lhe que há uma praia muito bonita, ali perto, onde ele já tinha levado Shannon. Hurley e Libby partem para o piquenique, mas Hurley perde-se e acabam por regressar ao mesmo sítio donde tinham partido. Libby sugere que façam ali mesmo o piquenique, mas Hurley também se esqueceu de trazer mantas e bebidas. Libby diz que vai buscar as mantas enquanto Hurley pode ir pedir algum vinho a Rose e Bernard; Hurley brinca com a possibilidade de ficar bêbedo e talvez então lembrar-se donde é que conhece Libby. A expressão de Libby em reacção à piada de Hurley mostra algum desconforto. Depois de Libby ir embora buscar as mantas, Jin que estava na praia a arranjar peixe, levanta o polegar para Hurley e sorri.

Ana-Lucia aproxima-se de Sawyer para pedir uma arma. Ele ri-se dela e Ana Lucia ataca-o. Depois da luta, ele consegue dominá-la e ela reage a este momento seduzindo-o. Mais tarde, informa-o que se contar a alguém o que se passou, o mata.

Na escotilha, Locke pergunta a Henry, agora amarrado, por que razão atacou Ana Lucia e não o atacou a ele, quando ele estava preso e indefeso debaixo da porta metálica. Henry confessa que a sua missão era raptar Locke, porque ele é um dos "bons". Ele foi enviado à escotilha para tirar Locke de lá, mas no caminho foi apanhado na armadilha de Rousseau. Agora que falhou a sua missão, vai ser morto, quer seja pelos sobreviventes ou pela sua gente, comandadas por um líder que Henry descreve como sendo um grande homem, um homem brilhante, mas um homem que não perdoa.

Michael conta aos sobreviventes reunidos à sua volta que encontrou os Outros. Conta-lhes que se dirigiu para o norte da ilha, que encontrou um deles e o seguiu secretamente até ao seu acampamento. Enquanto esteve a observá-los contou 22 pessoas, que levam uma vida esquálida em tendas de lona, sendo que muitos deles são velhos e mulheres, e que afinal não tinham tantas armas como ele supunha. Têm a sua própria espécie de convés (onde Michael acredita estarem prisioneiras as crianças raptadas), com dois guardas armados à porta, 24 horas por dia. Michael diz-lhes que é capaz de os levar até lá. Jack e Locke discutem esta possibilidade e decidem que é tempo de reaver as armas de Sawyer. Kate acompanha-os, deixando Michael e Ana-Lucia na escotilha. Sawyer mostra-se ocupado a ler um manuscrito(Bad Twin)e Jack arranca-lhe o molho de folhas das mãos e atira-o para a fogueira e depois aponta uma arma a Sawyer, exigindo que este os leve até ao esconderijo das armas. Sawyer estende a mão para pegar na sua arma, mas apercebe-se que Ana Lucia a roubou depois de terem tido sexo. Locke, subitamente, percebe porque é que ela roubou a arma a Sawyer e conta a Jack que Henry tentou atacar Ana Lucia, mais cedo nesse dia.

De volta à escotilha, Ana-Lucia dá a Henry uma faca e ordena-lhe que se solte das cordas que o amarram. Ele fá-lo e Ana Lucia aponta-lhe uma arma. Henry diz-lhe entretanto que Goodwin a descreveu aos Outros como sendo simplesmenete uma pessoa incompreendida e que até tentou protegê-la. Henry conta-lhe que quando Goodwin a atacou, a sua intenção não era matá-la.

Ana-Lucia é incapaz de matar Henry. Michael conversa com ela e Ana Lucia conta-lhe como é que ele a tentou matar e como ela foi incapaz de o matar a ele. Michael oferece-se para levar a cabo a tarefa e ela dá-lhe a arma e ainda a combinação para o depósito de armas, onde Henry tem estado preso. Michael olha tristemente para a arma, diz "Desculpa-me" e logo a seguir dispara sobre o peito de Ana Lucia, matando-a. Libby entra na sala, transportando as mantas que tinha ido buscar para o piquenique. Michael, assustado, dispara sobre Libby através das mantas e ela cai no chão. O seu destino até agora é desconhecido. Michael abre então a porta para a cela de Henry. Henry levanta-se e os dois trocam intensos olhares. A última coisa que vemos é Michael a disparar deliberadamente sobre o seu próprio o braço.

Até à altura, desconhece-se se Libby morreu ou não.

Trivia[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Seções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.
  • No parque de estacionamento onde Ana Lucia trabalha os números (4,8,15,16,23,42) podem ser vistos no tejadilho dos carros da polícia.
  • O homem que Christian albarroa com a porta do carro, nas docas, é Sawyer.