Tyson Foods

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Tyson Foods, Inc.
Tipo Pública (NYSETSN)
Indústria Indústria Alimentícia
Fundação 1931
Pessoas-chave Leleand Tollett CEO
Empregados 107.000
Produtos Carne
Faturamento 13 bilhões USD
Página oficial www.tyson.com

A Tyson Foods, Inc. (NYSETSN) é uma empresa multinacional americana sediada em Springdale, Arkansas, que opera no setor da indústria alimentícia. A empresa é o maior processador e negociador de carne de frango, carne bovina e carne suína, e, detém a maior porcentagem de exportação de carne bovina anualmente, para fora dos Estados Unidos. Com vendas em 2005 de US$ 26 bilhões, a Tyson Foods é a segunda maior companhia alimentícia na Fortune 500, a maior produtora de carne do mundo e, segundo a Forbes, uma das 100 maiores empresas dos Estados Unidos.

A empresa fabrica uma ampla variedade de produtos preparados à base de animais em 123 plantas de processamento de alimentos. Tyson Foods tem aproximadamente 107.000 empregados, que trabalham em mais de 300 instalações nos Estados Unidos e em todo o mundo. A Tyson tem contrato com 6.729 produtores de frango.

Tyson Foods é, nos Estados Unidos, um dos maiores vendedores de carne de frango, bovina e de porco processadas para o varejo; carne bovina e de porco fresca; produtos congelados ou cozidos de carnes de frango, bovina ou de porco; produtos prontos bovinos ou suínos; carnes selecionadas para pizzas industriais e pizzas congeladas para o varejo; carne moída e tortilhas de farinha. Fornece para todas as cadeias da Yum! Brands que utilizam frango (incluindo KFC e Taco Bell), bem como o McDonald's, Burger King, Wendy’s, Wal-Mart, Kroger, Cotsco, IGA, Beef O’Brady’s, pequenos restaurantes e prisões.

A empresa foi criticada em 2007 pela Comunidade para o Tratamento Ético dos Animais (PETA), após um investigador disfarçado dizer que viu frangos sendo escaldados vivos e atirados ao redor para divertir os trabalhadores e receber filmagens dos trabalhadores puxando fora as cabeças de frangos que as tinham perdidos cortadeiras de gargantas.[1] Em Fevereiro de 2008, a Tyson e o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos disseram que estavam investigando as alegações, e a Tyson despediu vários dos trabalhadores envolvidos nos incidentes. A empresa diz que algumas das atividades mostradas no vídeo da PETA não garantem que ela chamou a ação corretiva, mas que outros foram deturpados, porque as aves que tinham sido mostradas foram atordoadas e inconscientes.[2]

Perda da Liderança para a JBS[editar | editar código-fonte]

Em Setembro de 2009, a americana Tyson Foods perdeu o posto de maior empresa de proteína animal do mundo para a rival brasileira JBS, após a mesma adquirir, simultâneamente, a americana Pilgrim's Pride, segunda maior em proteína de aves do mundo, que estava sob recuperação judicial, e a brasielira Bertin, sua maior competidora no Brasil, que além do setor frigorífico também atua no setor lácteo com as marcas Vigor e Leco, dentre outras. A JBS é a terceira colocada no mercado de carnes dos EUA, com a tradicional marca Swift.

Leia Mais[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. "Tyson chicken exposed", People for the Ethical Treatment of Animals, or see it on YouTube. Also see PETA's website on Tyson Foods.
  2. Lee, Elizabeth. "Tyson fires workers embroiled in chicken torture", The Atlanta Journal-Constitution, February 15, 2008.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]