Tzachas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Tzachas (em grego: Τζαχᾶς; m. 1092), também conhecido como Chaka Bey (em turco: Çaka Bey)[1] ou Chaka de Esmirna[2] , foi um emir seljúcida que governou um estado independente baseado em Esmirna (atual Izmir, na Turquia).

História[editar | editar código-fonte]

Tzachas foi feito prisioneiro durante a guerra contra o Império Bizantino pelo imperador Nicéforo III Botaniates, que se interessou por sua juventude e o trouxe para viver no palácio imperial. Lá, ele recebeu o título de protonobilíssimo.

Quando Aleixo I Comneno se tornou imperador, Tzachas retornou para a Anatólia e começou uma guerra contra os bizantinos. Em 1081, ele conquistou diversas cidades na costa da Anatólia, incluindo Esmirna e as ilhas de Samos e Rodes. Firme em seu objetivo de expandir o seu poder, ele ordenou a construção de uma frota nas docas de Esmirna e Éfeso, que consistia de 33 navios à vela e outros dezessete a remo, a primeira frota turca baseada na Anatólia.

A frota de Tzachas conquistou Lesbos (1089) e Quios (1090) antes de derrotar a frota bizantina sob Nicetas Kastamonites perto das ilhas Koyun, próximas de Quios, em 19 de maio de 1090. Em 1091, sua frota conquistou as ilhas de Samos e Rodes, mas também sofreu uma acachapante derrota no mar de Mármara para o drungário Constantino Dalasseno, desfazendo assim seus sucessos anteriores. Dalassenos e João Ducas derrotaram Tzachas novamente em 1092, destruindo completamente a sua frota e recapturando todos os territórios perdidos.

De acordo com as fontes bizantinas, Tzachas foi assassinado em 1092 por seu genroKilij Arslan I. Porém, seu nome aparece novamente em datas posteriores, como na campanha contra o porto estratégico de Adramítio (atual Edremit) em 1095, onde, de acordo com estas fontes, ele teria morrido. Alguns historiadores[3] afirmam que este seria, na verdade, seu filho, nomeado por Kilij Arslan para tomar seu lugar.

De qualquer maneira, após a morte de Tzachas, seu beilhique desapareceu da história. Os bizantinos logo recapturariam a área sob o comando de Aleixo I Comneno e levaria aos seljúcidas mais de duzentos anos para alcançar a costa do mar Egeu novamente.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. A forma turca de Tzachas não aparece em nenhum documento histórico. O nome "Çaka" ("Çaka Bey") é dominante principalmente na Turquia após Akdes Nimet Kurat tê-lo utilizado em sua obra "Çaka: Orta Zamanda İzmir ve Yakınındaki Adaların Türk Hakimi", İstanbul, 1936. (Tarih Dergisi, Cilt 20, İstanbul Üniversitesi Edebiyat Fakültesi, İbrahim Horoz Basımevi, 1983, p. 56. (em turco))
  2. John Julius Norwich, Byzantium: The Decline and Fall, Knopf, 1996, ISBN 978-0-679-41650-0, p. 50.
  3. Doğuştan Günümüze Türk-İslam Tarihi (Turkish-Islamic History, from its Birth to the Present)

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • NORWICH, John Julius. Byzantium: The Decline and Fall. (New York: Alfred A. Knopf, 1996) p. 26. (em inglês)