U-432

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
U-432
U-Boot Tipo VIIC.
Carreira   Bandeira da marinha que serviu
Data de encomenda 29 de setembro de 1939 [1]
Estaleiro F Schichau GmbH, Danzig[2]
Batimento de quilha 14 de janeiro de 1940[3]
Lançamento 3 de fevereiro de 1941
Comissionamento 26 de abril de 1941
Período de serviço 1941 - 1943
Estado afundado por cargas de profundidade e abalroamento.
Fatalidade 11 de março de 1943[4]
Características gerais
Tipo de navio Submarino
Classe Tipo VIIC
Deslocamento 769 t (superfície)
871 t (submerso)[2]
Altura 9,55 m
Comprimento 67,1 m
Boca 6,18 m
Calado 4,74 m
Propulsão 3 200 HP (superfície)
750 HP (submerso)
Velocidade 17,7 nós (32,8 km/h) (superfície)
7,6 nós (14,1 km/h) (submerso)
Autonomia 8 500 milhas (15 742 km) / 10 nós (18,5 km/h) (superfície)
80 mn (148,2 km)/ 4,0 nós (7,4 km/h) (submerso)
Profundidade máximo de 220 m
Armamento lança torpedos 4/1 (tubos de popa/tubos de convés), 14 torpedos
Canhão de 88 mm, 250 tiros
Canhão anti-aéreo de 20 mm, 4 380 tiros
Tripulação 46 tripulantes

O Unterseeboot 432 foi um submarino alemão do Tipo VIIC, pertencente a Kriegsmarine que atuou durante a Segunda Guerra Mundial. Foram construídos 568 submarinos da mesma classe entre os anos de 1938 e 1944.[2] [3]

Em seus 23 meses de operação o U-432 afundou e danificou 19 navios mercantes e 3 navios pesqueiro totalizando 84 997 toneladas de arqueação.[4] Colocou a pique em 11 de março de 1943 o contra-torpedeiro HMS Harvester (H-19) da Marinha Real Britânica.[5] Atingiu o navio de guerra com dois torpedos, [6] na sequencia o submarino foi seriamente danificado por cargas de profundidade, metralhado quando subiu a superfície e afundado quando a corveta Aconit (1941-1947) colidiu com o submarino.[7] Os sobreviventes em número de 20 foram recolhidos pelo Aconit que navegava sob a bandeira da França Livre, 26 tripulantes morreram inclusive o capitão Hermann Eckhardt (1916-1943). Na corveta estavam os 60 sobreviventes do HMS Harvester (H-19) assim como 4 sobreviventes do submarino U-444 que foi afundado na mesma batalha naval. Todos foram levados para Greenock na Escócia.[8]

Características técnicas[editar | editar código-fonte]

O U-432 pertenceu a classe de u-boot Tipo VIIC. Com os primeiros submarinos sendo comissionados no início da Segunda Guerra Mundial esta classe de submergíveis foi a maior a ser produzida em todos os tempos.[9] A família de barcos em que o U-432 estava incluído permitiu que a Kriegsmarine, comandada na época pelo Grande almirante Karl Doenitz (1891-1980), atuasse no Atlântico Norte causando significativo prejuízo ao esforço de guerra dos Aliados, afundando navios e interrompendo o fornecimento de provisões e armamentos.[10]

Este tipo de barco foi produzido por 15 estaleiros diferentes utilizando projetos desenvolvidos pela NV Ingenieurskantoor voor Scheepsbouw. A empresa de fachada foi instalada na Holanda em 1922 após o término da Primeira Guerra Mundial pelos estaleiros de origem alemã F. Krupp Germaniawerft, AG Vulcan Stettin e AG Weser afim de burlar as restrições de manutenção e desenvolvimento de submarinos impostas pelo Tratado de Versalhes.[11] [12]

O Tipo VIIC foi uma evolução do Tipo VIIB, sendo maior e mais pesado, e como consequência com uma velocidade um pouco menor que o seu antecessor. O aumento de espaço interno foi uma necessidade para acomodar um novo tipo de sonar que passou a equipar os U-boot, e fez com que o seu casco fosse alongado.[2]

Dimensões[editar | editar código-fonte]

O U-432 com casco duplo tinha um comprimento total de 67,1 m, boca de 6,18 m e altura de 9,55 m. O casulo interno que ficava sob pressão quando o u-boot submergia media 49,4 m de comprimento por 4,7 m de altura e nesse espaço ficavam alojados os 46 tripulantes, sendo 4 oficiais graduados. A espessura do casco sob pressão media 18,5 mm. O barco deslocava 769 m³ de água na superfície e 871 m³ quando submerso [13]

O submarino quando na superfície precisava uma lâmina d'água superior a 4,74 m. Foi projetado para navegar submerso em profundidade máxima de 165 m. A profundidade calculada de colapso do casco ficava entre 250-280 metros.[14]

Autonomia[editar | editar código-fonte]

Reposição de torpedos e Canhão de 88 mm.

Os tanques de diesel conforme projeto do barco, tinham a capacidade para receber 113,47 t de combustível. Um artifício usado para aumentar a capacidade de armazenamento era encher os tubos de torpedo 1 e 3 de combustível, elevando para 121,5 t o total de diesel no início das patrulhas. O combustível extra era transferido para os tanques conforme disponibilidade de espaço, liberando os tubos de torpedos. O diesel, segundo relatos dos tripulantes aprisionados após o afundamento do submarino, era de boa qualidade e originário da Romênia.[14] [15]

O barco era movimentado na superfície por dois motores diesel fabricados pela Wumag Waggon und Maschinenfabrik AG, Goerlitz, sob licença Krupp, cada um deles com 6 cilindros, potência de 1 400 cv, alcançando 470-490 rpm. Submerso o submarino era movimentado por dois motores elétricos fabricados pela Siemens (Siemens Aktiengesellschaft),[15] cada um deles com, potência de 375 cv, alcançando 295 rpm. Os motores elétricos eram alimentados por dois grupos de baterias de 62 células com capacidade de 9 160 A/h, que por sua vez eram carregados pelos motores diesel quando em funcionamento navegando na superfície. Estes motores movimentavam duas hélices de três pás com 1,62 m de diâmetro. Um leme duplo direcionava a embarcação.[13]

O U-432 tinha autonomia de 8 500/8 550 mm a 10 nós e 3 250/3 450 mn a 17 nós navegando na superfície, imerso ele alcançava 80 mn a 4 nós e 120 mn a 2 nós. Em emergência o barco podia mergulhar em 25-30 segundos.[14]

Quando necessário o ar do submarino era purificado com filtros que utilizavam cartuchos com potássio.[15]

Armamento[editar | editar código-fonte]

Os tubos lança-torpedos tinham 53,3 centímetros de alma e estavam localizados quatro na proa e um na popa. O barco podia levar 14 torpedos por patrulha. Para ataques na superfície o submarino contava com uma metralhadora anti-aérea calibre 20 mm e um Canhão de 88 mm instalado avante no convés, carregava para estas armas 250 e 4 380 cartuchos respectivamente.[14] [13]

Comandantes[editar | editar código-fonte]

O capitão Heinz-Otto Schultze (1915-1943) esteve no comando do navio por 270 dias dos 296 dias em que o barco esteve em ação. Pelo seu sucesso a frente do barco foi condecorado com a Cruz de Ferro de 1ª classe (1941) e com a Cruz de Cavaleiro da Cruz de Ferro (1942).[1]

Comandante Período
Kptlt. Heinz-Otto Schultze 26 de abril de 1941 - 15 de janeiro de 1943
Kptlt. Hermann Eckhardt 16 de janeiro de 1943 - 11 de março de 1943

Operações[editar | editar código-fonte]

Kapitänleutnant (KptLt/KL) Heinz-Otto Schultze.

Em sua carreira, o submarino participou de oito patrulhas, sempre subordinado a 3ª Flotilha de Unterseeboot da Kriegsmarine.

Em 15 de fevereiro de 1942, quando em patrulha na costa leste dos Estados Unidos, afundou o navio mercante Buarque (5 152 toneladas) de bandeira brasileira com dois torpedos. O ataque aconteceu a 30 milhas a sudoeste do Cabo Hatteras que fica no litoral do estado norte-americano da Carolina do Norte. Os 74 tripulantes e 11 passageiros, com exceção de um que faleceu, sobreviveram e foram salvos por embarcações da Guarda Costeira, Marinha dos Estados Unidos e um navio petroleiro.[16] Três dias depois, na mesma região o também brasileiro Olinda (4 053 toneladas), foi parado por um tiro de canhão, os tripulantes após abandonar o navio foram interrogados, e posteriormente o navio foi bombardeado e afundado. Todos os 46 tripulantes foram resgatados pelo contratorpedeiro USS Dallas (DD-199).[17] Foram os dois primeiros navios brasileiros a serem afundados na Segunda Guerra, após o rompimento de relações diplomáticas com os países que compunham o Eixo.

O U-432 esteve sob ataque em três momentos:

Durante o ataque ao Comboio SC 48 (5 - 22 de outubro de 1943), quando o U-432 foi o responsável pelo afundamento do petroleiro norueguês Barfonn e pelo cargueiro de bandeira grega Evros,[18] o contratorpedeiro HMS Broadwater (H-81) e a corveta HMS Abelia (K-184) fizeram ataques com cargas de profundidade e danificaram o submarino, comprometendo os controles do leme e o funcionamento dos motores elétricos. A embarcação submergiu de forma involuntária a uma profundidade de 70 metros, após reparos de emergência retornou a patrulha.[1]

O barco foi ligeiramente danificado após ataque aéreo quando em patrulha no Atlântico Norte.[1]

Desenho da corveta Aconit.

O Comboio HX 228 (28 de fevereiro - 15 de março de 1941) partiu do porto de Nova Iorque com destino a Liverpool navegando a uma velocidade média de 8,6 nós. Os 88 navios mercantes que faziam parte do comboio, eram protegidos por 8 navios de escolta além de cobertura aérea em parte do percurso. Cinco navios cargueiros, um contratorpedeiro e dois submarinos não retornaram a seus portos.[19]

Na manhã de 11 de março, o U-432 surpreendeu o HMS Harvester (H-19), que estava imobilizado em consequência de danos sofridos após ter abalroado o Unterseeboot U-444. O contratorpedeiro foi rodeado por várias vezes, o submarino manteve a profundidade de periscópio, e disparou um torpedo de proa a uma distância de 600 metros e outro de pôpa a 700 metros, ambos atingiram o alvo, afundando o contratorpedeiro.[8] [3]

O U-432 permaneceu submerso, não adotando o procedimento padrão de vir a superfície após um ataque e não percebeu a aproximação da corveta Aconit que veio em socorro aos sobreviventes do HMS Harvester. O Aconit iniciou com sucesso um ataque com cargas de profundidade, danificando o submarino que foi ao fundo alcançando uma profundidade estimada de 310 metros, sendo obrigado a retornar a superfície após falha geral no sistema de iluminação principal, parada total dos motores elétricos e fogo seguido de explosão no quadro principal de força. O barco subiu lentamente a superfície, e foi dada a ordem de vestir coletes salva-vidas e preparar para abandonar o navio. Na superfície após a abertura da escotilha, o submarino foi metralhado pelo Aconit. Neste ataque vários tripulantes e o capitão Hermann Eckhardt morreram. Após o cessar fogo os demais tripulantes se jogaram ao mar, e o Aconit em uma tentativa de abordagem e aprisionamento do submarino, atingiu com seu casco o barco, ocasionando o seu imediato afundamento.[8] [3]

Subordinação[editar | editar código-fonte]

A 3ª Flotilha de Unterseeboot, também conhecida como U-Flotilha "Lohs" uma homenagem ao comandante de submarino da Primeira Guerra Mundial Johannes Lohs (1889-1918), teve sob suas ordens 109 U-Boots entre eles o U-432.[20]

A flotilha teve como base durante a Segunda Guerra, Kiel (março de 1941 - setembro de 1941) e La Pallice (outubro de 1941 - setembro de 1944).[21]

26 de abril de 1941 - 1 de agosto de 1941 3ª Flotilha de Unterseeboot (treinamento da tripulação)[1]
1 de agosto de 1941 - 11 de março de 1943 3ª Flotilha de Unterseeboot (operação de guerra)

Patrulhas[editar | editar código-fonte]

Em sua primeira patrulha o submarino partiu da Noruega, passando ao norte das Ilhas Feroe, costa da Islândia e Groelândia, atravessando o Mar Celta para aportar na costa oeste da França. Na viagem seguinte, passou novamente pelo Mar Celta, navegando em seguida pelo Atlântico Norte, retornando a França. Na terceira patrulha, foi feita em direção ao sul passando pela costa da Espanha e Portugal e chegando a sua última base La Pallice. Na quarta viagem atravessou o Atlântico Norte, chegando até a região central da costa leste dos Estados Unidos. Na patrulha seguinte que foi a sua mais longa permanência no mar, cruzou novamente o Atlântico, indo em direção ao Canadá. Na viagem de número sete vagou pelo Atlântico Norte. Em sua penultima saída, rumou em direção ao sul, passando pela costa de Portugal, chegando até o Marrocos. Na oitava e última saída, rumou para região central do Atlântico Norte aonde foi afundado.[22]

Base de U-Boots em Brest, França.
Casamata para proteção dos U-Boots na base de La Pallice, França.
Comandante Partida Chegada Dias Tonelagem
afundada
Heinz-Otto Schultze 30 de julho de 1941 Kiel
(Alemanha)
31 de julho de 1941 Horten 2
Heinz-Otto Schultze 9 de agosto de 1941 Horten
(Noruega)
12 de agosto de 1941 Trondheim 4
1 Heinz-Otto Schultze 25 de agosto de 1941 Trondheim
(Noruega)
19 de setembro de 1941 Brest 26
10 778
2 Heinz-Otto Schultze 11 de outubro de 1941 Brest
(França)
2 de novembro de 1941 Saint-Nazaire 23
19 818
3 Heinz-Otto Schultze 10 de dezembro de 1941 Saint-Nazaire
(França)
23 de dezembro de 1941 La Pallice 14
4 Heinz-Otto Schultze 21 de janeiro de 1942 La Pallice
(França)
16 de março de 1942 La Pallice 55
25 107
5 Heinz-Otto Schultze 30 de abril de 1942 La Pallice 2 de julho de 1942 La Pallice 64
21 776
6 Heinz-Otto Schultze 15 de agosto de 1942 La Pallice 4 de outubro de 1942 La Pallice 51
5 868
7 Heinz-Otto Schultze 30 de novembro de 1942 La Pallice 5 de janeiro de 1943 La Pallice 37
310
8 Hermann Eckhardt 14 de fevereiro de 1943 La Pallice 11 de março de 1943 afundado 26
1 340
Total 296 dias 84 997

Navios atacados pelo U-432[editar | editar código-fonte]

O contra-torpedeiro HMS Harvester (H-19) da Royal Navy, fazia parte de uma encomenda da Marinha do Brasil feita em 1936 ao estaleiro Vickers Armstrong, Barrow-in-Furness e foi batizado inicialmente como CT Juruá (H-19). Com o advento da Segunda Guerra, os navios de sua classe não foram entregues aos compradores, sendo requisitados em 4 de setembro de 1939 pelo Almirantado Britânico.[23] [24]

Além do contratorpedeiro que foi atacado e afundado em 11 de março de 1943, o U-432 pois a pique com tiros de canhão os barcos pesqueiros FV Foam[25] , FV Aeolus[26] e MFV Ben and Josephine[27] também afundou ou danificou 19 navios mercantes entre eles destacam-se:[28] [5]

Contratorpedeiro HMS Harvester (H-19) último navio afundado pelo U-432.
Data Comandante Nome do navio Toneladas Nacionalidade Comboio
10 setembro de 1941 Heinz-Otto Schultze SS Muneric[29]
5 229
 Reino Unido Comboio SC 42 (9 - 14 setembro 1941)
17 outubro de 1941 Heinz-Otto Schultze MV Barfonn[30] [31]
9 739
 Noruega Comboio SC 48 (15 - 17 de outubro de 1941)
17 outubro de 1941 Heinz-Otto Schultze SS Evros[32]
5 283
 Grécia Comboio SC 48 (15 - 17 de outubro de 1941)
15 fevereiro de 1942 Heinz-Otto Schultze SS Buarque[33] [16]
5 229
 Brasil
18 fevereiro de 1942 Heinz-Otto Schultze SS Olinda[34] [17]
4 053
 Brasil
19 fevereiro de 1942 Heinz-Otto Schultze SS Miraflores[35] [36]
2 158
 Reino Unido
27 fevereiro de 1942 Heinz-Otto Schultze SS Marore[37]
8 215
 Estados Unidos
9 junho de 1942 Heinz-Otto Schultze SS Kronprinsen[38]
7 073
 Noruega Comboio BX-23A (9 de junho de 1942)
9 junho de 1942 Heinz-Otto Schultze SS Malayan Prince[39]
8 593
 Reino Unido Comboio BX-23A (9 de junho de 1942)

SS (steam ship) - navio a vapor
MV (motor vessel) - barco a motor
FV (fishing vessel) - barco de pesca
HMS (Her Majesty's Ship) - navio de sua majestade, prefixo dos navios pertencentes a Marinha Real Britânica

Operações conjuntas de ataque[editar | editar código-fonte]

O U-432 participou dos seguinte operações de ataque combinado durante a sua carreira:[1]

  • Markgraf (28 de agosto de 1941 - 14 de setembro de 1941)
  • Reissewolf (21 de outubro de 1941 - 28 de outubro de 1941)
  • Pfadfinder (21 de maio de 1942 - 27 de maio de 1942)
  • Lohs (23 de agosto de 1942 - 22 de setembro de 1942)
  • Sturmbock (23 de fevereiro de 1943 - 26 de fevereiro de 1943)
  • Wildfang (26 de fevereiro de 1943 - 5 de março de 1943)
  • Westmark (6 de março de 1943 - 11 de março de 1943)

Rudeltaktik (em alemão) também conhecida como Wolf pack (em inglês) foi uma tática de combate para ações conjuntas usada pelos submarinos da Kriegsmarine na Batalha do Atlântico e Marinha dos Estados Unidos na Guerra do Pacífico durante a Segunda Guerra Mundial. A tática copia o modelo de ataque utilizado por uma mantilha de lobos.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f Guðmundur Helgason. U-432 (em inglês) u-boat.net. Visitado em 1 de janeiro de 2011.
  2. a b c d Guðmundur Helgason. Type VIIC (em inglês) u-boat.net. Visitado em 1 de janeiro de 2011.
  3. a b c d Fernando Almeida, Werner Freitag, David Rayner & Walter Janssens, Horst Schmeisser e Howard Cock. Kriegsmarine and U-Boat history (em inglês) ubootwaffe.net. Visitado em 1 de janeiro de 2011.
  4. a b Sentando a Pua. U-432. Visitado em 1 de janeiro de 2011.
  5. a b The Wreck site. HMS Harvester (H19) (+1943) (em inglês). Visitado em 30 de janeiro de 2011.
  6. Guðmundur Helgason. HMS Harvester (H 19), British Destroyer (em inglês) u-boat.net. Visitado em 1 de janeiro de 2011.
  7. Chancellerie de l'Ordre de la Liberation. La corvette Aconit (1941-1947) (em francês). Visitado em 1 de janeiro de 2011.
  8. a b c U-boat Archive. Report on interrogation of survivors from U 432 (em inglês) The British Interrogation Reports. Visitado em 1 de janeiro de 2011.
  9. MilitaryFactory. Type VII U-Boat Ocean-Going Diesel-Electric Submarine (em inglês). Visitado em 19 de janeiro de 2011.
  10. Portal Segunda Guerra Mundial (8 de maio de 2008). A Batalha do Atlântico. Visitado em 19 de janeiro de 2011.
  11. DutchSubmarines. Ingenieurskantoor voor Scheepsbouw (em inglês). Visitado em 19 de janeiro de 2011.
  12. u-boote-online. Der geheime Neubeginn (em alemão). Visitado em 19 de janeiro de 2011.
  13. a b c U-historia. Ubootwaffe 1939-1940, Técnica, Tipo VII (em espanhol). Visitado em 19 de janeiro de 2011.
  14. a b c d u-boote-online. Typ - VII C (em alemão). Visitado em 19 de janeiro de 2011.
  15. a b c uboatarchive.net. Report on interrogation of survivors from U 432, The British Interrogation Reports (em inglês). Visitado em 19 de janeiro de 2011.
  16. a b Guðmundur Helgason. Buarque, Brazilian Steam merchant (em inglês) u-boat.net. Visitado em 1 de janeiro de 2011.
  17. a b Guðmundur Helgason. Olinda, Brazilian Steam merchant (em inglês) u-boat.net. Visitado em 1 de janeiro de 2011.
  18. Arnold Hague's papers. Convoy SC.48 (em inglês). Visitado em 1 de janeiro de 2011.
  19. Warsailors. Convoy HX 228 (em inglês). Visitado em 1 de janeiro de 2011.
  20. Guðmundur Helgason. Unterseebootsflottille "Lohs" (em inglês) u-boat.net. Visitado em 1 de janeiro de 2011.
  21. Marcus Wendel. 3. Unterseebootsflottille (em inglês). Visitado em 1 de janeiro de 2011.
  22. Guðmundur Helgason. U-boat Patrols, Patrols by U-432 (em inglês) u-boat.net. Visitado em 1 de janeiro de 2011.
  23. Navios de Guerra Brasileiros. CT Juruá, depois HMS Harvester H 19, ex-Handy H 19. Visitado em 1 de janeiro de 2011.
  24. The Wreck site. HMS Harvester (H19) (+1943) (em inglês). Visitado em 30 de janeiro de 2011.
  25. The Wreck site. FV Foam (+1942) (em inglês). Visitado em 30 de janeiro de 2011.
  26. The Wreck site. FV Aeolus (+1942) (em inglês). Visitado em 30 de janeiro de 2011.
  27. The Wreck site. MFV Ben and Josephine (+1942) (em inglês). Visitado em 30 de janeiro de 2011.
  28. Guðmundur Helgason. WWII U-boat Successes, Ships hit by U-432 (em inglês) u-boat.net. Visitado em 1 de janeiro de 2011.
  29. The Wreck site. SS Muneric (+1941) (em inglês). Visitado em 30 de janeiro de 2011.
  30. The Wreck site. MV Barfonn (+1941) (em inglês). Visitado em 31 de janeiro de 2011.
  31. The U.S.S. Kearny. The German Account of Convoy SC-48 (em inglês). Visitado em 1 de janeiro de 2011.
  32. The Wreck site. SS Evros [+1941] (em inglês). Visitado em 30 de janeiro de 2011.
  33. The Wreck site. SS Buarque (+1942) (em inglês). Visitado em 31 de janeiro de 2011.
  34. The Wreck site. SS Olinda (+1942) (em inglês). Visitado em 31 de janeiro de 2011.
  35. The Wreck site. SS Miraflores (+1942) (em inglês). Visitado em 31 de janeiro de 2011.
  36. Atlantic Divers. The mystery of the S.S. Miraflores (em inglês). Visitado em 1 de janeiro de 2011.
  37. The Wreck site. SS Marore (+1942) (em inglês). Visitado em 30 de janeiro de 2011.
  38. Guðmundur Helgason. Kronprinsen, Norwegian Motor merchant (em inglês) u-boat.net. Visitado em 30 de janeiro de 2011.
  39. Guðmundur Helgason. Malayan Prince, British Motor merchant (em inglês) u-boat.net. Visitado em 30 de janeiro de 2011.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Stern, Robert C. (1991). Type VII U-boats. Annapolis, Maryland (USA): Naval Institute Press. ISBN 1-55750-828-3.
  • Peter Sharpe, U-Boat Fact File. Midland Publishing, Inglaterra, 1998. ISBN 1-85780-072-9.
  • Rohwer, J. and Hummelchen, G. (1992). Chronology of the War at Sea 1939-1945. Naval Institute Press. ISBN 1-55750-105-X.
  • M. J. Whitley: Destroyers of World War Two, Arms and Armour Press, London 1988 ISBN 0853689105

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre U-432

References[editar | editar código-fonte]

Nordatlantik 13.3.1943, Chronik des Seekrieges 1939-1945. (em alemão)