U-Boot

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

U-Boot ( ouvir ajuda · ficheiro · ouvir) (inglês: U-Boat pequena - nave e/ou nave - pequena, também utilizado em português é originado da palavra alemã Unterseeboot literalmente "pequeno-barco debaixo-de-água"). O termo deriva do sistema da Marinha da Alemanha de dar nome aos seus submarinos de "U" seguido de um número. Normalmente, é empregado na língua inglesa para designar qualquer um dos submarinos alemães da Primeira e Segunda Guerra Mundial. Em alemão, este termo é usado para designar qualquer submarino. Os principais alvos das campanhas dos U-Boots em ambas as guerras mundiais eram os navios de carga que transportavam suprimentos e material bélico dos Estados Unidos e Canadá com destino para a Europa.

Primeira Guerra Mundial[editar | editar código-fonte]

Insígnia de guerra da Kaiserliche Marine (1903-1918).

Em Maio de 1915, o U-Boot U-20 afundou o RMS Lusitania. Embora tenha havido uma grande revolta por um navio mercante "inocente" ter sido afundado, os historiadores acreditam que o Lusitania transportava 10 toneladas de armas abordo, tornando-o um alvo válido sob as leis internacionais. Das 1 195 vidas perdidas, 123 eram civis norte-americanos. O evento fez com que a opinião pública norte-americana contra a Alemanha fosse um fator importante no envolvimento dos Estados Unidos na guerra, ao lado dos Aliados.

Com os Estados Unidos ao lado dos Aliados, a Alemanha anunciou a 31 de Janeiro, 1917, que os seus submarinos atacariam os navios mercantes sem qualquer aviso prévio, dando origem à Primeira Batalha do Atlântico.

Foram afundados durante o conflito, 6 927 navios mercantes aliados ou neutros totalizando 13 milhões de toneladas de arqueação bruta, incluindo todas as causas bélicas. A metade foi ao fundo por ação direta dos submarinos da Kaiserliche Marine [1]

Em 5 de abril de 1917 o vapor mercante brasileiro Paraná foi torpedeado por um submarino alemão. No dia 11 de abril o Brasil rompe relações diplomáticas com os países que compunham a Tríplice Aliança, sendo este um dos motivos do envolvimento do país na Primeira Guerra Mundial.[2]

Segunda Guerra Mundial[editar | editar código-fonte]

Insígnia de guerra da Kriegsmarine (1935-1945).

“As perdas de submarinos foram particularmente elevadas para todas as nações: a Alemanha, que durante toda a guerra, pôs em serviço mais de 1.100 submersíveis, perdeu mais de 800; a Inglaterra perdeu 77 unidades sobre 235; à Itália, 86, em 160; os Estados Unidos, 52 em 290; e o Japão 127 em 190.”

Mensagem recebida pelo alto-posto alemão no final da guerra

Durante a Segunda Guerra Mundial, os submarinos alemães eram o maior componente da Batalha do Atlântico [3] , que durou até à invasão da Europa. Durante as fases iniciais da guerra, e após a entrada dos Estados Unidos na guerra, os submarinos alemães foram extremamente eficazes a destruir navios de carga aliados, aproximando-se da costa atlântica dos Estados Unidos chegando até o Golfo do México. Os avanços nas tácticas dos comboios navais, radar, sonar, cargas de profundidade, a descodificação dos códigos da Enigma e a introdução da escolta aérea diminui a eficácia dos submarinos alemães [4] .

Assim como aconteceu na Primeira Guerra Mundial, um dos principais fatores que levaram o Brasil a entrar em guerra contra os países do Eixo foram o ataques de submarinos no Atlântico Sul aonde navios brasileiros foram afundados [5]

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Navio mercante inglês SS Maplewood, sendo torpedeado pelo SM U-35 (7 de abril de 1917).
U-Boot Navios afundados Tonelagem afundada Período de atuação
SM U-35 226 538 497 1915 - 1918
SM U-39 154 406 325 1915 - 1918
SM U-38 139 293 104 1915 - 1918
SM U-34 119 257 652 1915 - 1918
SM U-53 88 224 528 1916 - 1918
  • Comandantes de maior sucesso da Kaiserliche Marine na Primeira Guerra Mundial, em função ao nº de navios afundados [8]
Comandantes Navios afundados
ou capturados
Tonelagem Navios danificados Tonelagem
Kptlt Lothar von Arnauld de la Perière 195 455 868 8 34 312
Kptlt Walter Forstmann 149 391 607 7 30 552
KrvKpt Max Valentiner 144 299 453 6 33 151
Kptlt Otto Steinbrinck 206 245 362 11 61 519
Kptlt Hans Rose 82 221 106 9 45 606
  • U-Boat em operação na Segunda Guerra mundial: 1 153, sendo que 759 foram perdidos durante o conflito. [9]
  • Submarinos de maior sucesso da Kriegsmarine na Segunda Guerra Mundial, em função ao nº de navios afundados. [10]
U-Boot Patrulhas Navios afundados Tonelagem Navios danificados Tonelagem
U-48 13 51 306 875 3 20 480
U-103 11 45 237 596 3 28 158
U-123 12 42 219 924 6 53 568
U-124 11 46 219 862 4 30 067
U-107 14 37 207 375 4 25 638
  • Comandantes de maior sucesso da Kriegsmarine na Segunda Guerra Mundial, em função ao nº de navios afundados [11]
Comandantes Patrulhas Navios afundados Tonelagem Navios danificados Tonelagem
FKpt Otto Kretschmer 16 46 273 043 5 37 965 tons
KptzS Wolfgang Lüth 16 46 225 204 2 17 343
FKpt Erich Topp 13 35 197 460 4 32.317
FKpt Heinrich Liebe 9 34 187 267 1 3 670
KptzS Viktor Schütze 7 35 180 073 2 14 213

Ver também[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Bekker, Cajus. Lucha y muerte de la marina de guerra alemana (título original: Kamp und Untergang der Kriegsmarine). Editorial Luis Caralt. Barcelona, 1959. ISBN 84-217-5684-2
  • Gannon, Michael (1998) Black May. Dell Publishing. ISBN 0-440-23564-2
  • Gannon, Michael (1990) Operation Drumbeat. Naval Institute Press. ISBN 978-1-59114-302-4.
  • Kurson, Robert (2004). Shadow Divers: The True Adventure of Two Americans Who Risked Everything to Solve One of the Last Mysteries of World War II. Random House Publishing. ISBN 0-375-50858-9
  • Möller, Eberhard and Werner Brack. The Encyclopedia of U-Boats: From 1904 to the Present (2006) ISBN 1-85367-623-3
  • Stern, Robert C. (1999). Battle Beneath the Waves: U-boats at war. Editora, Arms and Armor/Sterling. ISBN 1854092006

Referências

  1. A Tribuna de Santos. Primeira Guerra Mundial (1914-18). Visitado em 1 de janeiro de 2011.
  2. Naufrágios do Brasil. Primeira Guerra Mundial(1914-1918). Visitado em 01-01-2010.
  3. 2guerra.com.br. Segunda Guerra Mundial - Setembro a Dezembro de 1939 - A guerra no mar. Visitado em 1 de janeiro de 2011.
  4. Segunda Grande Guerra. Barco-U (Tipo VII-C). Visitado em 1 de janeiro de 2011.
  5. Brasil Mergulho. Submarinos alemães ou norte-americanos. Visitado em 1 de janeiro de 2011.
  6. Guðmundur Helgason. U-boat Losses 1914-1918 (em inglês). Visitado em 2 de fevereiro de 2011.
  7. Guðmundur Helgason. The U-boats of World War One (em inglês). Visitado em 2 de fevereiro de 2011.
  8. Guðmundur Helgason. Most Successful U-boat Commanders (em inglês). Visitado em 2 de fevereiro de 2011.
  9. Guðmundur Helgason. Chart of U-boat losses 1939-1945 (em inglês). Visitado em 2 de fevereiro de 2011.
  10. Guðmundur Helgason. The Most Successful U-boats (em inglês). Visitado em 2 de fevereiro de 2011.
  11. Guðmundur Helgason. Commanders with over 100,000 tons sunk (em inglês). Visitado em 2 de fevereiro de 2011.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre U-Boot