U-commerce

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Pode encontrar ajuda no WikiProjeto Ciência da computação.

Se existir um WikiProjeto mais adequado, por favor corrija esta predefinição. Este artigo está para revisão desde novembro de 2013.

Emblem-scales.svg
A neutralidade desse artigo (ou seção) foi questionada, conforme razões apontadas na página de discussão.
Justifique o uso dessa marca na página de discussão e tente torná-lo mais imparcial.

U-commerce é a convergencia total de todos os modelos de comércio virtual existentes na tentativa de tornar as transações comerciais em operações independentes de dipositivo, posição física ou de meio de transmissão de dados. O termo commerce significa comércio e a letra U é utilizada para representar simultâneamente os conceitos principais desse novo modelo, Ubiqüidade, Unicidade, Universalidade e Unissonância.

A idéia central proposta pelo modelo é de que no futuro não importará quantos ou quais dispositivos digitais o usuário carrega em seu bolso (ou mantém em casa), todos eles estarão sempre sincronizados e acessarão os mesmos serviços de compra e venda eletrônica sem nenhum tipo de restrição tecnológica.

A nova geração de comércio eletrônico[editar | editar código-fonte]

A publicação mais antiga sobre U-commerce encontrada é datada de 2000 em uma colula escrita por Richard T. Watson1 e descreve de forma simples as diretrizes deste novo conceito. Em 2002 o mesmo autor publicou juntamente com Leyland F. Pitt, Pierre Berthon e George M. Zinkhan um artigo no Jornal da Academia de Marketing Ciência2 com mais detalhes conceituais sobre o U-commerce e adicionalmente apresenta um framework conceitual chamado U-Space que pode ser utilizado como diretriz de implementação de novas relações de comércio eletrônico.

Em 2004 um outro artigo3 discute sobre a formação estrutural do U-commerce, apontando sobre os modelos anteriores de comércio eletrônico que agrupados que formam o novo modelo. A publicação deste artigo e de alguns outros4 5 indica que o conceito de U-commerce está de certo modo em desenvolvimento.

Watson aponta 4 conceitos (ou traduções para a letra U) na identificação do novo modelo, que nesse artigo são traduzidas como Ubiqüidade, Unicidade, Universalidade e Unissonância para manter o aspecto cognitivo da letra U no nome U-commerce.

Ubiqüidade[editar | editar código-fonte]

Termo traduzido diretamente do inglês Ubiquity é utilizado para descrever o fenômeno de propagação da tecnologia digital e o acesso indistindo de diversos dispositivos a Internet. Eletrodomésticos, carros, celulares, PDAs, televisores e uma infinidade de outros dispositivos digitais podem atualmente manter uma conexão com a rede mundial de computadores. Esse fato da margem para um novo tipo de comércio baseado na rede que indestingue tipo de hardware, mas que deve considerar outros diversos requisitos de segurança e portabilidade.

Unicidade[editar | editar código-fonte]

Traduzido do inglês Uniqueness representa o segundo pilar de atuação do U-commerce, a unicidade ou individualidade de cada usuário, aspectos regionais, gostos, configurações e outras peculiaridades do usuário podem ser analisadas para aplicação de publicidade e serviços que atendam os desejos dele. O 'marketing' direcinado talvez seja a mais importante ferramenta de venda no varejo e no comércio eletrônico e é importante fazer parte das novas implementações do U-commerce.

Universalidade[editar | editar código-fonte]

Este termo foi traduzido diretamente do Inglês Universality e representa a necessidade de padrões de utilização de redes e dispositivos. Por exemplo, um usuário comum possui diversos meios de acesso a Internet (ubiqüidade) como computador, celular e televisor, mas destes 3 apenas seu computador funcionará sem modificações caso ele tenha de se mudar de país ou continente porque redes de celular e de sinal de televisão ainda não possuem um padrão único de funcionamento e talvez nunca terão. Para que o usuário possa utilizar qualquer dispositivo onde quer que esteja novas tecnologias universalizadas devem ser desenvolvidas, tanto no sentido de criação de novos padrões como no esforço conjunto de trabalho colaborativo ou interoperabilidade da infra-estrutura.

Unissonância[editar | editar código-fonte]

Do termo em inglês Unison, a unissonância é basicamente a unificação e interoperabilidade entre os diversos dispositivos inter-conectados. Todos os aparelhos eletrônicos que compartilham tipos iguais de informação devem estar sempre atualizados, modificações em um dispositivo deve ser propagada a todos os outros aparelhos de forma completamente transparente ao usuário, que assim poderá fazer uso de suas informações em qualquer lugar e com qualquer um de seus dispositívos digitais.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre ciência da computação é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.