Universidade Estadual da Zona Oeste

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de UEZO)
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo ou secção necessita de referências de fontes secundárias fiáveis publicadas por terceiros (desde março de 2010).
Por favor, melhore-o, incluindo referências mais apropriadas vindas de fontes fiáveis e independentes.
Fontes primárias, ou que possuem conflito de interesse geralmente não são suficientes para se escrever um artigo em uma enciclopédia.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing.
UEZO
Centro Universitário Estadual da Zona Oeste
Fundação 2005
Tipo de instituição Pública, Estadual
Total de estudantes 1.600
Reitor(a) Roberto Soares de Moura
Vice-reitor(a) Antonio João Carvalho Ribeiro
Sede Brasão da cidade do Rio de Janeiro.svg Rio de Janeiro
Estado RJ
Página oficial uezo.rj.gov.br
Instituições de ensino superior do Brasil Brasil

Centro Universitário Estadual da Zona Oeste (acrônimo UEZO) é uma instituição pública de ensino superior brasileira, legislativamente criado e licitado em 2002 ao final do governo de Anthony Garotinho. A instituição foi criada com o objetivo de atender a demanda de estudantes da Zona Oeste do Rio de Janeiro e de municípios como Itaguaí e Nova Iguaçu e ampliar o desenvolvimento tecnológico e econômico desta região do estado. Foi inaugurado em 2005 no governo de Rosinha Garotinho, e definitivamente emancipada a partir de 2009 em fundação de direito público vinculada à Secretaria Estadual de Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro no governo de Sergio Cabral Filho. Localiza-se em Campo Grande, maior bairro do Rio de Janeiro.


Estrutura acadêmica[editar | editar código-fonte]

O UEZO surge em 2005 com os cursos superiores de análise e desenvolvimento de sistemas, biotecnologia, gestão da construção naval, polímeros e processos metalúrgicos a fim de trazer desenvolvimento região visando principalmente ao porto de Itaguaí. Em 2008, foram abertos mais quatro cursos que passaram a somar reforços para a região, ampliando a visão interna e externa da instituição, hoje uma das universidades de maior relevância no estado do Rio de Janeiro, apesar de seu pouco tempo de vida. Os cursos plenos criados foram de farmácia, engenharia de produção, ciências biológicas e ciência da computação.

Até janeiro de 2009 a UEZO era ligada a Faculdade de Tecnologia do Estado do Rio de Janeiro (FAETERJ), não gozando de autonomia administrativa e financeira, operando na prática como mais uma das unidades da rede FAETEC. A partir dessa emancipação seu vestibular passa a ser pelo mesmo departamento de seleção acadêmica da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), aprimorando o grau de formação média dos seus novos estudantes, e finalmente adotando o sistema de cotas na porcentagem de 30% das vagas. Ocorreu também a fusão do Instituto Superior de Educação da Zona Oeste (ISEZO), então pertencente ao Instituto Superior de Educação do Rio de Janeiro que oferecia o curso Normal Superior, autorizando a instituição a abrir curso de pedagogia em 2010.

Depois de oito anos, o Centro Universitário Estadual da Zona Oeste deixou de viver de favor. Desde que foi inaugurada, em 2005, funcionara de maneira improvisada na Escola Estadual Sarah Kubitschek, em Campo Grande. Entretanto, essa situação mudou, ao ser concluída a construção de parte um campus de 16.000m² a 22.000m² às margens da Avenida Brasil. Com o futuro término construção do campus, haverá mais quatro graduações: de tecnologias em meio ambiente, alimentos, nanotecnologia e recuperação de equipamentos. Com instalações próprias, a Uezo poderá se consolidar como polo tecnológico. A universidade já tem parcerias com a Marinha, a Gerdau e a Nuclebrás Equipamentos Pesados (Nuclep). Dentre as metas, está a de formar mão de obra para engenharia nuclear para o submarino atômico desenvolvido pela Armada e a usina de Angra III.

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

Ministra actualmente o ensino de graduação superior educação tecnológica, e pós-graduação; além de cursos de extensão e pesquisas de ciências e tecnologias nas seguintes áreas: construção naval, offshore, produção siderúrgica, produção de fármacos, produção de polímeros, química dos produtos naturais, tecnologia da informação e tecnologia em biotecnologia.

Faculdades[editar | editar código-fonte]

Mestrados[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre instituição de ensino superior é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.