Usina Hidrelétrica Edgard de Sousa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de UHE Edgard de Souza)
Ir para: navegação, pesquisa
Edgard de Sousa
Barragem Edgard de Souza.jpg

Nome: Edgard de Sousa
Capacidade:  ? MW
Barragem
- Altura  ? m
- Extensão m
Área alagada: km2
Localização: São Paulo - SP
Rio: Tietê
Período de construção: 1899 a 1901
Inauguração: {{{inauguração}}}
Proprietário: Emae
Vertedouros da Barragem

A Usina Hidrelétrica Edgard de Sousa ou Barragem Edgard de Sousa está localizada no Brasil, no município de Santana de Parnaíba, no estado de São Paulo e represa as águas do rio Tietê.

Foi inaugurada em 1901 com a presença do presidente do estado, o Conselheiro Rodrigues Alves, foi a primeira usina hidrelétrica a abastecer a cidade de São Paulo

Construída no rio Tietê, a Usina de Parnahyba (grafia da época) foi a primeira hidrelétrica da Light instalada no Brasil, inaugurada em 23 de setembro de 1901. Localizada no município de Santana do Parnaíba, a capacidade inicial de geração era de 2 megawatts (MW), porém para manter o suprimento de energia, em 1912 foi ampliada para 16MW.

Em razão do grande consumo de água exigido pelas turbinas da Usina de Parnaíba, a Light precisava regularizar a vazão do rio Tietê. A solução encontrada foi a implantação de uma represa em um dos afluentes do rio Pinheiros, o rio Guarapiranga, conhecido como Embu-Guaçu. Assim, foi construído o reservatório Guarapiranga, entrando em operação em 1908, garantindo os recursos hídricos necessários para abastecer Parnaíba.

Em 1949 a Usina de Parnaíba passou a ser denominada Usina Edgard de Souza, em homenagem a um diretor da Empresa na época. Em 1952, deixou de gerar energia e foi transformada em usina elevatória. A partir de então, a função era bombear as águas da parte inferior (jusante) para a superior (montante) do rio Tietê para a geração de eletricidade na Usina de Henry Borden, em Cubatão.

A usina elevatória foi desativada em 1982 para dar lugar a atual Barragem Edgard de Souza. No local foram construídas três comportas de fundo e uma testada de eclusa, com a finalidade de aumentar a capacidade de escoamento do rio Tietê, e assim ajudar a evitar enchentes na cidade de São Paulo. E é esta a função que exerce hoje no complexo hidroenergético da EMAE.

A barragem faz parte do sistema operado pela Empresa Metropolitana de Águas e Energia (EMAE) e prevista para ser reativada em 2011, o que ainda não aconteceu.

Coordenadas geográficas aproximadas da barragem[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]