USS Essex (CV-9)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
USS Essex (CV-9)
USS Essex (CV-9) - Maio de 1943
Carreira   Bandeira da marinha que serviu Estados Unidos
Operador Marinha dos Estados Unidos
Fabricante "Newport News Shipbuilding", Newport News, Virgínia
Data de encomenda 3 de julho de 1940
Batimento de quilha 28 de abril de 1941
Lançamento 31 de julho de 1942 (72 anos)
Comissionamento 31 de dezembro de 1942
Descomissionamento 30 de junho de 1969
Estado Retirado 1 de junho de 1973
Fatalidade Vendido para desmanche
Características gerais
Tipo de navio Navio aeródromo
Classe "Classe Essex"
Deslocamento 36 380 t (80 200 000 lb)
Largura 45 m (148 ft)
Comprimento 266 m (873 ft)
Boca 28 m (91,9 ft)
Calado 10,41 m (34,2 ft)
Propulsão 8x caldeiras
4x turbinas a vapor Westinghouse
4x hélices
150 000 hp (112 000 kW)
Velocidade 33 kn (61,2 km/h)
Autonomia 20 000 m.n. (37 000 km) a 15 kn (27,8 km/h)
Blindagem Cinta: 100 mm (3,94 in)
Hangar: 40 mm (1,57 in)
Topo do leme: 60 mm (2,36 in)
Armamento 4x canhões duplos de 5 in (127 mm)
4x canhões simples de 5 in (127 mm)
8x canhões quádruplos de 40 mm (1,57 in)
46x canhões simples de 20 mm (0,787 in)
Aeronaves 90-100
Tripulação 2600
Notas
Fonte: uscarriers.net[1]

USS Essex (CV-9) é um porta-avião da Marinha dos Estados Unidos da América, navio líder de sua Classe.[2]

O navio entrou em operação, durante a Segunda Guerra Mundial (19391945), recebendo a classificação de "CV" porta-aviões ("Aircraft Carrier"), na Guerra da Coréia após remodelação foi reclassificado como "CVA" porta-aviões para aeronaves de caça ("Attack Aircraft Carrier"), no início da década de sessenta, após nova remodelação passou a atuar como "CVS" porta-aviões especializado em guerra anti-submarina (Anti-Submarine Warfare Carrier).[3]

Construido pelo estaleiro Newport News Shipbuilding and Drydock Company, foi lançado ao mar em 31 de julho de 1942, sendo comissionado em 31 de dezembro de 1942. O capitão Donald B. Duncan foi o seu primeiro comandante.[4]

AF-2S VS-25 CV-9 1951 NAN11-51.jpg

O porta-aviões Essex recebeu a citação presidencial (Presidential Unit Citation)[5] e 13 estrelas de batalha (Battle Star)[6] pelos serviços prestados na Segunda Guerra Mundial, 4 estrelas de batalha e a comenda da Marinha (Navy Unit Commendation)[7] por serviços durante a Guerra da Coréia.[8]

O navio foi descomissionado em 30 de junho 1969 e encaminhado para desmonte em junho de 1975.[2]

O nome Essex é uma homenagem a cidade e condado norte-americano com longa tradição na construção de barcos, localizada no estado de Massachusetts, e aos outros três navios da Marinha Americana que receberam o mesmo nome.[4]

Operações[editar | editar código-fonte]

Segunda Guerra Mundial[editar | editar código-fonte]

avião caça F6F Hellcat (com as asas dobradas) e o avião bombardeio SBD-4 Dauntless
20 de março de 1943

O Essex esteve na na Área da Guerra do Pacífico no período de 31 de agosto de 1943 a 15 de agosto de 1945.[2]

Participou da força tarefa "Task Force 16 (TF 16)" que bombardeou a Minamitorishima (ilha Marcus) em 31 de agosto de 1943. Fazendo parte da "Task Force 14 (TF 14)" participou do ataque a Ilha Wake (5-6 outubro). Como parte da "Task Group 50.3 (TG 50.3)" investiu contra as Ilhas Gilbert e participou da Batalha de Tarawa (18-23 novembro). Após reabastecimento os seus aviões atacarem o Atol Kwajalein (4 dezembro).[2] [9]

Yokosuka D4Y3 (Type 33) "Judy" em mergulho suicida contra o USS Essex (CV-9)
25 de novembro de 1944
Avião kamikaze atinge o USS Essex (CV-9)
25 de novembro de 1944

Juntamente com outros navios da Marinha Norte-Americana participou do ataque ao atol de Truk (17-18 fevereiro de 1944), aonde forma afundados 8 navios da Marinha Imperial Japonesa. Na sequencia a esta operação, na rota para as Ilhas Marianas foi detectado e pesadamente atacado pela aviação japonesa, que não impediu que os seus aviões executassem missões de bombardeamento em Saipan, Tinian e Guam (23 de fevereiro).[2]

Após esta operação o Essex retornou ao porto de São Francisco para a sua unica manutenção em tempo de guerra.

Em seu retorno ao Pacifico fez parte da força tarefa "Task Force 16 (TF 12.1)" juntamente com os porta-aviões USS Wasp (CV-18) e USS San Jacinto (CVL-30) que atacou Minamitorishima (ilha Marcus) (19-20 maio) e a Ilha Wake (23 maio).

Apoiou a ocupação das Ilhas Marianas (10 de junho - 15 de agosto). Ainda no ano de 1944 participou dos ataques as Ilhas Palau (6-8 setembro) e Mindanau (9-10 setembro), Okinawa (10 outubro), Ilha de Formosa (12-14 outubro), Ilhas Leyte (24-25 outubro), retornando então para as Ilhas Carolinas aonde foi reabastecido.[2]

Em 25 de novembro de 1944 o porta-aviões recebeu um ataque suicida de um avião kamikaze japonês. A ponte de comando e o deck de decolagem, sofreram pesados danos, foram feridos 44 marinheiros e mortos 15. O navio após rápidos reparos voltou a operação em meados de dezembro.[10]

O porta-aviões retornou as operações participando da ocupação da ilha de Mindoro nas Filipinas (14-16 dezembro). Em 18 de dezembro esteve ativo no socorro aos sobreviventes do tufão que atingiu a região, ocasionando severos danos a frota norte-americana.[9]

Campanha de Okinawa
20 de maio de 1945

No primeiro mês de 1945, os seus aviões atacaram Formosa, Sakishima, Okinawa, Luzon, Hainan e Hong Kong, e novamente esteve envolvido no socorro a frota, após o tufão ocorrido em 20-21 de janeiro.

Durante o restante da guerra, continuou realizando ataques contra a região de Tóquio (16-17, e 25 de fevereiro), para neutralizar o poderio aéreo do inimigo como na destruição da indústria aeronáutica japonesa. Na sequencia missões contra Iwo Jima e as ilhas vizinhas, e a partir de 23 de março até 28 de maio de 1945 foi utilizado principalmente para apoiar a conquista de Okinawa.

Retornando aos Estados Unidos foi inativado no porto Bremerton, Washington. Em 9 de Janeiro de 1947, o navio foi transferido para a reserva.[2]

McDonnell F2H-2 Banshee fighter
26 de junho de 1951 a 25 de março de 1952 (Guerra da Coréia)

Guerra da Coréia[editar | editar código-fonte]

O porta-aviões já modernizado como "CVA" porta-aviões para aeronaves de caça,[3] esteve presente em três oportunidades durante a Guerra da Coréia (25 de junho de 1950 e 27 de julho de 1953).

Em janeiro de 1951, foi o navio líder da frota de porta-aviões e da força tarefa "Task Force 77 (TF 77)",[11] até que em 16 de setembro de 1951, um avião "McDonnell F2H-2 Banshee fighter" danificado em uma missão combate, na sua tentativa de pouso atingiu outros aviões causando explosões e um incêndio que matou sete tripulantes.[10]

O porta-viões passou por reparos na base de Yokosuka, no Japão. Retornou ao combate em outubro, com missões de ataque ao longo do rio Yalu e no apoio das tropas das Nações Unidas, presentes no conflito. Em dezembro de 1953 foi deslocado para o patrulhamento do Mar da China.[11]

Pós Guerras[editar | editar código-fonte]

[9]

Em janeiro de 1958, a embarcação foi seriamente danificada por um incêndio ocorrido em alto-mar.[10]

Em 28 de maio de 1959, um avião FJ-1 Fury colidiu com o deck de decolagem ocasionado explosões e um incêndio, que matou dois tripulantes, e feriu 21 outros.[10]

Air Task Group Two (ATG-2)
novembro de 1954 a junho de 1955
USS Essex (CV-9)
navegando em mar revolto
1960
Grumman S-2E - Air Group 54 (CVSG-54)
1967

Em novembro de 1966, a 350 milhas de Morehead City, durante um exercício naval, o Essex colidiu com o submarino nuclear norte-americano USS Nautilus (SSN-571). O submarino sofreu pesados danos, e o porta-aviões teve o seu casco rasgado na área de proa, ambas as embarcações retornaram a seus portos com recursos próprios.[10]

Missão Apolo[editar | editar código-fonte]

Em 27 de janeiro de 1967, o porta-aviões encalhou próximo a Porto Rico.[10]

Especificações[editar | editar código-fonte]

O USS Essex (CV-9), após a sua construção em 1942, passou por duas reformas e atualizações nos anos de 1951 e 1956, que alteraram as sua características originais.[4]

construção, 1942 (CV)

tonelagem: 27.100 ton (padrão); 36.380 ton (plena carga)
dimensões (linha d'água): 249,9 x 28,3 x 8,7 metros (plena carga)
dimensões (máxima): 265,8 x 45 metros
velocidade: 32.7 nós
armamento: 4 metralhadoras (torre dupla) e 4 metralhadoras (torre simples) calibre 5"/38; 8 metralhadoras (torre quádrupla) ; calibre 40-mm/56-cal ; 46 metralhadoras (torre simples) calibre 20-mm/70-cal
aviões: 90 (Air Group 9, outubro de 1943)
instalações para pouso e decolagem: 1 pista de pouso, 2 elevadores centrais; sem sistema de catapulta
tripulação: 2.600 aproximado (tripulantes e pessoal de vôo)

reforma e modernização, 1951 (CVA)

tonelagem: 28.200 ton (padrão); 40.600 ton (plena carga)
dimensões (linha d'água): 249,7 x 30,9 x 9,1 metros (plena carga)
dimensões (máxima): 273,7 x 46,3 metros
velocidade: 31.7 (máxima) / 30 (operacional) nós
armamento: 8 metralhadoras (torre simples) calibre 5"/38; 14 metralhadoras (torre dupla) calibre 3"/50
aviões: 70
instalações para pouso e decolagem: 1 pista de pouso, 2 elevadores centrais; duas catapultas hidráulicas
tripulação: 2.900 aproximado (tripulantes e pessoal de vôo)

reforma e modernização, 1956 (CVS)

tonelagem: 30.800 ton (padrão); 41.200 ton (plena carga)
dimensões (linha d'água): 251,3 x 30,8 x 9,2 metros (plena carga)
dimensões (máxima): 271,3 x 59,7 metros
velocidade: 32.0 (máxima) / 30,3 (operacional) nós
armamento: 7 metralhadoras (torre simples) calibre 5"/38; 4 metralhadoras (torre dupla) calibre 3"/50
aviões: 70
instalações para pouso e decolagem: 1 pista de pouso, 2 elevadores centrais; duas catapultas hidráulicas
tripulação: 2.300 aproximado (tripulantes e pessoal de vôo)

Notas e referências[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Commons Imagens e media no Commons

Ligações externas[editar | editar código-fonte]