USS Princeton (CVL-23)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
USS Princeton (CVL-23)
1943
USS Princeton (CVL-23)
USS Princeton (CVL-23).jpg
Batimento da quilha 2 de junho de 1941
Lançado ao mar 18 de outubro de 1942
Comissionamento 25 de fevereiro de 1943
Situação Afundou em 24 de outubro de 1944, após ataque aéreo de aviões japoneses
Estaleiro "New York Shipbuilding Corp.", Camden, Nova Jersey
USS Princeton (CVL-23) launching.jpg
Comprimento 622,5 pés (189,6 m)
Boca 71,5 pés (21,8 m)
Largura da pista de pouso 109 pés (33,3 m)
Calado 26 pés (7,9 m)
Deslocamento 11.000 toneladas
Velocidade 31 nós
Aviões 45
Tripulação 1.569
Armamento 22 canhões de 40mm; 16 canhões de 20mm
Classe "Classe Independence"

USS Princeton (CVL-23) é um porta-aviões da Marinha dos Estados Unidos participante da Guerra do Pacífico , na II Guerra Mundial, afundado em outubro de 1944 durante a Batalha do Golfo de Leyte.

História[editar | editar código-fonte]

Lançado ao mar em Nova Jérsei em 18 de outubro de 1942, o Princeton integrou-se à frota americana no Pacífico em julho de 1943. Durante um ano e meio, participou das mais importantes batalhas pela reconquista dos territórios ocupados pelo Japão, integrando as forças-tarefas norte-americanas que atuaram em Tarawa, Rabaul, Kwajalein, Ilhas Carolinas, Ilhas Marianas e no Mar das Filipinas.

Em outubro de 1944, o Princeton tomou parte no apoio naval à invasão de Leyte pelas tropas americanas, contra a aviação japonesa baseada em terra nas ilhas das Filipinas, onde seus aviões bombardearam aeródromos e instalações militares e portuárias. Às 10:00 de 24 de outubro, ele se encontrava ao largo de Luzon quando sofreu um ataque aéreo japonês. O último dos caça-bombardeiros de mergulho da última série de aviões atacantes acertou uma bomba entre os elevadores do porta-aviões, destruindo parte do convés e do hangar de bordo.

Tomado por incêndios e explosões, a tripulação lutou por mais de sete horas contra o fogo na belonave, apoiada por outros navios da esquadra que resgatavam tripulantes e combatiam o incêndio com mangueiras, sendo obrigada a abandoná-la após uma grande explosão em seus paióis que também devastou o cruzador USS Birmingham (CL-62), que a seu lado tentava conter o incêndio.

As cinco da tarde, a belonave abandonada e incendiada começou a ser torpedeada pelos próprios destróieres americanos. As 17:50 uma grande explosão final, que lançou destroços a mais de 300 m de altura, anunciou o fim do Princeton, que desapareceu no mar em meio a grandes colunas de fumaça, levando em seu bojo o corpo de 10 oficiais e 98 marinheiros.

Nome[editar | editar código-fonte]

Dois porta-aviões, de um total de seis navios na história da marinha norte-americana, já tiveram ou tem o nome USS Princeton, atualmente batiza um cruzador de batalha sendo cada um deles precisamente identificados por seu código naval.

Notas e referências[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre USS Princeton (CVL-23)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Galeria[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre tópicos navais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.