Umbilicus rupestris

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaUmbigo-de-vénus
Umbilicus rupestris em flor, na Nazaré, Portugal. A flor pode tomar uma coloração vermelha com a luz do sol.

Umbilicus rupestris em flor, na Nazaré, Portugal. A flor pode tomar uma coloração vermelha com a luz do sol.
Classificação científica
Reino: Plantae
Divisão: Spermatophyta
Classe: Magnoliopsida
Subclasse: Hamamelididae
Ordem: Saxifragales
Família: Crassulaceae
Género: Umbilicus
Nome binomial
Umbilicus rupestris
(Salisb.) Dandy
Sinónimos
Umbilicus gaditanus
Umbilicus neglectus
Cotyledon rupestris Salisb.
Cotyledon umbilicus L.
Cotyledon umbilicus-veneris Houtt.
Umbilicus pendulinus DC.
Cotyledon umbilicus Britten


Cotyledon umbilicus-veneris auct. non L.

Umbilicus rupestris é uma planta conhecida vulgarmente como bacelos, bifes, cachilro, chapéus-de-parede, cauxilhos, chapéu-dos-telhados, cochilros, conchelos, copilas, couxilgos, orelha-de-monge, sombreirinho-dos-telhados e umbigo-de-vénus[1] . É uma planta com flor, carnuda, perene, da família das Crassuláceas.

Os umbigos-de-vénus podem atingir os 30 cm de altura[2] . Os rácimos de flores campaniformes, de cor pálida rosa-esverdeada começam a aparecer em Maio, e os frutos, verdes, amadurecem ao longo do Verão.

Detalhe de Umbilicus rupestris perto de Stirling, Escócia.

Tanto o nome vernáculo, "umbigo-de-vénus" como o nome científico do género "Umbilicus" devem-se à forma arredondada das folhas, com uma depressão semelhante a um umbigo no centro. A planta encontra-se por toda a Europa meridonal e ocidental, particularmente na região mediterrânica, sendo frequente em muros e paredes onde haja sombra ou em fendas húmidas de superfícies rochosas onde poucas mais plantas se conseguem desenvolver. Daí o termo "chapéu-de-parede" onde se denota o seu habitat preferencialmente rupícola e ruderal[1] onde as suas folhas se desenvolvem em forma de roseta .

A planta é por vezes usada para acalmar dores em feridas, aplicando a folha sobre a pele depois de remover a cutícula inferior da planta.

Não é, actualmente, considerada uma planta ameaçada.[3]

Uso medicinal[editar | editar código-fonte]

Umbilicus rupestris em floração, em Instow, North Devon.

Devido ao nome vulgar em inglês ("pennywort"), há quem confunda esta planta com outra, com o mesmo nome vulgar, designada cientificamente como Centella asiatica e que é muito usada na medicina asiática.

A planta que é objecto deste artigo, contudo, é utilizada em medicina homeopática. Os homeopatas preferem referir-se a ela como Cotyledon umbilicus, já que era este o seu nome científico quando a homeopatia foi desenvolvida.

Nicholas Culpepper refere-se a uma planta designada como "kidneywort" ( possível nome desta planta em inglês) no seu livro "The English Physician", de 1653, ainda que, provavelmente se estivesse a referir à espécie Anemone hepatica, sem qualquer relação com esta. Culpepper utilizou a astrologia, mais que a ciência, para classificar as plantas que estudava, pelo que não pode ser considerado como fonte fiável. A certa altura reclama: "o suco ou água dela destilada, ao ser bebida, tem efeitos notáveis no tratamento de todas as inflamações e febres não naturais, de modo a acalmar estômagos e fígados inflamados, bem como os intestinos: a planta, suco, ou água dela destilada, poderá, por conseguinte, e se aplicada exteriormente, curar borbulhas, fogo de santo antónio, entre outras inflamações externas. O referido suco ou água ajuda a curar rins doridos, lacerados, que sofram de pedra ou ulcerados no interior; provoca a produção de urina, útil para inchaços, e quebra a pedra. Usada em banhos ou como unguento, pode acalmar achaques de hemorróidas. Não é menos efectiva no tratamento das dores da gota, da ciática, bem como nos nós de garganta ou escrófulas, conhecidas como mal do rei: no tratamento de frieiras, mesmo que ulceradas, lavando-as com o suco ou cobrindo-as com o unguento a partir dele feito, colocando também uma parte da película inferior da folha sobre elas: é também usado em feridas recentes para estancar o sangue e cicatrizá-las rapidamente.."

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b Flora Digital de Portugal. aguiar.hvr.utad.pt. Página visitada em 2010-11-14.
  2. Pfaf Plant Search. www.pfaf.org. Página visitada em 2010-11-17.
  3. [1] Lockton, A.J. (2009-12-05). Species account: Umbilicus rupestris. Botanical Society of the British Isles, http://www.bsbi.org.uk
Commons
O Commons possui multimídias sobre Umbilicus rupestris