Un cuento chino

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Um Conto Chinês
Um Conto Chinês (BR)
 Argentina  Espanha
2011 • cor • 93 min 
Direção Sebastián Borensztein
Produção Pablo Bossi
Gerardo Herrero
Juan Pablo Buscarani
Roteiro Sebastián Borensztein
Elenco Ricardo Darín
Muriel Santa Ana
Ignacio Huang
Iván Romanelli
Gênero Comédia
Idioma Espanhol
Mandarim
Música Lucio Godoy
Direção de arte Valeria Ambrosio
Laura Musso
Direção de fotografia Rolo Pulpeiro
Diretor de ação Alejandro Valente
Juan Elías
Figurino Cristina Menella
Cinematografia Fernando Pardo
Edição Pablo Barbieri
Estúdio Pampa Films
Tornasol Films
Telefe
Lançamento Argentina 24 março 2011
Espanha 17 junho 2011
Brasil 2 setembro 2011
Portugal 24 maio 2012
Orçamento US$ 5.000.000 (estimado)
Site oficial
Página no IMDb (em inglês)

Un cuento chino (Um Conto Chinês (título no Brasil) ) é um filme argentino de 2011, dirigido por Sebastián Borensztein e protagonizado por Ricardo Darín, Muriel Santa Ana e Ignacio Huang. Foi filmado na Argentina e Espanha, com locações em Buenos Aires e cenas internas na Ciudad de la Luz (Alicante).

O filme atraiu mais de um milhão de espectadores aos cinemas argentinos[carece de fontes?] e levou o prêmio de melhor filme e prêmio do público no Festival de Cinema de Roma, além do prêmio de melhor filme hispanoamericano nos Premios Goya 2011.[1]

Enredo[editar | editar código-fonte]

Roberto é um veterano da Guerra das Malvinas. Sua vida paralisou há vinte anos por causa de um duro golpe do destino e desde então vive recluído em sua casa, sem quase nenhum contato com o mundo, até que um estranho evento o desperta e o traz de volta à vida. Esta comédia é a história do encontro de Roberto e um chinês chamado Jun que está perdido na cidade de Buenos Aires em busca do único familiar que tem vivo, um tio que emigrou para Argentina.

Roberto e Jun se encontram no momento em que Jun é jogado na rua do interior de um táxi, depois de ter sido assaltado pelo motorista. Jun cai junto aos pés de Roberto e a partir deste momento começa uma forçada e estranha convivência entre ambos, pois Roberto não fala chinês e Jun não fala espanhol.

Roberto tenta deixar Jun em uma delegacia e depois na embaixada da China, mas ninguém quer recebê-lo e apesar de Roberto não poder conviver com ninguém porque é um ermitão cheio de manias obsessivas, decide levá-lo para sua casa pois não tem coragem de deixá-lo abandonado na rua como um cachorro. Começa assim uma convivência forçada, uma vez que Roberto tenta tudo o que está ao seu alcance para tentar se livrar de Jun. A convivência traz um sem fim de complicações para Roberto o que gera situações de muito humor.

Mas o que Roberto ignora é que ele e Jun estão unidos por um estranho destino desde antes de se conhecerem, e ao descobri-lo ambos modificam definitivamente suas vidas. Roberto vive marcado pelo sofrimento de haver regressado da guerra e descobrir que seu pais haviam morrido durante sua ausência. Por sua vez, Jun é um rapaz que sofreu uma estranha tragédia na China na qual sua noiva perde a vida e ao ficar sozinho no mundo decide viajar até a Argentina com o objetivo de reencontrar com um tio que foi viver ali.

A convivência entre Roberto e Jun os mostrará que dois homens muito diferentes, provenientes das antípodas do mundo e de culturas distintas podem ser praticamente almas gêmeas unidas por um estranho destino comum que ambos ignoram mas descobrirão com o desenrolar da história. E nesta relação de ambos conhecerão o verdadeiro caminho da resolução de seus problemas.

Elenco[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. EFE (19 de fevereiro de 2012). "Un cuento chino", se impuso como la mejor película iberoamericana en los Premios Goya (em espanhol) La Tercera. Visitado em 21 de fevereiro de 2012.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um filme é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.