Universidade Federal Fluminense

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
UFF
Universidade Federal Fluminense
UFF brasão.png
Lema Discere, docere, seminare (Aprender, ensinar e semear)
Fundação 18 de dezembro de 1960 (53 anos)
Tipo de instituição Pública, federal
Docentes 2.852 (em 2009)[1]
Total de estudantes 50.158 (em 2011)[1]
Graduação 38.483 (em 2011)[1]
Pós-graduação 11.675 (em 2011)[1]
Reitor(a) Sidney Luiz de Matos Mello
Vice-reitor(a) Antonio Claudio Lucas da Nóbrega
Estado Rio de Janeiro
Afiliações CRUB, RENEX[2]
Página oficial www.uff.br
Logo UFF (blue).svg
Instituições de ensino superior do Brasil Brasil

A Universidade Federal Fluminense (UFF) é uma instituição pública de Ensino Superior com sede em Niterói, no Estado do Rio de Janeiro. Foi criada pela Lei nº 3.848, de 18 de dezembro de 1960, com o nome de Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, com a sigla UFERJ, a partir da integração de faculdades no município de Niterói. A Lei nº 4.831, de 5 de novembro de 1965, oficializou o nome atual, Universidade Federal Fluminense.

É considerada um dos principais centros de excelência no Brasil, com diversos cursos recebendo conceitos máximos no Provão e no Enade[3] . A UFF figura entre as 15 melhores universidades da América Latina[4] , segundo pesquisa recentemente publicada pelo "Webometrics Ranking of World Universities", o maior instituto público de pesquisas da Espanha, órgão ligado ao Ministério da Educação. No estado do Rio de Janeiro, figura em 2º lugar nesta pesquisa, à frente da UERJ, UNIRIO e UFRRJ e ocupando também o 11º lugar no ranking nacional[5] . De acordo com o Censo da Educação Superior 2009, realizado pelo Ministério da Educação, a UFF passou a ser, em número de matrículas presenciais de ensino de graduação, a décima sexta maior universidade, a sexta maior universidade pública e a terceira maior federal do país[6] .

História[editar | editar código-fonte]

Biblioteca da UFF.

A UFF foi criada em 1960, com o nome de Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UFERJ). Originou-se da incorporação de cinco faculdades federais já existentes em Niterói (Direito, Medicina, Odontologia, Farmácia e Veterinária) e três escolas estaduais (Engenharia, Serviço Social e Enfermagem) e agregação de duas faculdades particulares (Filosofia e Ciências Econômicas), posteriormente federalizadas e incorporadas, tendo seu nome atual, Universidade Federal Fluminense, homologado pela Lei nº 4.831, de 5 de dezembro de 1965.

De início a vida institucional da recém-criada universidade foi conturbada por uma acirrada luta pelo poder, em parte devido à heterogeneidade de sua formação e pela indefinição estatutária. Com a instauração do governo militar no país, a UFF se acomodou estruturalmente ao modelo imposto pela Lei nº 5.540/68, que impôs constituição interna às unidades de departamentos e agregação das unidades em centros temáticos. Com relação às finalidades, aquela que tradicionalmente recebeu demanda na UFF foi a do ensino, o que não a diferenciava das demais universidades brasileiras, incumbidas de formar recursos humanos para o desenvolvimento do país, profissionalizando-os. À pesquisa coube um papel mais formal. À extensão couberam funções diversas, contextualizadas ao sabor de políticas internas e externas. O estatuto da universidades foi aprovado pelo Conselho Federal de Educação em 1969.

Em 1977 o trecho sul do Aterro da Praia Grande, uma área aterrada na parcela litorânea de Niterói dentro da Baía de Guanabara, foi desapropriada pelo Governo Federal para a construção do Campus da Universidade Federal Fluminense, onde até então as suas várias faculdades estavam dispersos pela cidade - constituindo assim os atuais Campus do Gragoatá e Campus da Praia Vermelha.

Na década de 1990 a UFF expandiu sua estrutura e passou oferecer novos cursos em campi por vários municípios do interior do estado do Rio de Janeiro. Paulatinamente a partir desses cursos foram sendo constituídos novos departamentos e faculdades. Na década de 2000, essas unidades interiorizadas passaram a transformar-se em Polo Universitários da UFF. Simultaneamente, nesta mesma década, os quatro centros universitários temáticos criados a partir do estatuto de 1969(Centro de Ciências Médicas - CCM, Centro de Estudos Gerais - CEG, Centro Tecnológico - CTC, Centro Estudos Sociais Aplicados - CES) foram extintos.

A Universidade[editar | editar código-fonte]

Localização[editar | editar código-fonte]

A sede e a maioria das unidades da UFF localizam-se na cidade fluminense de Niterói, a cidade com melhor qualidade de vida do estado[7] . Além de Niterói, a instituição possui unidades acadêmicas em diversos municípios do interior do Rio de Janeiro, sendo a universidade federal mais interiorizada do país.

Faz também parte do convênio mantenedor do Cederj, que ministra diversos cursos superiores semi-presenciais através de polos localizados por todo o estado.

A vasta distribuição de unidades da UFF pela pequena Niterói a transforma em quase uma cidade universitária. As unidades da universidade distribuidas pela antiga capital fluminense são os campi do Gragoatá, no bairro de São Domingos; do Valonguinho, bem no centro da cidade; e da Praia Vermelha, no bairro de Boa Viagem; a Faculdade de Direito e o Instituto de Artes e Comunicação Social situados no Ingá; a Faculdade de Veterinária em Vital Brazil e a de Farmácia em Santa Rosa. Outras unidades presentes na Terra de Araribóia são a Reitoria e o Hospital Universitário Antônio Pedro, nos bairros Icaraí e Centro.

No interior do estado a UFF tem unidades em Rio das Ostras (onde se situa o PURO - Polo Universitário de Rio das Ostras), Macaé (onde há cursos de Administração, Ciências Contábeis e Direito), Volta Redonda (onde se situam a Escola de Ciências Humanas e Sociais de Volta Redonda - ECHS, a Escola de Engenharia Industrial e Metalúrgica - EEIMVR, e o Instituto de Ciências Exatas - ICEx, que formam o Polo Universitário de Volta Redonda), Nova Friburgo (onde se situa a Faculdade de Odontologia de Nova Friburgo - FONF, recém-federalizada), Angra dos Reis (Pólo Prof. Jair Travassos), Campos dos Goitacazes (o Instituto de Ciências da Sociedade e Desenvolvimento Regional) e Santo Antonio de Pádua (licenciatura em matemática, fisica, ciências, informática e pedagogia).

Estrutura[editar | editar código-fonte]

Uff.jpg

Atualmente, a UFF é constituída por 32 unidades de Ensino (16 institutos, 11 faculdades, 6 escolas, 1 colégio de aplicação), quatro polos no interior, 27 polos de educação a distância, uma unidade avançada em Oriximiná/PA, um núcleo experimental em Iguaba Grande e uma fazenda-escola em Cachoeiras do Macacu. São ao todo 94 departamentos de ensino e 27 polos de educação a distância. Na pós-graduação são 30 de doutorado, 43 de mestrado, 5 mestrados profissionalizantes e 131 cursos de pós-graduação lato sensu (especialização) [8] . São 35.599 estudantes de graduação, dos quais 29.213 em cursos presenciais e 6.386 em cursos a distância.

Ao todo, 10,5 mil estudantes recém-aprovados para mais de 136 cursos de graduações, espalhados no campus de Niterói e de outros nove municípios do Estado e a previsão para 2015 é que sejam 11,2 mil vagas. Atualmente a Universidade de São Paulo (USP) conta com 58 mil estudantes de graduação contra 49 mil da UFF. Para dar conta de todo esse contingente de alunos, a UFF possui 2.960 docentes, sendo 2.074 doutores e 717 mestres, dos quais 2.370 estão em regime de dedicação exclusiva e 121 em regime de 40 horas. Além disso, possui 4.695 servidores técnico-administrativos, 4.166 alunos de pós-graduação [9] .

A universidade possui ainda uma instituição de ensino básicosecundário vinculada, que serve de campo de pesquisa e prática a seus graduandos e pós-graduandos, o Colégio Universitário Geraldo Reis - COLUNI. Até 2008 a UFF possuía dois colégios agrícolas (Colégio Agrícola Nilo Peçanha - CANP, no município de Pinheiral, e o Colégio Técnico Agrícola Ildefonso Bastos Borges - CTAIBB, em Bom Jesus do Itabapoana) transferidos ao Instituto Federal Fluminense[10] .

Fazem parte da estrutura acadêmica duas Bibliotecas Centrais e 26 setoriais, a Coordenação de Arquivos, antigo Arquivo Central localizado no bairro de Charitas, o hospital universitário (Hospital Universitário Antônio Pedro - HUAP) com 276 leitos, o laboratório universitário (Laboratório Universitário Rodolfo Albino - LURA), a Farmácia Universitária, o Espaço UFF de Ciências, o Centro de Assistência Jurídica (CAJUFF), a Policlínica Odontológica, o Hospital Veterinário, o Serviço de Psicologia Aplicada, a Creche UFF, Dispensário-Escola Mazzini Bueno, o Núcleo Experimental de Iguaba Grande, a Fazenda-Escola (Cachoeira de Macacu), a Unidade Avançada José Veríssimo (localizada em Oriximiná, no Estado do Pará) e a Emissora Universitária Unitevê.

O Centro de Artes UFF, centro cultural organizado e mantido pela Universidade Federal Fluminense localizado no prédio da Reitoria da UFF, na Rua Miguel de Frias no. 9, bairro de Icaraí, na cidade de Niterói. Em seu conjunto de espaços, formando o mais completo centro cultural da cidade, reunindo Galeria de Arte UFF (galeria de artes plásticas), Espaço UFF de Fotografia (galeria de fotografia), Espaço Aberto UFF (instalações e workshops), Cine Arte UFF (sala de cinema) e Teatro da UFF (teatro, dança e música). O Centro de Artes UFF realiza exposições, shows, concertos, ciclos cinematográficos, peças teatrais e apresentações diversas visam promover uma interação artístico-cultural da UFF com a comunidade. Há periodicamente festivais de cinema, dança, música. A UFF possui a Orquestra Sinfônica Nacional (OSN-UFF) , um quarteto de cordas e um quinteto de música antiga.

No total, a UFF possui em torno de 150 edificações - sendo aproximadamente 100 destas localizadas em Niterói -, 349 laboratórios, 437 salas de aula, nove anfiteatros. Além das edificações, existem também, áreas destinadas a esportes, que abrangem um total de 92.792,91 metros quadrados, distribuídos no Campi, possuindo também um total de 5.018.422,00 metros quadrados de área urbanizada.

Administração da Universidade[editar | editar código-fonte]

Para administrar cerca de R$ 1,5 bilhão em despesas correntes (ano de referência 2014) a UFF é administrada por órgãos superiores executivos e colegiados[11] . Os órgãos superiores executivos são a Reitoria - com o Reitor e o Vice-reitor - assessorado pelas Pró-Reitorias, Superintendências e diretores e chefes de Departamentos e Núcleos administrativos e Assessorias. Além do Gabinete do Reitor e da Prefeitura Universitária (PREUNI) há as Pró-Reitorias, que são a Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (PROAES), de Pós-Graduação, Pesquisa e Inovação (PROPPi), de Planejamento (PROPLAN), de Extensão (PROEX), de Graduação (PROGRAD) e de Gestão de Pessoas (PROGEPE). As Superintendências são de Comunicação Social (SCS), de Arquitetura e Engenharia (SAEN), de Documentação (SDC) e de Tecnologia da Informação (STI).

Os órgãos superiores colegiados são os Conselhos Superiores, que na UFF são três: o Conselho Universitário (CUV), o mais importante dos três e cuida dos assuntos políticos-institucionais e administrativos; o Conselho de Ensino e Pesquisa (CEP), que cuida dos assuntos políticos-pedagógicos; e o Conselho de Curadores (CUR), que cuida do acompanhamento financeiro e fiscalização.

Nas unidades universitárias - Institutos, Faculdades e Escolas - a administração é exercida pela Direção da unidade, dividida por um diretor e um vice-diretor, e pelo Colegiado da unidade. Há ainda o Chefe de Departamento e a Plenária do Departamento, e, no plano dos cursos de graduação e programa de pós-graduação, há a Coordenação de Curso ou de Programa, com o respectivo Colegiado de Curso ou de Programa.

Unidades[editar | editar código-fonte]

  • Escola de Arquitetura e Urbanismo
  • Escola de Ciências Humanas e Sociais (ECHS) do Polo Universitário de Volta Redonda
  • Escola de Enfermagem
  • Escola de Engenharia
  • Escola de Engenharia Industrial Metalúrgica de Volta Redonda
  • Escola de Serviço Social
  • Faculdade de Administração, Ciências Contábeis e Turismo
  • Faculdade de Direito
  • Faculdade de Economia
  • Faculdade de Educação
  • Faculdade de Farmácia
  • Faculdade de Medicina
  • Faculdade de Nutrição
  • Faculdade de Odontologia
  • Faculdade de Odontologia do Polo Universitário de Nova Friburgo
  • Faculdade de Veterinária
  • Faculdade Federal de Rio das Ostras do Polo Universitário de Rio das Ostras
  • Instituto Biomédico
  • Instituto de Arte e Comunicação Social (IACS)
  • Instituto de Biologia
  • Instituto de Ciências da Sociedade e Desenvolvimento Regional - Pólo Universitário de Campos dos Goytacazes
  • Instituto de Ciências Exatas (Icex) do Polo Universitário de Volta Redonda
  • Instituto de Ciências Humanas e Filosofia (ICHF)
  • Instituto de Computação
  • Instituto de Educação de Angra dos Reis
  • Instituto de Educação Física e Desportos
  • Instituto de Estudos Estratégicos
  • Instituto de Física
  • Instituto de Geociências
  • Instituto de Letras
  • Instituto de Matemática e Estatística
  • Instituto de Química
  • Instituto de Saúde da Comunidade
  • Instituto do Noroeste Fluminense de Educação Superior em Santo Antônio de Pádua
  • Unidade de Ciência e Tecnologia do Polo Universitário de Rio das Ostras

Aspectos educacionais[editar | editar código-fonte]

Piscina perto da faculdade de educação física da UFF.

Em dezembro de 2005 a UFF contava, no ensino superior, com 2.078 docentes em seu quadro permanente (54 % doutores, 30 % mestres, 9 % com pelo menos uma especialização e os 7% restantes apenas graduados).[12] . Com a constante contratação de novos professores, em 2009 esse número chegou a 2.852 (quadro efetivo).

Em 2002 corpo técnico-administrativo contava com 4.187 servidores em seu quadro permanente, sendo 1.263 de nível superior, 2.556 de nível médio e 368 de apoio, sendo esse número de 4.005 em dados de 2009. O corpo discente é formado por 35.599 alunos de graduação, sendo 29.213 de cursos presenciais e 6.386 à distância, 11.675 alunos de pós-graduação, sendo 1.328 em doutorados, 2.253 em mestrados acadêmicos, 449 em mestrados profissionalizantes, 7.500 em especializações e MBAs e 145 em residência médica[13] .

A instituição é uma das mais renomadas do país ocupando, em janeiro de 2011, o posto de 20ª instituição em excelência de ensino da América Latina, 14ª do Brasil e 2ª do Estado do Rio.[14]

Os campi da UFF[editar | editar código-fonte]

Prédio a ser construído dentro do campus do Gragoatá.

No município de Niterói (campus sede):

Em outros municípios:

Reformas nos campi[editar | editar código-fonte]

Está em andamento na universidade a reformulação dos três principais campi do Gragoatá, Praia Vermelha e Valonguinho, que inclui a realocação de algumas unidades[15] :

  • Instituto de Biologia será construído no Campus do Gragoatá;
  • Instituto de Artes e Comunicação Social terá sua nova sede no Campus do Gragoatá;
  • Instituto de Química será construído no Campus da Praia Vermelha;
  • Instituto de Matemática será levado para o Campus da Praia Vermelha;
  • Será construída uma Biblioteca Central do Campus da Praia Vermelha e uma restaurante universitário;
  • As unidades universitárias abrigadas no Campus do Centro de Ciências Médicas serão levadas para o espaço vago no Campus do Valonguinho com as transferências para os campi do Gragoatá e Praia Vermelha.

Cursos oferecidos[editar | editar código-fonte]

Atualmente são 136 cursos de graduações, espalhados nos campi de Niterói e de outros nove municípios do Estado e a previsão para 2015 é que sejam 11,2 mil vagas - na comparação a Universidade de São Paulo (USP) conta com 58 mil estudantes de graduação contra 49 mil da UFF[16] . Nos últimos 10 anos, a UFF avançou na intensificação da interiorização da universidade no estado do Rio, com cursos de graduação presenciais em Angra dos Reis (2);Campos dos Goytacazes (9); Itaperuna (1); Macaé (3); Miracema (1); Nova Friburgo (3); Rio das Ostras (7); Santo Antônio de Pádua (6) e Volta Redonda (13)[17] .

Personalidades[editar | editar código-fonte]

Presidentes do Brasil

  • Paschoal Ranieri Mazzili (1910-1975) - Advogado e político. Foi eleito deputado federal pelo Partido Social Democrático (PSD) de São Paulo (1951-1966). Foi presidente da Câmara dos Deputados (1959-1965) e, nessa condição, assumiu a Presidência da República por duas vezes, a primeira quando da renúncia de Jânio Quadros em 1961, a segunda após o golpe militar que depôs Joao Goulart em 1964. Bacharel em Direito pela Faculdade de Direito de Niterói (UFF).

Governadores de Estado

  • Roberto Silveira (1923-1961) - Político, Bacharel em Direito pela Faculdade de Direito de Niterói. Ex-governador do Estado do Rio de Janeiro (1959-1961).
  • Celso Peçanha (1916-?) - Político, Bacharel em Direito pela Faculdade de Direito de Niterói. Ex-governador do Estado do Rio de Janeiro (1961-1962).
  • Badger da Silveira (1916-1999) - Político. Ex-Governador do Rio de Janeiro.
  • Geremias Fontes (1930-2010) - Político e advogado. Bacharel em Direito pela Faculdade de Direito de Niterói (1954). Governador do Rio de Janeiro (1967-1971).
  • João de Seixas Dória, conhecido como Seixas Dória (1917-2012) - Político e advogado. Governador de Sergipe (1963-1964). Bacharel em Direito pela Faculdade de Direito de Niterói em 1946.
  • Jorge Lacerda (1914-1958) - Político. Bacharel em Direito pela Faculdade de Direito de Niterói. Foi Governador de Santa Catarina (1956-1958).
  • Afonso Cláudio de Freitas Rosa (1859-1934) - Advogado, político, ex-docente da Faculdade de Direito de Niterói. Participou ativamente do movimento republicano e, quando da Proclamação da República, foi escolhido primeiro governador do estado do Espírito Santo, nomeado em 20 de novembro de 1889, exercendo o governo até 7 de janeiro de 1890. Foi Presidente do Tribunal de Justiça do Espírito Santo.
  • José Carlos de Matos Peixoto (1884-1976) - Advogado e político. Ex-docente da Faculdade de Direito de Niterói. Ex-governador do Ceará (1928-1930).
  • Abel Sauerbronn de Azevedo Magalhães (1881-1969) - Juiz e político. Dirigiu a Faculdade de Direito de Niterói, da qual foi um dos fundadores. Pertenceu à Academia Fluminense de Letras, ao Instituto dos Advogados Fluminenses e à Associação dos Magistrados Brasileiros. Enquanto exercia o cargo de presidente do Tribunal Regional Eleitoral, foi nomeado interventor federal no estado do Rio de Janeiro em 6 de novembro de 1945, função que desempenhou até 10 de fevereiro de 1946.
  • Miguel Couto Filho (1900-1969) - Ex-governador do Rio de Janeiro (1954 a 1958).

Prefeitos

  • Cesar Maia (1945-) - Político e economista. Ex-professor da UFF, ex-prefeito do Rio de Janeiro.
  • Celso Pitta (1946-2009) - Economista e político. Foi prefeito de São Paulo. Graduado pela Universidade Federal Fluminense.
  • Péricles Olivier de Paula (1938-) - Engenheiro e político. Foi eleito prefeito de Itaperuna no ano de 1988 e reeleito em 1997 e 2000, atualmente e o primeiro suplente do Senador Francisco Dornelles (RJ). Formado em Engenharia Civil pela UFF.

Ministros de Estado e Embaixadores

  • Wellington Moreira Franco (1944-) - Político. Ex-prefeito de Niterói, Ex-governador do Rio de Janeiro e ministro-chefe da Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República. Antes de iniciar a carreira política foi professor de Sociologia da Faculdade de Economia da Universidade Federal Fluminense.
  • Celso Barroso Leite (1917-2009) - Advogado e político. Ex-Ministro da Previdência Social (1967), também exerceu a função de Diretor de Departamento Nacional de Previdência Social. Bacharel em Direito pela Faculdade de Direito de Niterói (1939). Aposentou-se em 1968 e foi contratado pela OIT – Organização Internacional do Trabalho para estruturar o Sistema de Previdência Social da Angola na África.
  • João Augusto de Araújo Castro (1919-1975) - Jurista e diplomata. Bacharel em Direito pela Faculdade de Direito de Niterói (1941). Ex-Ministro das Relações Exteriores (1963-1964). Foi embaixador do Brasil na ONU em 1968. Foi embaixador do Brasil em Washington em 1971.
  • Brígido Fernandes Tinoco (1910-?) - Político. Ex-docente da Faculdade de Direito de Niterói. Bacharel em Direito pela Faculdade de Direito de Niterói. Ex-Ministro da Educação e Cultura do Brasil (1961).
  • Válder de Lima Sarmanho (1901-1987) - Advogado, político e diplomata. Bacharel em Direito pela Faculdade de Direito de Niterói. Foi Presidente do BNDES (1953-1955). Foi membro do Gabinete Civil da Presidência da República de 1930 a 1939, embaixador do Brasil no Uruguai de 1958 a 1963, e no Peru, de 1963 a 1964. Foi Consul Geral do Brasil em Nova York.
  • Carlos Alves Moura (1940-) - Advogado, político. Bacharel em Direito pela Faculdade de Direito da UFF (1962). Foi Presidente da Fundação Palmares. É Assessor Especial da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial da Presidência da República.

Membros do Poder Legislativo

  • Alfredo da Silva Neves (1887-1975) - Médico e político. Deputado estadual entre 1923 e 1926 e deputado federal entre 1927 e 1930. Eleito Senador pelo Estado do Rio, em 1946, exercendo o cargo até 1955. Lecionou na Faculdade de Medicina de Niterói (UFF).
  • Marcelo Freixo (1967-) - Deputado Estadual do Rio de Janeiro, graduado em História pela UFF. Ganhou notoriedade internacional por sua atuação no combate às milícias do Rio de Janeiro, servindo de inspiração ao filme Tropa de Elite 2.
  • Daniel Filmus (1955-) - Senador da República da Argentina. Ex-Ministro da Educação da Argentina.
  • Emival Ramos Caiado (1918-2004) - Político, advogado. Bacharel em Direito pela Faculdade de Direito de Niterói. Senador (1971 - 1974).
  • Filinto Müller (1900-1973) - Político e militar. Foi General do Exército e Senador da República em 1947, 1954, 1962 e 1970. Bacharel em Direito.


Membros do Poder Judiciário

  • Geraldo Montedônio Bezerra de Menezes (1915-2002) - Criador da atual Justiça do Trabalho. Magistrado e Procurador. Ex-Ministro e Presidente do Tribunal Superior do Trabalho, ex-Diretor e catedrático da Faculdade de Direito de Niterói (atual UFF). Bacharel em Direito pela Faculdade de Direito de Niterói (1936). Foi Procurador e Presidente do antigo Conselho Nacional do Trabalho. Participou da elaboração do decreto-lei 9797/1946 que extinguiu os Conselhos Nacional e Regionais do Trabalho – então vinculados ao Poder Executivo, criou os Tribunais Superior e Regionais do Trabalho, integrando a Justiça do Trabalho ao Poder Judiciário.
  • Waldemar Zveiter (1932-) - Advogado, ex-docente da Faculdade de Direito de Niterói (UFF), ex-ministro do STJ.
  • Galdino Siqueira (1872-1961) - Jurista, autor de anteprojeto de Código Penal na década de 1910, Promotor do caso do assassinato do Senador José Gomes Pinheiro Machado naquela década e Professor Catedrático da Cadeira de Direito Penal e Prática do Processo Penal da antiga Faculdade de Direito Teixeira de Freitas (redenominada como Faculdade de Direito do Estado do Rio de Janeiro e Faculdade de Direito de Niterói), a qual veio a se tornar, em 1965, a atual Faculdade de Direito da Universidade Federal Fluminense.
  • Nelson Hungria - (1891-1969) - Foi Ministro do Supremo Tribunal Federal e professor de Direito Penal da Faculdade de Direito.

Militares

  • Aguinaldo Caiado de Castro (1899-1963) - Marechal do Exército Brasileiro e político. Bacharel em Direito pela Faculdade de Direito de Niterói. Comandou o 1º Regimento de Infantaria da FEB, em fevereiro de 1945. Sua unidade tomou o Monte Castelo, após diversas tentativas rechaçadas pelos alemães. Assumiu a chefia do Gabinete Militar da Presidência da República em abril de 1952. Concorreu ao Senado pelo Distrito Federal em 1954. Cumpriu o mandato até 1963.

Acadêmicos

  • Francisco José de Oliveira Vianna (1883-1951) - Jurista, sociólogo, ex-docente da Faculdade de Direito de Niterói (UFF). Imortal da Academia Brasileira de Letras. Ex-ministro do Tribunal de Contas da União.
  • Theotonio dos Santos (1936-) - Economista, professor emérito da UFF. Coordenador de Cátedra da ONU e Rede da UNESCO em economia global e desenvolvimento sustentável (a REGGEN) e membro de corpo editorial da jornal Monitor Mercantil.
  • Evanildo Bechara (1928-) - Professor. Membro da Academia Brasileira de Letras.
  • Cláudio Monteiro Considera (1946-) - Economista, ex aluno e professor da Faculdade de Economia da UFF. Ex-chefe do Departamento de Contas Nacionais do IBGE, ex-diretor de pesquisas do IPEA, ex-secretário de acompanhamento econômico do Ministério da Fazenda. Em 1984 ganhou o prêmio Haramalus Simionides, conferido pela ANPEC. Colunista do jornal Valor Econômico.

Personalidades do mundo dos negócios

  • Maria das Graças Foster (1953-) - Presidente da PETROBRAS. Engenheira química graduada na turma de 1978.
  • Luiz Eduardo Guimarães Carneiro - Presidente da OGX. Graduado em Engenharia Mecânica pela Faculdade de Engenharia da Universidade Federal Fluminense.
  • André Luiz Gonçalves - Economista pela UFF, Vice-Presidente do Conselho de Administração do Instituto Brasileiro de Relações com Investidores, Gerente Geral de Relações com Investidores da Fibria Celulose S.A, ocupou posições em RI na Oi e CSN, teve cargos em tesouraria e planejamento financeiro na Ambev e Shell Brasil S.A., e exerceu atividades de pesquisa macroeconômica pelo IPEA.
  • Ricardo Henriques - Economista e professor da Faculdade de Economia da UFF. Superintendente executivo do Instituto Unibanco, pesquisador especializado em Economia Social, tendo trabalhado com temas como educação, desigualdade, pobreza e distribuição de renda. Ex-secretário nacional e ex-secretário estadual.

Esporte

  • João Havelange (1916-) - Esportista. Ex-presidente da FIFA (1974-1998). Ex-presidente da CBF (1958-1975). Bacharel em Direito pela Faculdade de Direito de Niterói (UFF).

Líderes Religiosos

  • Edir Macedo (1945-) - Religioso e empresário. Fundador da Igreja Universal e atual proprietário da Rede Record de Televisão. Estudou Matemática na UFF, mas não concluiu o curso.

Expoentes da Cultura Brasileira

  • Walter Lima Junior (1938-) - Cineasta e advogado. Bacharel em Direito pela Faculdade de Direito da UFF. Vencedor do Urso de Prata, no festival de Berlim em 1969.

Personalidades da advocacia

  • Evaristo de Morais (1871-1939) - Advogado, Bacharel em Direito pela Faculdade de Direito de Niterói (atual UFF), fundador do Partido Socialista Brasileiro. Defensor do "Almirante Negro" na Revolta da Chibata, foi o primeiro consultor jurídico do Ministério do Trabalho.
  • Arnoldo Wald (1932-) - Advogado, ex-docente da Faculdade de Direito de Niterói (UFF), expoente do Direito Brasileiro.
  • Aluísio Palhano Pedreira Ferreira (1922-1971) - Advogado, político. Bacharel em Direito pela Faculdade de Direito de Niterói. Foi, por duas vezes consecutivas, presidente do Sindicato dos Bancários. Em 1963, é eleito presidente da Confederação dos Trabalhadores de Estabelecimentos de Crédito (CONTEC) e vice-presidente do Comando Geral dos Trabalhadores (CGT). Luta, junto ao Presidente João Goulart, pela aprovação da lei que regulamenta a remessa de lucros para o exterior. Com o Golpe militar de 1964, é demitido do Banco do Brasil, seus direitos políticos são cassados e é literalmente caçado pelos órgãos de repressão. Apesar de ter sido morto em 1971, sob torturas, apenas em 1976 correm os primeiros boatos sobre sua morte, confirmados em 1978 pela carta de seu companheiro de prisão Altino Dantas.


Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]