Universidade Federal de Pernambuco

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
UFPE
Universidade Federal de Pernambuco
Logo-ufpe-2-2.jpg
Lema Virtus Impavida
(Poder Intrépido)
Fundação Com a denominação de Universidade do Recife, em 11 de agosto de 1946 (68 anos)
Tipo de instituição Pública, federal
Orçamento anual R$ 902,190,896.76 (2012)[1]
Docentes 2.209
Total de estudantes 36.199
Graduação 27.753
Pós-graduação 6.946
Reitor(a) Prof. Anísio Brasileiro de Freitas Dourado
Vice-reitor(a) Prof. Silvio Romero de Barros Marques
Estado Pernambuco
Afiliações CRUB, RENEX
Página oficial www.ufpe.br
Instituições de ensino superior do Brasil Brasil

A Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) é uma instituição de ensino superior pública federal brasileira, mantida pelo Governo Federal do Brasil. Está sediada na cidade do Recife, no estado de Pernambuco, Brasil.

Em 11 de agosto de 1946, as faculdades de Direito (fundada em 1827), Medicina (1927) e Filosofia (1941) se uniram com as escolas de Belas Artes (1932) e de Engenharia (1895) para formar a Universidade do Recife, um dos primeiros centros universitários do Norte e Nordeste do Brasil.

Em 2013, o QS World University Rankings classificou a UFPE como a melhor universidade do Norte-Nordeste e a 8ª melhor universidade federal brasileira, bem como a 15ª melhor universidade do país, tendo ocupado a 43ª posição entre as instituições da América Latina.[2] [3] [4] [5] [6]

Histórico[editar | editar código-fonte]

A precursora da UFPE pode ser considerada a Faculdade de Direito de Olinda, criada por decreto do imperador Dom Pedro I, sendo assim com a Faculdade de Direito da USP (formada no mesmo dia), as duas mais antigas escolas de direito do país.[7] Posteriormente a faculdade foi transferida para o Recife, mudando sua denominação para Faculdade de Direito do Recife; em 1895 passou a funcionar também a Escola de Engenharia de Pernambuco. Essas duas faculdades/escolas livres, e as de Medicina (1927), Filosofia (1941) e Belas Artes (1932), tornaram-se os cursos base para formação da UFPE.[8]

Assim, em 11 de agosto de 1946, foi formada a Universidade do Recife,[8] um dos primeiros centros universitários do Norte e Nordeste do Brasil.

Em 1948, começa a construção do campus universitário. A discussão sobre a localização da obra foi iniciada um ano antes. Entre os lugares cogitados estavam terrenos nos bairros de Joana Bezerra, Santo Amaro e Ibura, a área da Faculdade de Direito, no centro do Recife; e um loteamento na Várzea, mesmo espaço onde antes funcionou o Engenho do Meio e hoje está a Universidade. Essa escolha ocorreu em razão de existir uma avenida projetada para o local. Também foram consideradas as condições climáticas e a topografia do terreno.

Os recursos usados na aquisição e implantação do campus universitário foram provenientes do governo do estado, que alocou 0,10% dos impostos de vendas e consignações para a edificação do projeto. Os primeiros prédios construídos no campus foram o biotério, espaço destinado à criação de animais, que ficou localizado na área onde atualmente estão o Departamento de Nutrição e o Centro de Ciências da Saúde. A concepção do projeto arquitetônico do campus foi do arquiteto veneziano Mário Russo.

Em 1965 a Universidade do Recife passou a integrar o novo sistema de educação do país com o nome de Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), autarquia vinculada ao MEC.

Reitores[editar | editar código-fonte]

Ano Reitor Vice-reitor
ago/1946-ago/1959 Joaquim Ignacio de Almeida Amazonas [nota 1] Soriano Neto
Edgar Altino
ago/1959-ago/1964 João Alfredo Gonçalves da Costa Lima [nota 2]
Newton da Silva Maia
Newton da Silva Maia
ago/1964-ago/1971 Murilo Humberto de Barros Guimarães Jônio Lemos
Marcionilo de Barros Lins
ago/1971-ago/1975 Marcionilo de Barros Lins Rômulo Maciel
set/1975-set/1979 Paulo Frederico do Rego Maciel Geraldo Lafayette Bezerra
dez/1979-nov/1983 Geraldo Lafayette Bezerra [nota 3]
Geraldo Calábria Lapenda
Geraldo Calábria Lapenda
nov/1983-nov/1987 George Browne do Rego Maria Antônia Amazonas McDowell
nov/1987-nov/1991 Edinaldo Gomes Bastos Éfrem de Aguiar Maranhão
nov/1991-nov/1995 Éfrem de Aguiar Maranhão José Luiz Barreira
dez/1995-dez/1999

dez/1999-out/2003

Mozart Neves Ramos[nota 4]
Geraldo José Marques Pereira
Geraldo José Marques Pereira
out/2003-out/2007

out/2007-out/2011

Amaro Henrique Pessoa Lins Gilson Edmar Gonçalves e Silva
out/2011- Anísio Brasileiro de Freitas Dourado Silvio Romero de Barros Marques
  1. reeleito para vários mandatos, desempenhou a função de reitor por 12 anos, falecendo antes do término do último mandato (ago/1959)
  2. renunciou antes do término do mandato (em jun/1964), havendo o vice-reitor concluído o período (ago/1964)
  3. faleceu antes do término do mandato (em abr/1983), havendo o vice-reitor concluído o período (nov/1983)
  4. renunciou antes do término do mandato (em fev/2003), havendo o vice-reitor concluído o período (out/2003)

Atual administração (2011/2015)[editar | editar código-fonte]

Reitor
Anísio Brasileiro de Freitas Dourado
Vice-reitor
Silvio Romero de Barros Marques
Vice-reitor substituto
Chefia de Gabinete
Solange Galvão Coutinho
Pró-reitores
  • Assuntos Acadêmicos (PROACAD)
Ana Maria Santos Cabral
  • Assuntos Estudantis (PROAES)
Kátia Medeiros de Araújo
  • Assuntos de Pesquisa e Pós-Graduação (PROPESQ)
Francisco de Souza Ramos
  • Extensão (PROEXT)
Edilson Fernandes de Souza
  • Gestão Administrativa (PROGEST)
Marcos Túlio de Castro Vasconcelos
  • Gestão de Pessoas e Qualidade de Vida (PROGEPE)
Lenita Almeida Amaral
  • Planejamento, Orçamento e Finanças (PROPLAN)
Hermano Perrelli de Moura

Campi universitários[editar | editar código-fonte]

Campus Universitário Reitor Joaquim Amazonas (Recife)[editar | editar código-fonte]

A UFPE possui um campus urbano de pesquisa na Cidade Universitária (zona oeste do Recife) com uma área de 149 hectares, oficialmente denominado Campus Universitário Reitor Joaquim Amazonas[9] .

No campus se encontram a Administração Central, nove dos dez centros acadêmicos sediados no Recife, sessenta e sete departamentos, o Colégio de Aplicação, que atende ao ensino fundamental e médio, a Biblioteca Central, dez bibliotecas setoriais, o Núcleo de Tecnologia da Informação, a Editora Universitária, o Núcleo de Educação Física e Desportos, o Núcleo de Hotelaria e Turismo, o Laboratório de Imunopatologia Keizo Asami (LIKA) e o Hospital das Clínicas.
Ali também estão situados o Centro de Convenções e a Concha Acústica. Entre as áreas naturais da UFPE destaca-se o riacho Cavouco.

No centro do Recife encontram-se o Centro de Ciências Jurídicas (Faculdade de Direito do Recife), que mantém o Programa de Pós-Graduação em Direito da UFPE, o Núcleo de Práticas Jurídicas, o Núcleo de Educação Continuada, o Núcleo de Rádio e Televisão (Televisão Universitária), o Memorial da Medicina de Pernambuco (MM) e o Centro Cultural Benfica, que abriga o Instituto de Arte Contemporânea (IAC), a Coordenação de Desenvolvimento Cultural (CDC), o Teatro Joaquim Cardoso, a Livraria Benfica o Setor de Acervo e Documentação e os Projetos Especiais. O antigo prédio da Escola de Engenharia e o Departamento Cultural também se localizam no centro.

Campus de Caruaru[editar | editar código-fonte]

Sediando o Centro Acadêmico do Agreste, que nos seus primeiros anos funcionou provisoriamente nas instalações do Pólo Comercial de Caruaru, ali contando com salas de aulas, biblioteca, laboratório de informática, escolaridades e coordenações de Cursos[10] [11] .

Em 2009, o Centro Acadêmico do Agreste teve todas as atividades transferidas para o campus definitivo, situado na BR 104, km 59, S/N Nova Caruaru.

Cursos
  • Administração
  • Ciências Econômicas
  • Design (ênfase em Design Gráfico, Design de Produto e Moda)
  • Engenharia Civil
  • Engenharia de Produção
  • Física (Licenciatura)
  • Matemática (Licenciatura)
  • Medicina (2014)
  • Química (Licenciatura)
  • Pedagogia

Igualmente em Caruaru encontra-se sediado um dos dois campi avançados de pesquisa da UFPE, a Estação Ecológica Serra dos Cavalos.

Campus de Vitória[editar | editar código-fonte]

O Centro Acadêmico de Vitória[12] , sediado no município de Vitória de Santo Antão, funciona em instalações doadas pela prefeitura, um antigo prédio do ano de 1927, que já abrigou um hospital e uma escola agrotécnica, dividindo-se em três blocos: um bloco administrativo (Tabocas) e dois blocos de ensino (Pirituba e Bela Vista).

Cursos
  • Ciências Biológicas (Licenciatura)
  • Educação Física
  • Enfermagem
  • Nutrição

Campus avançado de pesquisa de Itamaracá[editar | editar código-fonte]

A UFPE possui dois campi avançados de pesquisa, um deles localizado em Caruaru e o outro, a unidade da Estação de Estudos sobre Aves Migratórias e Recursos Ambientais, em Itamaracá.

Cursos oferecidos[editar | editar código-fonte]

A UFPE oferece mais de 90 cursos de graduação (sendo a grande parte no campus da cidade do Recife, nove no campus da cidade de Caruaru e quatro no campus da cidade de Vitória de Santo Antão) e 198 cursos de pós-graduação (além de diversos cursos de especializações), com cerca de 36.000 alunos e 2.200 professores (grande parte destes com cursos de mestrado e doutorado).
Os primeiros cursos de Pós-Graduação da UFPE foram criados em 1967. Desde então, houve uma evolução quantitativa e qualitativamente. Dos quatro mestrados iniciais (Matemática, Bioquímica, Economia e Sociologia), a Universidade passou a ter 71 mestrados (acadêmico e profissionalizante), 45 doutorados e 64 cursos de especialização, nas áreas de Ciências Humanas, Letras e Artes; de Tecnologia, Ciências Exatas e da Natureza e de Ciências Biológicas e Ciências da Saúde.

Graduação Mestrado Doutorado
  • Administração
  • Anatomia Patológica
  • Antropologia [3]
  • Arqueologia
  • Artes Visuais
  • Biologia Animal [4]
  • Biologia de Fungos
  • Biologia Vegetal
  • Bioquímica e Fisiologia
  • Ciência da Computação
  • Ciência de Materiais
  • Ciência Política [5]
  • Ciências Biológicas
  • Ciências Farmacêuticas
  • Ciências Geodésicas e Tecnologias da Geoinformação [6]
  • Cirurgia
  • Comunicação [www.ufpe.br/ppgcom/]
  • Desenvolvimento Urbano [7]
  • Design [8]
  • Direito [www.ufpe.br/ppgd/]
  • Economia (acadêmico e profissionalizante)[9]
  • Educação [www.ufpe.br/ppgedu/]
  • Educação matemática e tecnológica [10]
  • Engenharia Civil [www.ufpe.br/poscivil/]
  • Engenharia de Produção (acadêmico e profissionalizante)
  • Engenharia Elétrica (acadêmico e profissionalizante)
  • Engenharia Mecânica
  • Engenharia Mineral
  • Engenharia Química
  • Estatística
  • Filosofia [11]
  • Física
  • Genética
  • Geociências
  • Geografia
  • Gestão e Políticas Ambientais
  • Gestão Pública para o Desenvolvimento do Nordeste (profissionalizante)
  • História
  • Letras (Lingüística e Teoria da Literatura) [12]
  • Matemática
  • Tecnologias Energéticas e Nucleares
  • Neuropsiquiatria e Ciência do Comportamento
  • Nutrição
  • Oceanografia
  • Odontologia
  • Psicologia
  • Psicologia Cognitiva
  • Química
  • Saúde Coletiva
  • Saúde da Criança e do Adolescente
  • Saúde do Adulto e do Idoso
  • Sociologia [13]
  • Serviço Social
  • Tecnologias Energéticas e Nucleares
  • Administração
  • Antropologia [14]
  • Arqueologia
  • Biologia Animal [15]
  • Biologia de Fungos
  • Biologia Vegetal
  • Ciência da Computação
  • Ciência de Materiais
  • Ciência Política [16]
  • Ciências Biológicas
  • Ciências Farmacêuticas
  • Cirurgia
  • Desenvolvimento Urbano
  • Design
  • Direito
  • Educação
  • Economia
  • Engenharia Civil
  • Engenharia de Produção
  • Engenharia Elétrica
  • Engenharia Mecânica
  • Engenharia Química
  • Estatística
  • Filosofia
  • Física
  • Genética
  • Geociências
  • Geografia
  • História
  • Letras (Lingüística e Teoria da Literatura)[17]
  • Matemática
  • Matemática Computacional
  • Medicina Tropical
  • Neuropsiquiatria e Ciência do Comportamento
  • Nutrição
  • Oceanografia
  • Psicologia Cognitiva
  • Química
  • Saúde da Criança e do Adolescente
  • Sociologia [18]
  • Serviço Social

Estrutura[editar | editar código-fonte]

A UFPE é distribuida em centros, onde estão localizados os departamentos, contando, ainda, com órgãos suplementares para apoio administrativo, cultural e acadêmico.

Centros[editar | editar código-fonte]

Centros Departamentos
Centro Acadêmico do Agreste (CAA) Núcleo de Design
Núcleo de Gestão
Núcleo de Formação Docente
Núcleo de Tecnologia
Artes e Comunicação (CAC) [19] Arquitetura e Urbanismo [20]

Ciência da Informação
Comunicação Social
Design [21]
Expressão Gráfica [22]
Letras[23]
Música
Teoria da Arte e Expressão Artística

Centro Acadêmico de Vitória (CAV) Núcleo de Enfermagem
Núcleo de Nutrição
Núcleo de Licenciatura em Ciências Biológicas
Núcleo de Educação Física e Ciências do Esporte
Núcleo de Pesquisa e Extensão
Ciências Biológicas (CCB) Antibióticos
Anatomia Humana
Biofísica e Radiobiologia
Bioquímica
Botânica
Fisiologia e Farmacologia
Genética
Histologia e Embriologia
Micologia
Zoologia
Ciências Exatas e da Natureza (CCEN) Estatística [24]
Física [25]
Matemática [26]
Química Fundamental [27]
Ciências Jurídicas (CCJ)
(Faculdade de Direito do Recife)
Direito Público Geral e Processual
Direito Público Especializado
Teoria Geral do Direito e Direito Privado
Ciências Sociais Aplicadas (CCSA) Ciências Administrativas
Ciências Contábeis e Atuariais
Economia
Hotelaria e Turismo
Serviço Social
Ciências da Saúde (CCS) Ciências Farmacêuticas
Cirurgia
Clínica e Odontologia Preventiva
Educação Física
Enfermagem
Fonoaudiologia
Fisioterapia
Materno Infantil
Medicina Clínica
Medicina Social
Medicina Tropical
Neuropsiquiatria
Nutrição
Patologia
Prótese e Cirurgia Buco Facial
Terapia Ocupacional
Educação [28](CE) Administração Escolar e Planejamento Educacional
Fundamentos Sócio-Filosóficos da Educação
Métodos e Técnicas de Ensino
Psicologia e Orientação Educacionais
Filosofia e Ciências Humanas (CFCH) Ciências Geográficas
Ciência Política
Ciências Sociais
Filosofia
História
Psicologia [29]
Informática (CIn) [30] Engenharia da computação
Ciência da Computação
Sistema de informação
Tecnologia e Geociências (CTG)
(Escola de Engenharia de Pernambuco)
Engenharia Cartográfica
Engenharia Civil
Engenharia Elétrica e Sistemas de Potência
Engenharia Eletrônica e Sistemas
Engenharia Mecânica
Engenharia de Minas
Engenharia Nuclear
Engenharia de Produção
Engenharia Química
Geologia
Oceanografia

Órgãos suplementares[editar | editar código-fonte]

  • Biblioteca central [31]
Pode-se dizer que a Biblioteca Central da UFPE tem como pedra fundamental o plano de reforma da biblioteca da Faculdade de Direito do Recife apresentado, em 1949, pelo bibliotecário Edson Nery da Fonseca ao reitor Joaquim Amazonas.
Em 1953, é oficialmente instituída na Universidade do Recife, sendo estabelecidas, em 1969, as linhas gerais da nova estrutura da Biblioteca Central, tendo em vista a centralização das coleções dos Institutos Básicos, sendo mantidas bibliotecas setoriais nas unidades de Ensino Profissional e de alguns órgãos suplementares. Neste mesmo ano é elaborado um programa para construção do edifício da Biblioteca Central no Campus Universitário através de convênio MEC/BID/UFPE.
Na década de 1980, a Biblioteca Central completa 10 anos de sua nova instalação, oferecendo serviços como o COMUT, levantamentos bibliográficos, TV-Vídeos-cassetes e estágios para os alunos do curso de biblioteconomia e firmando convênio com a BIREME – Centro Latino Americano e do Caribe de Informações em Ciências da Saúde.
Na década de 1990, entra na era da informatização através de expressivos acontecimentos, tais como amplas reformas nas instalações físicas das Bibliotecas Setoriais do CAC, CCSA, CTG, CCB, CCS, CE e CCEN; convênio com a FGV - Fundação Getúlio Vargas com a finalidade de automatizar os acervos da UFPE através de catalogação cooperativa em conjunto com a Rede Bibliodata/Calco; serviço PROQUEST, através de bases de dados on-line, full text, proporcionando uma maior rapidez de acesso a informação técnica científica; o First Search, serviço prestado por um dos maiores bancos de dados do mundo: OCLC - Online Computer Library Center Inc; implementação do Serviço de Comutação Eletrônica - COMUT ONLINE, integrando-se à Rede Antares, ao CCN – Catálogo Coletivo Nacional de Periódicos, e ao SITE - Sistema de Informações sobre Teses, atual TB - Teses Brasileiras (serviços conveniados com o IBICT- Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia); e, na internet, disponibiliza a Biblioteca On-line da UFPE, para recuperação de informações de livros, teses e títulos de periódicos do Sistema de Bibliotecas da Universidade.
  • Editora universitária
Anteriormente denominada de Imprensa Universitária, foi criada em 1955 e instalada no ano seguinte, como parte da estrutura da Reitoria da então denominada Universidade do Recife. Hoje é um órgão suplementar da UFPE, por força do Decreto n. 62.493, de 1968, e integra o elenco das instituições de apoio às unidades universitárias e órgãos administrativos para as múltiplas tarefas de natureza técnica e cultural do seu ramo de atividades, funcionando no campus universitário.
Além de estimular a produção intelectual dos docentes e pesquisadores, tem função acadêmica no que diz respeito às três ações primordiais da Universidade: o ensino, a pesquisa e a extensão.
Com uma média significativa de títulos publicados anualmente, a mais antiga editora universitária do Brasil inscreve-se no rol das mais produtivas. Hoje, tem como desafio consolidar sua autonomia financeira, criar mecanismos facilitadores para distribuição e comercialização do seu produto preservando seu caráter institucional. Possuindo parque gráfico próprio, encarrega-se de publicações diversas, tais como livros, periódicos, mapas, folders, cartazes, etc e, mediante contratos ou convênios, também presta serviços a pessoas físicas e jurídicas de direito público ou privado.
Com uma área construída de 62.000 m², o Hospital das Clínicas - HC foi inaugurado no dia 14 de setembro de 1979 pelo reitor Paulo Frederico do Rego Maciel. Porém sua história começa na década de 1950, no reitorado do professor Joaquim Amazonas, quando foi lançada a pedra fundamental.
Durante quase 20 anos a obra do HC permaneceu paralisada, sendo reiniciada no fim da década de 1970, por iniciativa do reitor Marcionilo de Barros Lins.
A transferência dos setores do Hospital Pedro II - primeira unidade hospitalar ligada à UFPE - para o HC ocorreu aos poucos, estendendo-se de 1979 até 1981. O primeiro setor transferido foi o laboratório. No ano seguinte (1980) foi a vez dos ambulatórios de iniciação ao exame clínico e terapêutico. Em 17 de fevereiro de 1981 começam a funcionar as clínicas especializadas, como cirurgia geral, reumatologia e gastroenterologia. As enfermarias foram os últimos setores trabalhados nesse processo. Em meados de 1984/1985 é criado o Serviço de Doenças Infecto-Parasitárias (DIP)
A primeira grande reforma do hospital, uma obra do arquiteto veneziano Mário Russo, ocorreu em 1999. Na ocasião, foram reformados a UTI, a Enfermaria de Nefrologia, o Bloco Cirúrgico e dois andares (décimo e décimo primeiro), onde, inicialmente, funcionaria o atendimento privado. Hoje funciona no décimo andar a Enfermaria de Alta Complexidade.
Nos últimos anos o Hospital vem passando por uma reestruturação, havendo sido reformados diversos serviços, entre eles a Cirurgia Ambulatorial e o Bloco Obstétrico, e realizada a modernização de equipamentos e móveis, num investimento total de mais de R$ 4 milhões.
Como órgão suplementar, o HC é ligado diretamente ao reitor para efeito de supervisão e controle administrativo, e tem como função básica apoiar o ensino de graduação e pós-graduação do Centro de Ciências da Saúde - CCS.
  • Laboratório de imunopatologia Keizo Asami [33]
Também conhecido como LIKA, foi criado a partir de um acordo internacional entre os governos do Brasil e do Japão no início da década de 1980, com suporte do JICA (Japan International Cooperation Agency) – instituição responsável pela implementação de programas e projetos de cooperação técnica em países em desenvolvimento -, do MEC e da UFPE, a partir de uma idealização do professor Aggeu Magalhães Filho, da UFPE, ao lado do cientista Keizo Asami, da Universidade de Keio, no Japão, que veio a falecer meses antes da inauguração do laboratório.
O LIKA tem como objetivo desenvolver estudos acerca dos fenômenos envolvidos em doenças infecciosas e parasitárias dos trópicos, desenvolvendo pesquisas capazes de gerar procedimentos, tecnologias e produtos na área de cura e prevenção de doenças, que garantam uma melhor qualidade de vida das populações tropicais.
Assim, são quatro os focos de atuação do laboratório: diagnósticos (processos e métodos); estudo das doenças tropicais que se manifestam nos trópicos (como dengue, febre amarela e malária); terapêutica (estudos farmacêuticos de medicamentos); microbiologia aplicada.
O LIKA hoje trabalha em conjunto com núcleos como o Centro de Ciências Biológicas (CCB) e o Centro de Ciências da Saúde(CCS) e apresenta propostas bem mais amplas em relação àquelas objetivadas nos primeiros anos de seu funcionamento. Contribuir para o desenvolvimento de uma sociedade com melhor qualidade de vida, no entanto, é o seu maior projeto.
  • Núcleo de educação física e desportos
Criado por volta de 1975, é um órgão suplementar destinado às tarefas de apoio ao ensino, pesquisa e extensão universitária, no âmbito da Educação Física e Desportos, tendo como finalidades dar cumprimento as determinações legais, relacionadas com a Educação Física Desportiva e Recreativa, que integra como atividade curricular regular, o currículo dos cursos do sistema de ensino superior; programar as atividades de natureza desportiva e atividades afins, preferentemente as que conduzam à manutenção da performance humana, promoção da saúde e bem-estar, além da integração do estudante no campo universitário; facilitar aos corpos docente, discente e administrativo, a participação voluntária nas atividades desportivas de programação interna ou externa, visando o emprego útil de seu tempo de lazer; e fazer o controle e a organização dos clubes e associações atléticas.
  • Núcleo de hotelaria e turismo (NHT) [34]
  • Núcleo de saúde pública e desenvolvimento social (NUSP)
  • Núcleo de tecnologia da informação (NTI)
Anteriormente denominado Núcleo de Processamento de Dados - NPD, surgiu como órgão suplementar em 1967. Hoje é classificado como um dos três mais bem equipados centros de computação do país dentre as universidade federais.
O centro foi criado com os objetivos de auxiliar a comunidade acadêmica a fazer uso mais eficiente da informática e de servir como suporte computacional às atividades administrativas (sistema de bibliotecas, vestibular, controle acadêmico, administração hospitalar, etc.)
O parque computacional da UFPE, possuidor de um mainframe de grande porte e formado por 30km de uma complexa rede de comunicação em fibra ótica (Backbone), interliga todos os centros e departamentos da universidade. O resultado disso são mais de 1.000 micros, terminais ou estações de trabalho conectados à Rede e disponíveis aos professores.
Com ligação à Rede Mundial Internet e Rede Nacional de Pesquisa (RNP), é possível a comunicação, em tempo real, com pesquisadores estrangeiros, bibliotecas, bancos de dados de universidades e às variadas informações de que a internet dispõe.
  • Núcleo de TV e rádio universitárias
Conta com duas emissoras de rádio — a Rádio Universitária —, uma em AM e outra em FM, e com a TV Universitária.
A TV Universitária foi criada em 22 de novembro de 1968, como veículo integrante do Núcleo de Tv e Rádios Universitárias, com a finalidade de ampliar os horizontes da informação, cultura e educação. Na época, a TV era o meio de comunicação que mais crescia, segundo a Unesco, e o Brasil estava entre os dez países com o maior número de aparelhos de televisão. O Nordeste possuía 200 mil televisores residenciais e mesmo fazendo parte de uma das regiões mais pobres do país. Essas estatísticas foram utilizadas como justificativa para implantação do canal no estado, de acordo com o relatório "Televisão Universitária - Canal 11", sobre a implantação da emissora.
A emissora iniciou sua produção com mais de 20 programas. Sob a direção geral do professor Manoel Caetano, o departamento de produção contava com uma equipe de 12 pessoas. O setor produzia 11 programas, entre eles Sala de Visitas, O Grande Júri, No Mundo das Artes e Isto é Universidade. Hoje, a TV Universitária faz parte da RPTV - Rede Pública de Televisão, que atinge 98 milhões de telespectadores em todo Brasil e é formada por 22 emissoras, a partir da criação da Abepec - Associação Brasileira das Emissoras Públicas Educativas e Culturais, transmitindo para Pernambuco e parte dos estados que fazem divisa, programas de produção local e nacional.
  • Prefeitura da cidade universitária

Pró-Reitorias[editar | editar código-fonte]

  • Pró-Reitoria para Assuntos Acadêmicos (PROACAD)
  • Pró-Reitoria para Assuntos de Pesquisa e Pós-Graduação (PROPESQ)
  • Pró-Reitoria de Extensão (PROEXT)
  • Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas e Qualidade de Vida(PROGEPE)
  • Pró-Reitoria de Planejamento, Orçamento e Finanças (PROPLAN)
  • Pró-Reitoria de Gestão Administrativa (PROGEST)

Comissões[editar | editar código-fonte]

  • Comissão Permanente de Pessoal Docente (CPPD)
tem como atribuições apreciar alteração de regime de trabalho, progressão funcional por titulação e avaliação de desempenho dos docentes, além dos afastamentos para aperfeiçoamento. Realiza estudos e análises para a formulação e o acompanhamento da execução da política de pessoal docente.
  • Comissão de Acumulação de Cargos e Empregos (CACE)
responsável pela apreciação da regularidade funcional dos servidores da Universidade, no tocante à acumulação de cargos e empregos.
  • Comissão de Atividades de Insalubridade ou Perigosas (COSAIP)
disciplina as atividades dos servidores que trabalham em locais ou atividades insalubres ou perigosas e normatiza a Comissão de Insalubridade e Periculosidade, estabelecendo sistema de prevenção de acidentes e de eliminação dos riscos de trabalho em tais situações.
  • Comissão Interna de Supervisão (CIS)
responsável pelo acompanhamento e avaliação do processo de progressão funcional, afastamentos para cursos de pós-graduação, readaptações, dispensas e transferências, bem como pela apreciação dos critérios gerais sobre a realização de concursos públicos e internos na carreira do pessoal técnico-administrativo.
  • Comissão de Raios-X e Substancias Radioativas (CORAX)
tem por finalidade o assessoramento nos problemas relativos aos riscos, aos benefícios e aos dispositivos legais relacionados com o trabalho funcional próximo a fontes de radiação ionizantes.

UFPE em números[editar | editar código-fonte]

  • 03 campi (Recife, Caruaru e Vitória de Santo Antão);
  • 12 Centros Acadêmicos;
  • 93 cursos de graduação presenciais: 78 cursos de graduação no campus Recife, 10 em Caruaru e 05 em Vitória de Santo Antão;
  • 03 cursos de graduação a distância: Licenciatura em Língua Portuguesa, Licenciatura em Letras/Espanhol e Licenciatura em Matemática;
  • 116 cursos de pós-graduação stricto sensu, sendo 65 Mestrados Acadêmicos, 06 Mestrados Profissionais e 45 Doutorados. Um terço desses cursos recebeu os conceitos 5 e 6 – entre os mais altos da Avaliação Capes;
  • 64 cursos de pós-graduação lato sensu (especializações);
  • 464 grupos de pesquisa na Universidade (dados de 2009);
  • 216 projetos de extensão com a participação de 485 docentes e 1.071 alunos até dezembro de 2008;
  • 27.753 alunos nos cursos de graduação - dados do semestre 2012.1, sendo 23.447 no Campus Recife, 1.050 alunos no Centro Acadêmico de Vitória, 3.256 alunos no Centro Acadêmico do Agreste;
  • 3.943 alunos nos cursos de Mestrado Acadêmico (dados relativos a 2011);
  • 355 alunos em Mestrados Profissionais;
  • 50 alunos nos cursos de Mestrado Interinstitucional (Minter);
  • 2.506 alunos em doutorados;
  • 92 alunos em Doutorado Interinstitucinal (Dinter);
  • 1.500 alunos nos cursos de especialização;
  • De 2003 a 2010, a UFPE teve 8.651 artigos publicados em periódicos, publicou 837 livros e 3.026 capítulos de livros, além de 10.880 trabalhos completos em anais. No mesmo período, foram defendidas 4.626 dissertações de mestrado e 1.117 teses de doutorado. Até 2010, foram registrados 80 pedidos de patentes em nome da UFPE. Em 2011, houve mais 62 novos pedidos.
  • 430 alunos do Colégio de Aplicação (ensinos fundamental e médio) - dados de 2010;
  • 168 estudantes da UFPE fazendo intercâmbio no exterior no semestre 2012.1 (Alemanha, Argentina, Bélgica, Canadá, Espanha, EUA, Finlândia, França, Holanda, Itália, Portugal). A UFPE recebeu no semestre 2012.1 um total de 53 alunos intercambistas oriundos da Alemanha, Canadá, Colômbia, Dinamarca, Eslovânia, Espanha, EUA, França, Itália, Moçambique, Portugal;
  • 2.209 professores (dados de outubro de 2012);
  • 58 professores do Colégio de Aplicação, sendo 14 doutores (24%), 22 mestres (38%), 12 especialistas (21%), 8 graduados (14%) e 2 substitutos (3%) - dados de julho de 2011 ;
  • 4.144 servidores técnico-administrativos, nos três campi, incluindo o Hospital das Clínicas - dados de outubro de 2012.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências


Universidade Federal de Pernambuco - UFPE editar
Unidades de Ensino, Pesquisa e Extensão
CAC | CCB | CCEN | CCJ | CCSA | CCS | CE | CFCH | CIn | CTG
Órgãos Suplementares
Biblioteca Central | Editora Universitária | Hospital das Clínicas | Laboratório de Imunopatologia Keizo Asami - LIKA | Núcleo de Educação Física e Desportos | Núcleo de TV e Rádio Universitárias | Núcleo de Tecnologia da Informação | Prefeitura da Cidade Universitária