Universidade Federal de Sergipe

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Wikitext.svg
Este artigo ou seção precisa ser wikificado (desde junho de 2012).
Por favor ajude a formatar este artigo de acordo com as diretrizes estabelecidas no livro de estilo.
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde junho de 2012).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde abril de 2010).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
UFS
Universidade Federal de Sergipe
Lema Fluendo Crescit
Fundação 11 de julho de 1963
Tipo de instituição Pública
Orçamento anual R$ 135.110 milhões
Docentes 492
Total de estudantes 13301
Graduação 12.144
Pós-graduação 1.157
Reitor(a) Prof. Dr. Angelo Roberto Antoniolli
Vice-reitor(a) Prof. Dr. André Maurício Conceição de Souza
Estado Sergipe
Afiliações CRUB, RENEX [1]
Página oficial http://www.ufs.br
Instituições de ensino superior do Brasil Brasil

A Universidade Federal de Sergipe - UFS é uma instituição pública federal que se localiza no município de São Cristóvão, Sergipe, Brasil.

Histórico[editar | editar código-fonte]

O Ensino Superior no Estado de Sergipe foi iniciado em 1920, vindo a funcionar em 1950 com a criação das Escolas de Ciências Econômicas e de Química, a Faculdade de Direito e a Faculdade Católica de Filosofia em 1951. Em 1954 criava-se a Escola de Serviço Social e em 1961 a Faculdade de Ciências Médicas. Com esse número de escolas superiores foi possível pleitear a criação de uma Universidade em Sergipe. Através da Lei n. 1.194 de 11 de julho de 1963, o Governo do Estado de Sergipe, autoriza a transferência dos Estabelecimentos de Ensino Superior existentes no Estado para a Fundação Universidade Federal de Sergipe, ora em organização pelo Governo Federal. Quatro anos depois, foi instituída a Fundação Universidade Federal de Sergipe, em 28 de fevereiro de 1967, pelo Decreto-Lei n. 269 e instalada em 15 de maio de 1968, com a incorporação de 06 Escolas Superiores ou Faculdades que ministravam 10 cursos administrados por 05 Faculdades e 05 Institutos. Em decorrência da Reforma Universitária Brasileira foram criados 04 Centros Acadêmicos que coordenam atualmente 26 Departamentos e 103 Cursos. Seu corpo discente evoluiu de 638, no ano da sua criação, para 10.375 até a presente data.

As Unidades Administrativas e Acadêmicas da UFS funcionam, em sua maior parte, na Cidade Universitária "Prof. José Aloísio de Campos". Integram a Cidade Universitária: a Reitoria, a Prefeitura do Campus, o Setor Esportivo, os Centros Acadêmicos (CCBS, CCET, CCSA, e CECH), a Biblioteca Central - BICEN, o Restaurante Universitário - RESUN, o Centro de Processamento de Dados - CPD, o Arquivo Central, o Centro Editorial e Audiovisual - CEAV, e o Colégio de Aplicação - CODAP. Funcionam fora da Cidade Universitária: o Campus da Saúde, o Campus Avançado do Crasto, o Campus Rural, o Campus Avançado de Xingó, o Centro de Cultura e Arte - CULTART e o Museu do Homem Sergipano, além dos novos Campus localizados nas cidades de Itabaiana, Laranjeiras Lagarto e o mais novo campus em Nossa Senhora da Glória anunciado em 18/03/2014. .

Departamento de Medicina[editar | editar código-fonte]

A idéia da criação da Faculdade de Medicina de Sergipe, surgiu na década de 50 fruto do espírito científico que dominava Garcia Moreno e o corpo médico do Hospital de Cirurgia, então o mais bem aparelhado Hospital do estado, sob a liderança de Augusto César Leite, a maior expressão médica da época. Em 12 de junho de 1953 foi criada a Sociedade Civil Faculdade de Medicina de Sergipe, que seria responsável pela Faculdade de Medicina e escolhidos os médicos que seriam os futuros professores. Mas o idéia inicial ficou apenas por ai. Só em 1959 é que o processo de criação do curso de Medicina teve prosseguimento e em 1960 graças ao apoio decisivo do governador Luiz Garcia e do Prof. Antônio Garcia Filho, então Secretário da Educação, Cultura e Saúde, em 21 de janeiro de 1960 foi eleita a primeira diretoria da Faculdade de Medicina de Sergipe, sendo o Prof. Antônio Garcia Filho seu primeiro Diretor. Em 11 de janeiro de 1961 o Presidente Juscelino Kubitschek assinava o decreto no 49.864 que autorizava o funcionamento do curso, tendo sido abertas inicialmente 20 vagas e em 16 de fevereiro de 1961 realizou-se o primeiro vestibular, com 54 inscritos dos quais apenas 9 foram aprovados. A Faculdade de Medicina de Sergipe, assim chamada, era de patrimônio estadual. Funcionou inicialmente nas dependências do Instituto Parreiras Horta e em 1962 foi transferido para o Hospital de Cirurgia (através de uma parceria) onde permaneceu por mais de duas décadas, quando foi transferido para o Hospital Universitário em 1989. O curso foi reconhecido em 10 de setembro de 1966 pelo decreto no 59.226. Em 28 de fevereiro de 1968 foi criada a Universidade Federal de Sergipe e o curso até então estadual foi transferido para a UFS. Em 1970, com a criação do curso de Odontologia passou a denominar-se Faculdade de Ciências Médicas da UFS. Em 1979, com a reforma administrativa, passou a compor junto com outros cursos o Centro de Ciências Biológicas e da Saúde. Hoje o curso de Medicina é ministrado no Hospital Universitário, sede do 4o Distrito Sanitário de Aracaju.

Campus[editar | editar código-fonte]

Cursos Presenciais

A universidade possui quatro Campus São Cristóvão e Saúde, Campus de Lagarto, CampusLar de Laranjeiras e o Campus Sertão em Nossa Senhora da Glória.

Cursos oferecidos[editar | editar código-fonte]

A UFS oferece mais de 100 cursos de graduação (sendo a grande parte no campus da cidade do São Cristóvão, oito no campus da cidade de Lagarto e quatro no campus da cidade de Laranjeiras), com cerca de 16.000 alunos e 492 professores (grande parte destes com cursos de mestrado e doutorado).

A universidade possui 47 mestrados (acadêmico e profissionalizante), 13 doutorados e 9 cursos de especialização, nas áreas de Ciências Humanas, Letras e Artes; de Tecnologia, Ciências Exatas e da Natureza e de Ciências Biológicas e Ciências da Saúde.

Graduação Mestrado Doutorado
  • Administração
  • Anatomia Patológica
  • Agricultura e Biodversidade
  • Agroecossistema
  • Antropologia
  • Arqueologia
  • Biologia Parasitária
  • Biotecnologia de Recursos Naturais
  • Ciência da Computação
  • Ciência da Propriedade Intelectual
  • Ciência e Engenharia de Materiais
  • Ciência e Engenharia de Processos Químicos
  • Ciência e Tecnologia de Alimentos
  • Ciências Aplicadas á Saúde
  • Ciências da Religião
  • Ciências da Saúde
  • Ciências Farmacêuticas
  • Ciências Fisiológicas
  • Comunicação
  • Desenvolvimento e Meio Ambiente
  • Desenvolvimento Regional e Gestão de Empreendimentos Locais
  • Direito
  • Ecologia e Conservação
  • Educação
  • Educação Física
  • Enfermagem
  • Engenharia Civil
  • Engenharia Elétrica
  • Ensino de Ciências e Matemática
  • Filosofia
  • Física
  • Geociências e Análise de Bacias
  • Geografia
  • História
  • Letras
  • Matemática
  • Matemática Profissional
  • Odontologia
  • Profissional em Ensino de Física
  • Profissional em Letras
  • Psicologia Social
  • Química
  • Recursos Hídricos
  • Serviço Social
  • Sociologia
  • Zootecnia
  • Agricultura e Biodversidade
  • Arqueologia
  • Biotecnologia
  • Ciência e Engenharia de Materiais
  • Ciência da Propriedade Intectual
  • Ciência em Saúde
  • Ciências Fisiológicas
  • Desenvolvimento e Meio Ambiente
  • Educação
  • Física
  • Geografia
  • Sociologia

Referências

Ver Também[editar | editar código-fonte]