Universidade Federal de Sergipe

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Wikitext.svg
Este artigo ou seção precisa ser wikificado (desde junho de 2012).
Por favor ajude a formatar este artigo de acordo com as diretrizes estabelecidas no livro de estilo.
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde junho de 2012).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes (desde abril de 2010). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
UFS
Universidade Federal de Sergipe
Lema Fluendo Crescit
Fundação 11 de julho de 1963
Tipo de instituição Pública
Orçamento anual R$ 135.110 milhões
Docentes 492
Total de estudantes 13301
Graduação 12.144
Pós-graduação 1.157
Reitor(a) Prof. Dr. Angelo Roberto Antoniolli
Vice-reitor(a) Prof. Dr. André Maurício Conceição de Souza
Estado Sergipe
Afiliações CRUB, RENEX [1]
Página oficial http://www.ufs.br
Instituições de ensino superior do Brasil Brasil

A Universidade Federal de Sergipe - UFS é uma instituição pública federal que se localiza no município de São Cristóvão, Sergipe, Brasil.

Histórico[editar | editar código-fonte]

O Ensino Superior no Estado de Sergipe foi iniciado em 1920, vindo a funcionar em 1950 com a criação das Escolas de Ciências Econômicas e de Química, a Faculdade de Direito e a Faculdade Católica de Filosofia em 1951. Em 1954 criava-se a Escola de Serviço Social e em 1961 a Faculdade de Ciências Médicas. Com esse número de escolas superiores foi possível pleitear a criação de uma Universidade em Sergipe. Através da Lei n. 1.194 de 11 de julho de 1963, o Governo do Estado de Sergipe, autoriza a transferência dos Estabelecimentos de Ensino Superior existentes no Estado para a Fundação Universidade Federal de Sergipe, ora em organização pelo Governo Federal. Quatro anos depois, foi instituída a Fundação Universidade Federal de Sergipe, em 28 de fevereiro de 1967, pelo Decreto-Lei n. 269 e instalada em 15 de maio de 1968, com a incorporação de 06 Escolas Superiores ou Faculdades que ministravam 10 cursos administrados por 05 Faculdades e 05 Institutos. Em decorrência da Reforma Universitária Brasileira foram criados 04 Centros Acadêmicos que coordenam atualmente 26 Departamentos e 103 Cursos. Seu corpo discente evoluiu de 638, no ano da sua criação, para 10.375 até a presente data.

As Unidades Administrativas e Acadêmicas da UFS funcionam, em sua maior parte, na Cidade Universitária "Prof. José Aloísio de Campos". Integram a Cidade Universitária: a Reitoria, a Prefeitura do Campus, o Setor Esportivo, os Centros Acadêmicos (CCBS, CCET, CCSA, e CECH), a Biblioteca Central - BICEN, o Restaurante Universitário - RESUN, o Centro de Processamento de Dados - CPD, o Arquivo Central, o Centro Editorial e Audiovisual - CEAV, e o Colégio de Aplicação - CODAP. Funcionam fora da Cidade Universitária: o Campus da Saúde, o Campus Avançado do Crasto, o Campus Rural, o Campus Avançado de Xingó, o Centro de Cultura e Arte - CULTART e o Museu do Homem Sergipano, além dos novos Campus localizados nas cidades de Itabaiana, Laranjeiras Lagarto e o mais novo campus em Nossa Senhora da Glória anunciado em 18/03/2014. .

Departamento de Medicina[editar | editar código-fonte]

A idéia da criação da Faculdade de Medicina de Sergipe, surgiu na década de 50 fruto do espírito científico que dominava Garcia Moreno e o corpo médico do Hospital de Cirurgia, então o mais bem aparelhado Hospital do estado, sob a liderança de Augusto César Leite, a maior expressão médica da época. Em 12 de junho de 1953 foi criada a Sociedade Civil Faculdade de Medicina de Sergipe, que seria responsável pela Faculdade de Medicina e escolhidos os médicos que seriam os futuros professores. Mas o ideia inicial ficou apenas por ai. Só em 1959 é que o processo de criação do curso de Medicina teve prosseguimento e em 1960 graças ao apoio decisivo do governador Luiz Garcia e do Prof. Antônio Garcia Filho, então Secretário da Educação, Cultura e Saúde, em 21 de janeiro de 1960 foi eleita a primeira diretoria da Faculdade de Medicina de Sergipe, sendo o Prof. Antônio Garcia Filho seu primeiro Diretor. Em 11 de janeiro de 1961 o Presidente Juscelino Kubitschek assinava o decreto no 49.864 que autorizava o funcionamento do curso, tendo sido abertas inicialmente 20 vagas e em 16 de fevereiro de 1961 realizou-se o primeiro vestibular, com 54 inscritos dos quais apenas 9 foram aprovados. A Faculdade de Medicina de Sergipe, assim chamada, era de patrimônio estadual. Funcionou inicialmente nas dependências do Instituto Parreiras Horta e em 1962 foi transferido para o Hospital de Cirurgia (através de uma parceria) onde permaneceu por mais de duas décadas, quando foi transferido para o Hospital Universitário em 1989. O curso foi reconhecido em 10 de setembro de 1966 pelo decreto no 59.226. Em 28 de fevereiro de 1968 foi criada a Universidade Federal de Sergipe e o curso até então estadual foi transferido para a UFS. Em 1970, com a criação do curso de Odontologia passou a denominar-se Faculdade de Ciências Médicas da UFS. Em 1979, com a reforma administrativa, passou a compor junto com outros cursos o Centro de Ciências Biológicas e da Saúde. Hoje o curso de Medicina é ministrado no Hospital Universitário, sede do 4º Distrito Sanitário de Aracaju.

Campus[editar | editar código-fonte]

Campus Presenciais

A Universidade Federal de Sergipe possui quatro Campus de cursos presenciais que são:

Projetos de futuras instalações da UFS

Educação a distância[editar | editar código-fonte]

A Universidade Federal de Sergipe (UFS), sintonizada com as mudanças crescentes na sociedade, graças às contínuas descobertas científicas e aos avanços das tecnologias da informação e da comunicação, possibilitando democráticas formas de acesso ao conhecimento, instituiu, em 2006, o Centro de Educação Superior a Distância.

Com experiências consolidadas na expansão e interiorização de cursos, através do Programa de Qualificação Docente (PQD), em convênio com o Governo do Estado de Sergipe, e a criação de campi em alguns municípios sergipanos, a UFS vem assumindo uma política de democratização do acesso ao ensino superior, aliada à preocupação com a qualidade da formação que oferece.

No âmbito da Educação a Distância (EAD), esta instituição vem acumulando algumas experiências: criação do Núcleo de Comunicação e Educação (NUCE), em 1996; criação da Coordenadoria de Educação a Distância (CEAD), no Departamento de Educação, em 1998; e, em parceria com a Universidade Aberta e a Distância do Brasil (UNIREDE) e a Secretaria de Educação do Estado de Sergipe (SEED), foi ofertado o Curso TV Escola e os Desafios de Hoje, que atendeu cerca de 3000 alunos. Atualmente, oferece o Curso Multimídia em Educação em parceria com o Governo do Estado e municípios sergipanos.

O Programa de Educação Superior a Distância iniciou suas atividades com a oferta de sete cursos de licenciatura: Ciências Biológicas, Física, Geografia, História, Letras-Português, Matemática e Química.

A partir desta iniciativa, a intenção é que a proposta de cada curso de licenciatura oferecido pelo Cesad seja capaz de garantir o processo pessoal de construção da aprendizagem, desenvolvendo habilidades, competências, atitudes e valores necessários a sua formação profissional e vida pessoal.

Além disso, com o Cesad, uma considerável parcela da população sergipana à margem da educação superior, principalmente pela distância que se encontra da capital ou dos campi situados no interior do estado como também pela incompatibilidade de horário com as aulas do ensino tradicional, passa a ter acesso ao ensino superior de qualidade tão característico da UFS. Portanto, o Cesad favorece este processo de inclusão sem deslocá-los dos seus municípios. E ainda, atua decisivamente na formação de professores, o que vem a preencher esta lacuna no âmbito do interior do Estado de Sergipe.

Na verdade, convém destacar que o aluno que ingressa através do Cesad é um aluno regular da Universidade Federal de Sergipe com a particularidade de realizar vestibular em seu próprio município e de participar das aulas através de um ambiente virtual de aprendizagem cujo acesso também é realizado em seu polo. Assim, seu diploma é expedido e validado da mesma forma que os alunos presenciais da instituição. Acima de tudo, o aluno Cesad é um aluno da UFS. Por isso, é aplicada aos cursos oferecidos pelo Cesad a mesma qualidade de seus cursos presenciais, assim como os mesmos rigores acadêmicos, inclusive no tocante à avaliação da aprendizagem.

Evidentemente, o Cesad é uma iniciativa ousada e inovadora da UFS. Sua implementação enfrentou várias dificuldades decorrentes de uma ação desta magnitude. Entretanto, a soma de esforços dos gestores da UFS, da equipe administrativa do Cesad, das prefeituras municipais, do Governo do Estado e do Governo Federal vem avançando no enfrentamento destes desafios. A Universidade Federal de Sergipe faz parceria com a Universidade Aberta do Brasil.

Polos da UFS/UAB

Cursos oferecidos[editar | editar código-fonte]

A UFS oferece mais de 100 cursos de graduação (sendo a grande parte no campus da cidade do São Cristóvão, oito no campus da cidade de Lagarto e quatro no campus da cidade de Laranjeiras), com cerca de 16.000 alunos e 492 professores (grande parte destes com cursos de mestrado e doutorado).

A universidade possui 47 mestrados (acadêmico e profissionalizante), 13 doutorados e 9 cursos de especialização, nas áreas de Ciências Humanas, Letras e Artes; de Tecnologia, Ciências Exatas e da Natureza e de Ciências Biológicas e Ciências da Saúde.

Graduação Mestrado Doutorado
  • Administração
  • Anatomia Patológica
  • Agricultura e Biodiversidade
  • Agroecossistema
  • Antropologia
  • Arqueologia
  • Biologia Parasitária
  • Biotecnologia de Recursos Naturais
  • Ciência da Computação
  • Ciência da Propriedade Intelectual
  • Ciência e Engenharia de Materiais
  • Ciência e Engenharia de Processos Químicos
  • Ciência e Tecnologia de Alimentos
  • Ciências Aplicadas á Saúde
  • Ciências da Religião
  • Ciências da Saúde
  • Ciências Farmacêuticas
  • Ciências Fisiológicas
  • Comunicação
  • Desenvolvimento e Meio Ambiente
  • Desenvolvimento Regional e Gestão de Empreendimentos Locais
  • Direito
  • Ecologia e Conservação
  • Educação
  • Educação Física
  • Enfermagem
  • Engenharia Civil
  • Engenharia Elétrica
  • Ensino de Ciências e Matemática
  • Filosofia
  • Física
  • Geociências e Análise de Bacias
  • Geografia
  • História
  • Letras
  • Matemática
  • Matemática Profissional
  • Odontologia
  • Profissional em Ensino de Física
  • Profissional em Letras
  • Psicologia Social
  • Química
  • Recursos Hídricos
  • Serviço Social
  • Sociologia
  • Zootecnia
  • Agricultura e Biodiversidade
  • Arqueologia
  • Biotecnologia
  • Ciência e Engenharia de Materiais
  • Ciência da Propriedade Intelectual
  • Ciência em Saúde
  • Ciências Fisiológicas
  • Desenvolvimento e Meio Ambiente
  • Educação
  • Física
  • Geografia
  • Sociologia

Referências

Ver Também[editar | editar código-fonte]