Universidade Federal do Amazonas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
UFAM
Universidade Federal do Amazonas
Brasao ufam 2011.jpg
Lema In universa scientia veritas - (A ciência como verdade universal)
Fundação 17 de janeiro de 1909
Tipo de instituição Pública federal
Orçamento anual R$ 487 505 649,86 (2013)[1]
Graduação 25.000
Reitor(a) Márcia Perales
Estado Amazonas
Afiliações CRUB, RENEX
Página oficial http://portal.ufam.edu.br/
Instituições de ensino superior do Brasil Brasil

A Universidade Federal do Amazonas (UFAM) é uma instituição de ensino superior pública brasileira, sendo a maior universidade do estado do Amazonas e uma das principais da Região Norte do Brasil.[2] É a instituição de ensino superior mais antiga do Brasil, originando-se da Escola Universitária Livre de Manáos, fundada em 17 de janeiro de 1909. Mesmo com a extinção da Escola, permaneceu a Faculdade de Direito, que deu continuidade ao modelo atual do centro universitário. O fato foi registrado em 1995 no Guinness Book, o livro dos recordes.[3]

A instituição é a única de caráter pública federal existente no Amazonas. O campus principal da universidade situa-se em Manaus, constituindo-se no maior fragmento florestal urbano do Brasil dedicado à uma instituição superior de ensino, além de ser o terceiro no mundo, com 6.700.000 metros quadrados. A Universidade Federal do Amazonas possui, em sua rede de ensino, 109 cursos de graduação, 40 de stricto senso e dezenas no latu sensu, além de 645 grupos de pesquisa. De acordo com dados de 2013, a universidade possuía 25 000 estudantes e 2 700 servidores naquele ano.[2] De acordo com dados do ENADE de 2012, o curso mais bem avaliado da universidade é o de Design, com conceito de 5 pontos. Outros cursos, tais como Ciências Econômicas, Psicologia, Jornalismo e Geografia (licenciatura e bacharelado) também foram bem avaliados, com conceito final de 4 pontos.[4] Em contrapartida, o curso com avaliação mais baixa foi o de Direito, com conceito de 2 pontos.[5]

História[editar | editar código-fonte]

A história da Universidade Federal do Amazonas inicia-se em 17 de janeiro de 1909, quando se fundou: a Escola Universitária Livre de Manáos (grafia arcaica), mais tarde renomeada Universidade de Manáos.[6] Embora situada na capital Manaus, a universidade à época também recebeu recursos financeiros de outros municípios do Amazonas.

A decadência econômica da região após o auge do Ciclo da Borracha culminou com a desintegração da Universidade em cursos superiores isolados. Após esse período, foi refundada em 12 de junho de 1962 pela Lei Federal 4.069-A,[7] sendo rebatizada com o nome de "Universidade do Amazonas" e constituída pela reintegração das instituições de ensino superior isoladas que atuavam no referido estado. Com a Lei Federal 10.468, de 20 de junho de 2002, passou a ser denominada Universidade Federal do Amazonas.

O Princípio[editar | editar código-fonte]

Em 17 de janeiro de 1909, surgiu a Escola Universitária Livre de Manaós, criada por inspiração do tenente-coronel do Clube da Guarda Nacional do Amazonas, Joaquim Eulálio Gomes da Silva Chaves. Em sessão de sessão de 12 de fevereiro de 1909, o Conselho constituinte elegeu Chaves para promover o reconhecimento oficial da escola e cuidar da publicação de seus estatutos. A lei nº 601, de 8 de outubro de 1909, considerou válidos os títulos expedidos pela Escola Universitária. O título de primeira universidade, é em razão dela reunir três áreas de conhecimento (Exatas, Humanas e Saúde) e já ter sido fundada com o nome de Escola Universitária na data de 1909, porém o curso superior mais antigo do Brasil é o da "Real Academia de Artilharia, Fortificação e Desenho" criado em 1792 (posteriormente fragmentado nos atuais Instituto Militar de Engenharia e Escola Politécnica da UFRJ).

A nova universidade, concebida por Eulálio Chaves, já nasceu alicerçada no espírito democrático que hoje permeia a comunidade universitária, com respeito à pluralidade de idéias, elegendo diretamente Astrolábio Passos como seu primeiro diretor geral, com os votos dos docentes da Faculdade de Ciências Jurídicas e Sociais, Faculdade de Medicina, Faculdade de Ciências e Letras e Faculdade de Engenharia que, juntas, constituíram a Universidade de Manáos. A Universidade Federal do Amazonas é considerada a primeira universidade brasileira, pois originou-se da Escola Universitária Livre de Manáos, criada em 1909. Mesmo com a extinção da Escola, permaneceu a Faculdade de Direito, que deu continuidade ao modelo da atual UFAM. O fato foi registrado em 1995 no Guinness Book, o livro dos recordes.[8]

Campi[editar | editar código-fonte]

A principal infraestrutura apresentada pela Universidade Federal do Amazonas é a Cidade Universitária, situada no bairro Coroado, Zona Leste de Manaus.

Campus e Cursos Oferecidos[editar | editar código-fonte]

Atualmente a UFAM é composta por seis campus, detentores de calendários acadêmicos diferenciados. Enquanto que no campus de Manaus, o ano letivo tem início no primeiro semestre letivo (com exceção do curso de Fisioterapia e da turma de aprovados no SiSU para o curso de Medicina, cujo início do ano letivo se dá no segundo semestre letivo), nos campus do interior do estado, o ano letivo tem início no segundo semestre letivo. Segue abaixo a relação dos campus e dos seus respectivos cursos oferecidos:

Campus Manaus[editar | editar código-fonte]

Localizado em Manaus, sede da Grande Manaus, capital do estado do Amazonas. oferece os seguintes cursos de graduação, divididos em quatro grandes áreas do conhecimento:

Ciências Agrárias[editar | editar código-fonte]

São cinco os cursos de ciências agrárias oferecidos pela instituição, divididos em uma unidade acadêmica:

Faculdade de Ciências Agrárias (FCA)

Ciências Biológicas[editar | editar código-fonte]

A Universidade Federal do Amazonas dispõe de onze cursos de graduação na área de ciências biológicas em Manaus, divididos em 6 unidades acadêmicas:

Escola de Enfermagem de Manaus (EEM)
Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF)
Faculdade de Educação Física e Fisioterapia (FEFF)
Faculdade de Medicina (FM)
Faculdade de Odontologia (FAO)
Instituto de Ciências Biológicas (ICB)

Ciências Exatas[editar | editar código-fonte]

Na área de exatas, vinte cursos de graduação são oferecidos pela universidade, divididos em 3 unidades acadêmicas:

Faculdade de Tecnologia (FT)
Instituto de Ciências Exatas (ICE)
Instituto de Computação (IComp)

Ciências Humanas[editar | editar código-fonte]

A área de ciências humanas é a de maior número de cursos em graduação, que dispõe de vinte e dois cursos nesta área, divididos em 5 unidades acadêmicas:

Faculdade de Direito (FD)
Faculdade de Educação (Faced)
Faculdade de Estudos Sociais (FES)
Faculdade de Psicologia (Fapsi)
Instituto de Ciências Humanas e Letras (ICHL)

Campus Benjamin Constant[editar | editar código-fonte]

Localizado em Benjamin Constant, cidade do Alto Solimões. O Multicampi de Benjamim Constant oferece os seguintes cursos de graduação: Administração em Gestão Organizacional, Antropologia, Ciências Agrárias e do Ambiente, Biologia, Química, Letras - Lingua e Literatura Espanhola, Letras- Língua e Literatura Portuguesa e Pedagogia.

Campus Coari[editar | editar código-fonte]

Localizado em Coari, cidade do Médio Solimões. O Multicampi de Coari oferece os seguintes cursos de graduação: Biotecnologia, Biologia, Química, Matemática, Física, Enfermagem, Fisioterapia e Nutrição.

Campus Humaitá[editar | editar código-fonte]

O Campus de Humaitá, município localizado na microrregião do Madeira, é o único situado no Sul do Amazonas. O Multicampi de Humaitá oferece seis cursos de graduação: Agronomia, Biologia, Química, Matemática, Física, Engenharia Ambiental, Letras - Lingua e Literatura Inglesa, Letras - Língua e Literatura Portuguesa e Pedagogia.

Campus Itacoatiara[editar | editar código-fonte]

Localizado em Itacoatiara, cidade da Grande Manaus. O Multicampi de Itacoatiara oferece os seguintes cursos de graduação: Agronomia, Ciências Farmacêuticas, Biologia, Química, Matemática, Física, Engenharia de Produção, Engenharia de Software, Engenharia Sanitária, Química Industrial, Sistema de Informação.

Campus Parintins[editar | editar código-fonte]

Localizado em Parintins, cidade do Baixo Amazonas. O Multicampi de Parintins oferece os seguintes cursos de graduação: Administração em Gestão Organizacional, Artes Plásticas, Comunicação Social - Jornalismo, Educação Física, Pedagogia, Serviço Social e Zootecnia.

Reitores[editar | editar código-fonte]

Em mais de cinco décadas de existência como Universidade Federal do Amazonas, a instituição teve nove reitores, sendo cinco bacharéis em direito, dois bacharéis em medicina, um em jornalismo e um em engenharia civil. O primeiro foi o professor Anderson Andrade de Menezes, da Faculdade de Direito, e o que permaneceu por menor espaço de tempo na reitoria.

O professor Octávio Mourão (1977—1984) foi o último reitor do regime militar, e o professor Roberto Vieira (1985—1989) o primeiro eleito pela comunidade acadêmica, no início da redemocratização do país.

Lista de reitores[editar | editar código-fonte]

Reitor Gestão Sob o nome
Pedro Botelho da Cunha 1909 - 1910 Escola Universitária Livre de Manaós
Astrolábio Passos 1910 - 1926 Universidade de Manáos
Aderson Andrade de Menezes 1964 - 1965 Universidade do Amazonas
Jauary Guimarães de Souza Marinho 1965 - 1970 Universidade do Amazonas
Áderson Pereira Dutra 1970 - 1976 Universidade do Amazonas
Octávio Hamilton Botelho Mourão 1976 - 1985 Universidade do Amazonas
Roberto dos Santos Vieira 1985 - 1989 Universidade do Amazonas
Marcos Luís Barroso Barros 1989 - 1993 Universidade do Amazonas
Nelson Abrahim Fraiji 1993 - 1997 Universidade do Amazonas
Walmir de Albuquerque Barbosa 1997 - 2001 Universidade do Amazonas
Hidembergue Ordozgoith da Frota 2001 - 2009 (dois mandatos) Universidade Federal do Amazonas
Márcia Perales Mendes Silva 2009 - 2017 (dois mandatos) Universidade Federal do Amazonas

Forma de ingresso[editar | editar código-fonte]

A universidade utiliza 4 formas de ingresso no ensino superior. Uma delas é através do Processo Seletivo Contínuo (PSC), vestibular seriado, criado no final da década de 1990, através da Resolução 18/98 do Conselho de Ensino e Pesquisa (CONSEPE), exclusivo para alunos das 3 séries do ensino médio das escolas reconhecidas e registradas no estado do Amazonas, que seleciona os candidatos que obtiveram melhor pontuação ao longo dos três anos do processo, sendo responsável pelo preenchimento de 50 % das vagas da universidade, tanto do campus da capital quanto dos campus do interior do estado. Outra forma de ingresso na UFAM é através do Sistema de Seleção Unificada (SiSU), que utiliza as notas do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) para o preenchimento dos outros 50% das vagas da universidade, substituindo, desde o processo seletivo para o ano de 2010 o Processo Seletivo Macro (PSM) e o Processo Seletivo Macro Verão (PSMV), que eram os vestibulares tradicionais da universidade e que preenchiam as vagas, respectivamente, do campus da capital e dos campus do interior. O Processo Seletivo Macro Verão, embora substituído pelo uso do SiSU, ainda pode ser considerada a terceira forma de ingresso na universidade, pois tem o papel de preencher as vagas que sobram das matrículas dos aprovados tanto no SiSU quanto no PSC, porém, o preenchimento se dá apenas para as vagas nos campus do interior. Existe ainda uma quarta forma de ingresso, o Processo Seletivo Extramacro (PSE), que é a forma de seleção para ocupação de vagas nas modalidades transferência facultativa, reopção de curso, portador de diploma e complemento de habilitação, cujo edital é previsto no calendário acadêmico da universidade.

Notas

  1. Portal da Transparência. Gastos Diretos por Órgão Executor (em português). Página visitada em 10 de maio de 2014.
  2. a b Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Intercom Brasil. Página visitada em 28 de janeiro de 2014.
  3. História - Universidade Federal do Amazonas; Escola Livre de Manaós. Universidade Federal do Amazonas (UFAM) (13 de abril de 2010).
  4. Relação de Cursos Recomendados e Reconhecidos. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) - Ministério da Educação (MEC) (2014). Página visitada em 27 de maio de 2014.
  5. Resultados - 2012. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP) (2012). Página visitada em 30 de abril de 2014.
  6. Histórico. FES-UFAM.
  7. Instituição. Portal UFAM.
  8. http://portal.ufam.edu.br/index.php/historia%7Cpublicado=História da Universidade Federal do Amazonas

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre instituição de ensino superior é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.