Universidade McGill

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Universidade McGill
McGill University
Lema Grandescunt Aucta Labore
Fundação 1821
Tipo de instituição Universidade pública
Localização Montreal, Quebec,  Canadá
Chanceler H. Arnold Steinberg
Pós-Graduação 8,881
Campus Urbano
Cores da Escola Escarlate
Branco
Afiliações Association of American Universities, Universitas 21, University of the Arctic
Página oficial www.mcgill.ca

A Universidade McGill é uma instituição de ensino superior do Canadá. Seu campus principal está localizado na cidade de Montreal, ao pé do Monte Royal. Um campus secundário está localizado na cidade de Sainte-Anne-de-Bellevue. A cidade de Montréal é atualmente considerada a melhor cidade do mundo para estudantes universitários pelo índice Sea Turtle, The Economist, que mede, dentre outras coisas, aspectos econômicos, educacionais, sociais e imobiliários.

História[editar | editar código-fonte]

A universidade foi estabelecida em 1826 e é administrada por órgãos públicos. É considerada uma das melhores universidades do mundo.[1] [2] [3] Em 2007, a Universidade McGill apareceu em 12º lugar no ranking mundial da Times Higher Education Supplement,[4] sendo que, em 1997, a McGill foi descrita pela mesma fonte como um dos dez melhores centros de educação superior do mundo. Para o ranking canadense Macleans, a McGill é a melhor universidade canadense há nove anos consecutivos (incluindo 2013).

Conhecida pelo alto nível docente e discente, a Universidade McGill detém o recorde canadense de Rhodes Scholars (136 ganhadores da bolsa de estudos mais prestigiada no mundo). A universidade também possui 9 prêmios Nobel (mais do que qualquer outra universidade canadense). Algumas invenções importantes da universidade incluem: a busca na internet, a descoberta de que átomos são divisíveis, o primeiro mapa do córtex motor cerebral, a célula sanguínea artificial, três esportes (futebol americano, hockey e basquete) e o acrílico.

Corpo Docente[editar | editar código-fonte]

Cerca de 30 mil estudantes estudam na Universidade McGill, 21 765 dos quais em tempo integral. A universidade possui a percentagem mais alta da América do Norte de estudantes provenientes de outras províncias do Canadá, americanos ou estrangeiros (provenientes de 150 países diferentes).

A universidade possui como idioma de ensino o inglês, mesmo estando numa cidade majoritariamente francófona. Seu lema é Grandescunt Aucta Labore (do latim: Pelo trabalho, todas as coisas crescem).

Fatos Históricos[editar | editar código-fonte]

Departamento de Psiquiatria e o Instituto Allan Memorial[editar | editar código-fonte]

Instituto Allan Memorial,McGill Canadá

O Departamento de Psiquiatria do Hospital Royal Victoria, parte do Centro de Saúde da Universidade McGill, funcionou no Instituto Allan Memorial. O Instituto Allan Memorial se tornou conhecido por seu papel no Projeto MKULTRA da CIA[5] , uma iniciativa para desenvolver o controle da mente induzido por drogas. Experimentos em seres humnaos,sem consentimento, parte do Projeto MKULTRA, foram realizadas no Instituto Allan Memorial entre 1957 e 1964 por seu diretor fundador Ewen Cameron que veio a ser o presidente da Sociedade de Psquiatria.

Outros Experimentos[editar | editar código-fonte]

Assim como o Instituto Allan Memorial está relacionado à Universidade McGill, através do Projeto MKULTRA, também ligado à Universidade está o psicólogo Canadense Donald O. Hebb [6] , que foi chefe do departamento de Psicologia da Universidade, conhecido por suas pesquisas psicológicas que determinaram os efeitos do uso de privação sensorial, visto por pesquisadores como o precursor das experiencias ligadas ao MKULTRA da CIA.

Naomi Klein[7] afirma em seu livro "A Doutrina do Choque: a Ascensão do Capitalismo de Desastre"[8] de que a pesquisa de Ewen Cameron no Instituto Allan Memorial e sua contribuição para o MKULTRA não eram sobre o controle da mente e lavagem cerebral, mas sim "como criar um sistema de base científica para a extração de informações de "diante de resistência." Ou seja, como criar técnicas eficazes de quebrar a resistência de um individuo - ou seja " Como aprimorar técnicas de tortura".

Ela cita o pesquisador e historiador Alfred W. McCoy[9] :"Com seus excessos bizarros, as experiências de Cameron, com base no avanço anterior de Donald O. Hebb, lançou as bases científicas para dois estágios método de tortura psicológica da CIA, afirma Alfred W. McCoy.[10] [11] [12] Donald Hebb, falando em um simpósio na Universidade de Harvard sobre privação sensorial em junho de 1958, Hebb comentou:[13]

O trabalho que temos feito na Universidade McGill[14] , começou, na verdade, com o problema da lavagem cerebral. Nós não fomos autorizados a dizê-lo na primeira publicação .... "Lavagem cerebral" foi um termo que veio um pouco mais tarde, aplicado a procedimentos chineses. Nós não sabíamos quais os procedimentos russos, mas parecia que eles estavam produzindo algumas mudanças peculiares de atitude. Como? Um fator foi possível o isolamento de percepção. E nos concentramos nisso.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. North-404471.shtml. Mcgilltribune.com.
  2. [1]. Alumni_news_details.ch.
  3. [2]. Canada.com.
  4. [3] (PDF). Geocities.jp.
  5. nytimes.com: 13inmate_ProjectMKULTRA.pdf
  6. Jean-Pierre Didier, Emmanuel Bigand. Rethinking Physical and Rehabilitation Medicine: New Technologies Induce New Learning Strategies.He was also part of the now revealed secret agency that tested volunteered solitary confinement prisonersPutting them through tests that can cause madness and delusion that makes humans love inanimate objects and imagining fake objects/scenarios. Springer, 2010. ISBN 978-2-8178-0033-2.
  7. C-SPAN.org: Words Naomi Klein | Video | C-SPAN.org
  8. Naomi Klein: War, Terror, Catastrophe: Profiting From 'Disaster Capitalism' | Naomi Klein
  9. Alfred W. McCoy: History - People - Faculty - Alfred W. McCoy
  10. Salon.com: The 13 people who made torture possible - Salon.com
  11. Democracy Now!: Professor McCoy Exposes the History of CIA Interrogation, From the Cold War to the War on Terror | Democracy Now!
  12. TomDispatch: Alfred McCoy | Authors | TomDispatch
  13. Solomon, P., Kubzansky, Philip E., Leiderman, P. Herbert, Mendelson, Jack H., Trumbull, Richard, & Wexler, Donald , Eds. (1961). Sensory Deprivation: A Symposium Held at Harvard Medical School. Cambridge, MA, Harvard University Press.
  14. mcgilldaily.com: The McGill Daily » Arthur Porter