Universidade Nacional Timor Lorosa'e

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Universidade Nacional Timor Lorosa'e
UNTL
Fundação 17 de novembro de 2000 (14 anos)
Tipo de instituição Pública
Mantenedora Coat of arms of East Timor.svg Ministério da Educação
Localização Dili, Timor-Leste
Funcionários 348 (2014)[1]
Docentes 630 (2014)[1]
Reitor(a) Aurélio Guterres[2]
Total de Estudantes 10.024 (2014)[1]
Campi Dili
Afiliações AULP
Página oficial www.untl.edu.tl

A Universidade Nacional Timor Lorosa'e (único nome oficial, em português) -- em tétum seria Universidade Nasionál Timór Lorosa'e --, UNTL, é uma universidade pública de Timor-Leste, única do tipo no país.

Fundada em 2000, em sequência da independência da nação, tem sua sede na cidade de Díli, a capital nacional.

Por regra, as aulas na UNTL são ministradas em língua portuguesa.

História[editar | editar código-fonte]

No tempo em que Timor era província ultramarina portuguesa não havia universidades no território. Os poucos timorenses que prosseguiam estudos superiores faziam-no, por norma, em Portugal.

Em 1986, em plena época de ocupação indonésia, por iniciativa do então governador Mário Carrascalão, foi fundada a Universitas Timor Timur (UnTim). Esta instituição privada estava vocacionada para a formação de gestores intermédios, técnicos agrícolas e professores do ensino secundário para "Timor Timur". Não tinha cursos como arquitectura, direito ou medicina, nem desenvolvia investigação, e os contactos internacionais eram rigorosamente controlados. Em 1998/99 a UnTim chegou a ter 4 mil estudantes e 73 professores. No entanto, as autoridades indonésias acabariam por mandar encerrar a universidade em Abril de 1999, na sequência das manifestações em prol da realização do referendo pela independência.[3]

Em Setembro de 1999, os militares indonésios e as milícias que apoiavam a integração iniciaram um processo de destruição sistemática das infra-estruturas vitais do país, do qual resultou a destruição de 95% dos estabelecimentos de ensino básico, secundário e superior. As instalações da universidade, bem como todo o seu recheio, foram completamente destruídos.[3]

Apesar de não contar com orçamento inicial da UNTAET, graças ao esforço de professores e alunos da antiga universidade e da escola politécnica (Politeknik Dili),[4] a Universidade Nacional Timor Lorosa'e (UNTL) pôde começar a leccionar para 5 mil alunos logo em Novembro de 2000.

Com o apoio internacional, a nova UNTL fixou-se nas instalações restauradas do antigo Liceu Dr. António de Carvalho, da antiga Escola Técnica Dr. Silva Cunha, na ex-Escola Canto Resende e, mais tarde, também no espaço do antigo Politécnico de Hera e no edifício que antes tinha albergado a UnTim.[3] Isto apesar da maioria das salas de aula estarem, nos primeiros anos, praticamente despojadas do material essencial ao ensino, incluindo mobília. Para além disso, muitas das pessoas tecnicamente mais habilitadas para o ensino superior acabaram por ser atraídas para lugares no governo ou na administração pública do jovem país.

Estrutura[editar | editar código-fonte]

Em 2014 existiam 78 cursos superiores, organizados em sete faculdades:[1]

  • Faculdade de Agricultura
  • Faculdade de Ciências Sociais
  • Faculdade de Economia e Gestão
  • Faculdade de Direito
  • Faculdade de Educação, Artes e Humanidades
  • Faculdade de Engenharia, Ciências e Tecnologia
  • Faculdade de Medicina e Ciências da Saúde.

Junto a estrutura da universidade há ainda:[1]

  • Escola Superior de Filosofia
  • Instituto Nacional de Linguística (INL)
  • Instituto de Língua Portuguesa (ILP)
  • Centro Nacional de Investigação Científica (CNIC)
  • Center for the Advancement of Teaching and Learning (CATL)
  • English Language Center (ELC)

Em Julho de 2001 arrancou o "Instituto Nacional de Linguística" que, entre outras iniciativas, promove o desenvolvimento do tétum, uma das duas línguas oficiais do país.

Em 2014, em parceria com o Instituto Camões, a UNTL criou também o "Instituto de Língua Portuguesa", primeira academia totalmente dedicada ao estudo e promoção da língua portuguesa em Timor.[5]

Convênios[editar | editar código-fonte]

A UNTL preserva uma forte cooperação com as universidades brasileiras, principalmente com a Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB), instituição que absorve a maior parte dos bolsistas de ensino e pesquisa vindos de Timor. A UNILAB também coopera em questões de experiência administrativa e técnica[1]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]