Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
UNILAB
Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira
Símbolo da UNILAB.png
Fundação 20 de julho de 2010
Tipo de instituição Pública Federal
Reitor(a) Nilma Lino Gomes
Vice-reitor(a) Fenando Afonso Ferreira Junior
Estado Bandeira do Ceará.svgCeará
Página oficial www.unilab.edu.br
Instituições de ensino superior do Brasil Brasil

A Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB) é uma instituição de ensino superior pública sediada na cidade de Redenção, Ceará, Brasil.[1] A cidade de Redenção foi escolhida por ser a primeira cidade a abolir a escravidão no Brasil.

Os cursos ministrados na UNILAB são preferencialmente em áreas de interesse mútuo do Brasil e dos demais países da CPLP, com ênfase em temas que envolvam formação de professores, desenvolvimento agrário, processos de gestão e saúde pública, Engenharia e outros.

A Unilab é voltada aos países da África, sobretudo aos PALOP, mas inclui também Timor-Leste e Macau. Seu projeto político-pedagógico pretende é ousado assim como o da Unila e o da Uniam, visando a integração internacional.

Segundo o professor Paulo Speller, presidente da Comissão de Implantação da Unilab. "No primeiro ano (2010), a Universidade terá 350 alunos, oriundos do Brasil e de outros países de língua portuguesa, como Portugal, Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe, Moçambique e Timor-Leste."[2]

A UNILAB possui um outro campus em São Francisco do Conde, na Bahia, e funciona com convênios de cooperação técnica com os futuros campus de Camaçari da UFBA e de Feira de Santana da UFRB.[3] A unidade foi inaugurada em 12 de maio de 2014.

Historia[editar | editar código-fonte]

Paulo Speller - Primeiro Reitor da UNILAB.

O projeto de lei de sua criação foi enviado ao Congresso Nacional brasileiro em 20 de agosto de 2008 [4] . A Comissão de Implantação da Unilab foi empossada pelo Ministro da Educação Fernando Haddad em 14 de outubro de 2008, presidida pelo Professor Paulo Speller, ex-reitor da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT).

Durante esse período foram realizadas incansáveis reuniões, debates e parcerias importantes, tanto no Brasil como no exterior, pelos membros da comissão. Além disso, foram analisadas propostas e diretrizes elaboradas por entidades vinculadas ao desenvolvimento da educação superior no mundo. Foram privilegiados temas propícios ao intercâmbio de conhecimentos na perspectiva da cooperação solidária, além de sua aderência às demandas nacionais, relevância e impacto em políticas de desenvolvimento econômico e social.[5]

A Comissão de Educação e Cultura da Câmara dos Deputados [6] aprovou em 13 de março de 2009 o Projeto de Lei 3891/08, do Executivo, criando a Unilab, com o objetivo de formar recursos humanos para desenvolver a integração entre o Brasil e os demais países da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), especialmente os africanos.

Em 26 de Novembro de 2014, a Unilab inaugurou os blocos acadêmicos do Campus das Auroras. [7]


Estrutura[editar | editar código-fonte]



Ensino[editar | editar código-fonte]

Redenção - Cidade Sede da UNILAB.
CPLP - Grupo de países de língua oficial Portuguesa.

Cursos de Graduação[11] [editar | editar código-fonte]

  • Administração Pública
  • Agronomia
  • Bacharelado em Humanidades – BHU
  • Pedagogia
  • Sociologia
  • Antropologia
  • Ciências da Natureza e Matemática
  • Enfermagem
  • Engenharia de Energias
  • Letras – Língua Portuguesa


Pós-Graduação[12] [editar | editar código-fonte]

  • Gestão Governamental
  • Histórias e Culturas Afro-brasileira, Indígena e Africana
  • Gestão Pública
  • Gestão Pública Municipal
  • Gestão em Saúde
  • MASTS – Mestrado Acadêmico em Sociobiodiversidade e Tecnologias Sustentáveis

Bibliotecas[13] [editar | editar código-fonte]

  • Biblioteca Setorial do Campus da Liberdade
  • Biblioteca Setorial do Campus dos Palmares

Ver também[editar | editar código-fonte]


Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]