Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro
UTAD
Lema Scientia et Labore Omnia Adipiscere
Fundação 1986, antigo Instituto Universitário de Trás-os-Montes e Alto Douro (1979) e anteriormente Instituto Politécnico de Vila Real (1973)
Tipo de instituição Pública
Valor da propina 1019
Estudantes 7.000
Reitor(a) António Fontainhas Fernandes
Vice-reitores Artur Fernando Arede Correia Cristovão, João Filipe Coutinho Mendes, António José Rocha Martins da Silva
Localização Vila Real (sede e Campus), Extensão em Chaves
Página oficial http://www.utad.pt/

​​A Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro nasceu, com tal estatuto, em 1986, embora no seu historial credite também toda uma valiosa herança colhida no “velho” Instituto Politécnico de Vila Real, que em 1973 foi criado nesta cidade.

Este Instituto assumiu um papel relevante contribuindo para o desenvolvimento regional. Daí que, em Setembro de 1979, tenha sido criado o Instituto Universitário de Trás-os-Montes e Alto Douro, e que, menos de dez anos depois, em face do reconhecimento universal da sua intensa atividade dos domínios do ensino e da investigação científica e tecnológica, o Governo transformasse o Instituto Universitário em Universidade. Hoje a UTAD é reconhecida como um importante ponto de referência no sistema universitário português.

De acordo com os seus Estatutos, esta Universidade, que tem como objetivos fundamentais o Ensino, a Investigação, a Extensão e Apoio à Comunidade, deverá constituir um Centro de Excelência para a educação permanente e para a criação, transmissão e difusão da cultura, da ciência e da tecnologia.

A UTAD tem o seu próprio espaço no seio do ensino superior em Portugal pois contribui para que as carências detetadas quanto a cursos de interesse nacional sejam satisfeitas, escolhendo áreas ainda não esgotadas quanto ao mercado de trabalho.

A flexibilidade da UTAD, demonstrada pela sua capacidade de se adaptar a novas situações, conciliando os meios disponíveis com a modernidade do ensino e sendo capaz de propor novas formas de aprendizagem e de transmissão científica, é prova irrefutável da sua vitalidade.

É esta vitalidade que justifica a sua afirmação no seio da Universidade Portuguesa.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]