Upanema

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Upanema
Bandeira de Upanema
Brasão desconhecido
Bandeira Brasão desconhecido
Hino
Fundação Não disponível
Gentílico upanemense
Prefeito(a) Luiz Jairo (PR)
(2009–2012)
Localização
Localização de Upanema
Localização de Upanema no Rio Grande do Norte
Upanema está localizado em: Brasil
Upanema
Localização de Upanema no Brasil
05° 38' 31" S 37° 15' 28" O05° 38' 31" S 37° 15' 28" O
Unidade federativa  Rio Grande do Norte
Mesorregião Oeste Potiguar IBGE/2008 [1]
Microrregião Médio Oeste IBGE/2008 [1]
Municípios limítrofes Mossoró, Assu, Paraú, Campo Grande, Caraúbas e Governador Dix-Sept Rosado
Distância até a capital 268 km[2]
Características geográficas
Área 881,806 km² [3]
População 13 295 hab. (RN: 40º) –  IBGE/2012[4]
Densidade 15,08 hab./km²
Clima Semi-Árido SE
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,596 baixo PNUD/2010[5]
PIB R$ 75 779,535 mil IBGE/2008[6]
PIB per capita R$ 5 773,24 IBGE/2008[6]
Página oficial

Upanema é um município brasileiro do estado do Rio Grande do Norte, localizado na Microrregião do Médio Oeste.

Topônimo[editar | editar código-fonte]

O nome é de origem tupi, admitindo duas interpretações semânticas:

  • "água ruim, rio sem peixes", através da junção dos termos 'y ("água") e panema ("imprestável").[7] [8]
  • "lago fedorento", através da junção dos termos upaba ("lago") e nem ("fedorento")[9] .

Geografia[editar | editar código-fonte]

De acordo com o censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística no ano de 2003, sua população era estimada em 11 715 habitantes. Sua área territorial é de 882 quilômetros quadrados. Portanto, tem uma densidade populacional de treze habitantes por quilômetros quadrado, segundo o censo de 2003.

História[editar | editar código-fonte]

Os primeiros habitantes da região conhecida como Curral da Várzea foram os índios Pegas. Em 1867, o padre Francisco Adelino de Brito, natural do município de Campo Grande, deu início ao povoado utilizando faixas de terras doadas por fazendeiros das redondezas. Logo, a fama das terras férteis e do clima úmido da localidade atraiu inúmeras famílias de agricultores, vindas de várias partes da região, com o objetivo de fixarem moradia.

Entusiasmado com o crescimento do núcleo populacional, o padre Francisco Adelino decidiu construir, em conjunto com os moradores locais, a Capela de Nossa Senhora da Conceição. Além de prestar importantes serviços no campo religioso, a capela estimulava a movimentação popular dentro dos limites do Curral da Várzea.

O povoado ganhou contornos próprios e uma organização espontânea com casas humildes que se alinhavam formando uma rua que foi chamada de Rua da Palha, porque as casas eram feitas, basicamente, com folhas de carnaubeira. Em 1874, o arruado ganhou sua primeira escola. Foi nessa época de maior aglutinação de residências que o padre Adelino teve a ideia de dar um novo nome ao povoado, passando a chamar-se Conceição de Upanema, o que foi bem aceita pela comunidade. A passagem do padre Adelino pelas terras da região foi de fundamental importância para o nascimento da povoação de Curral da Várzea e posteriormente Conceição de Upanema. O padre Adelino, falecido em Triunfo Potiguar (anteriormente Campo Grande), entrou para a história como principal articulador do crescimento da comunidade, como animador popular, como entusiasta da fé e também como extraordinário e afamado cavaleiro, promotor de vaquejadas, sempre firme no pulso, na sela e nos domínios dos cavalos mais difíceis.

No dia 16 de setembro de 1953, pela Lei Estadual 874, Upanema desmembrou-se de Campo Grande, tornando-se mais um município do Rio Grande do Norte.

A Barragem de Umari, construída em 2002[10] , é o terceiro maior reservatório de água do Rio Grande do Norte[11] .

Links Externos[editar | editar código-fonte]

Upanema Online Upanema News Blog do Anax Blog do Professor Josiel

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil. Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Página visitada em 11 de outubro de 2008.
  2. FEMURN. Distâncias dos Municípios do Rio Grande do Norte a Natal-RN. Página visitada em 7 de março de 2011.
  3. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial. Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Página visitada em 5 dez. 2010.
  4. ESTIMATIVAS DA POPULAÇÃO RESIDENTE NOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS COM DATA DE REFERÊNCIA EM 1º DE JULHO DE 2012 (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (30 de agosto de 2011). Página visitada em 31 de agosto de 2012.
  5. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Página visitada em 04 de setembro de 2013.
  6. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Página visitada em 11 dez. 2010.
  7. http://www.fflch.usp.br/dlcv/tupi/vocabulario.htm
  8. http://epoca.globo.com/edic/19991122/cult1.htm
  9. http://www.fflch.usp.br/dlcv/tupi/vocabulario.htm
  10. Barragem Jessé Pinto Freire — Barragem de Umari. Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Estado do Rio Grande do Norte. Página visitada em 13 de janeiro de 2012.
  11. Barragem de Umari atinge capacidade máxima. Jusbrasil (23 de abril de 2009). Página visitada em 13 de janeiro de 2012.
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Rio Grande do Norte é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.