Uriel Acosta

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Uriel Acosta, ou da Costa (Porto, 1585 - Amesterdão, 1640) foi um filósofo judeu de nacionalidade portuguesa, descendente de judeus da Espanha. Nascido no Porto com o nome de Gabriel da Costa Fiuza, sua família era judaica mas tinha-se convertido ao catolicismo, como imposto pelo rei D. Manuel I.

Uriel convenceu a sua família a regressar ao Judaísmo e eles tiveram de se mudar para Amesterdão. Em Amsterdão, foi perseguido pelas autoridades da sua comunidade judaica por causa das suas perspectivas filosóficas (tal como Bento de Espinosa) e acabaria por se suicidar.

Obra[editar | editar código-fonte]

  • No seu livro "Exemplar humanae vitae", Uriel Acosta relata a sua experiência como vítima da intolerância.
  • Propostas contra a tradição (1616)
  • Exame das tradições phariseas conferidas com a Ley Escrita (1624) - crítica ao médico e filósofo Samuel de Silva.

Obra de terceiros sobre ele[editar | editar código-fonte]

  • Uriel Acosta é uma das figuras do romance Expulsão do inferno, de Robert Menasse.
  • Agustina Bessa-Luís: "Um bicho da terra", uma biografia romanceada de Uriel da Costa.
  • Um dos contos de "Dreamers of the Ghetto", do escritor inglês Israel Zangwill, está inspirado em Uriel da Costa.
  • Em 1846 o escritor alemão Karl Gutzkow publicou "Uriel Acosta", drama em cinco atos inspirado na vida de Uriel da Costa.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.