Usina Hidrelétrica Engenheiro Souza Dias

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Três Lagoas - Mato Grosso do Sul

Engenheiro Souza Dias - (Jupiá)
HidreletricaJupia.jpg

Nome: Engenheiro Souza Dias - (Jupiá)
Capacidade: 1.551,2 MW
Barragem
- Altura 280 m
- Extensão 5.495 m
Área alagada: 330 km2
Localização: Três Lagoas / Mato Grosso do Sul, Castilho / São Paulo
Rio: Paraná
Período de construção: primeira metade da década de 1960-1974
Inauguração: {{{inauguração}}}
Proprietário: CESP

A Usina Hidrelétrica Engenheiro Souza Dias está situada sobre o Rio Paraná, na intersecção com o rio Sucuriú, no ponto chamado Jupiá, entre as cidades de Três Lagoas (Mato Grosso do Sul) e Castilho (São Paulo). É a terceira maior usina hidrelétrica do Brasil.

A construção da Usina do Jupiá, como também é chamada, foi iniciada na primeira metade da década de 1960 pelo governador Adhemar Pereira de Barros, e finalizada no ano de 1974, utilizando tecnologia inteiramente brasileira. Apesar de ter sido um projeto desenvolvido durante a ditadura militar, período marcado por obras faraônicas, a Usina Hidrelétrica Engenheiro Souza Dias é relativamente eficaz em termos da área alagada e da destruição ambiental causada e da eletricidade ali produzida. Entre as três maiores usinas hidrelétricas do Brasil, em termos de eficiência perde somente para a maior, a Usina hidrelétrica de Itaipu, e ultrapassa a Usina hidrelétrica de Ilha Solteira.

A usina possui 14 unidades geradoras (tipo Kaplan), que geram até 1.551,2 MW, a partir de um desnível de 21,3 m[1] [2] . Tem, também, dois grupos turbina-gerador para serviço auxiliar, com potência instalada de 4.750 kW em cada grupo.

Sua barragem tem 5.495 m de comprimento e seu reservatório, que capta água água de uma região de 470.000 km2, alaga uma área máxima de 330 km². Opera com o nível constante de 280 metros acima do nível do mar[2] .

É considerada uma usina hidrelétrica a fio d'água[3] .

Além disso, a Usina hidrelétrica Engenheiro Souza Dias tem a seu dispôr uma eclusa que permite a navegação do Rio Paraná, além da integração hidroviária com o Rio Tietê.

A Usina Hidrelétrica Engenheiro Souza Dias encontra-se em conformidade com a Norma ISO 9001:2000.

Faz parte do Complexo de Urubupungá.

Vila dos Operadores[editar | editar código-fonte]

Com a finalidade de acelerar as obras, surgiu o projeto Vila dos Operadores, como era chamada na época, que alojava os operários responsáveis pelas construções como também suas famílias.

O projeto de residencial começou com a criação do Estatuto Formal, seguido de um contrato onde permitiam somente moradores que trabalhassem na CESP, tais como, engenheiros, mecânicos, eletricistas, técnicos e operadores da Usina. Foram construídas 227 casas divididas em 4 blocos. Por volta de 1964/65 deu-se início a algumas construções como: escola, pousada, pomar, supermercado, barbearia, correio, rodoviária, entre outras. A pousada alojava apenas os engenheiros estrangeiros (franceses e italianos).

Após 30 anos, a CESP em acordo com Mário Celso Lopes Empreendimentos, deu início ao projeto de privatização das casas da Vila dos Operadores. Passou-se a chamar Condomínio Jupiá Park e mais tarde, com a privatização das casas, Condomínio Residencial Encontro das Águas que conta com cerca de 133 famílias residentes.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Usina Hidrelétrica Eng Souza Dias (Jupiá), acesso em 29 de junho de 2014.
  2. a b Dados Característicos - UHE Jupiá, acesso em 29 de junho de 2014.
  3. SILVA FILHO, Donato. Dimensionamento de Usinas Elétricas Através de Técnicas de Otimização Evolutiva. Tese de doutorado em engenharia elétrica na Universidade de São Paulo (Campus de São Carlos). Dezembro de 2003.