Utraquismo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Utraquismo (do latim sub utraque specie, ou seja, "em ambas as espécies"), é uma corrente de pensamento cristão que afirma que a Eucaristia deve sempre ser administrada a todos os fiéis em "ambas as espécies ", ou seja, pão e vinho. Na prática de algumas igrejas, principalmente católicas, tradicionalmente apenas os sacerdotes bebem o vinho consagrado durante a celebração.

Historicamente, os utraquistas foram uma facção dos hussitas, seguidores do teólogo rebelde Jan Hus, que foi condenado à morte pela fogueira em 1415.[1]

Após um período de conflito militar, especialmente na antiga Morávia,[2] , o utraquistas se reconciliaram com a Igreja Católica. Os Utraquistas eram uma facção moderada dos hussitas (em contraste com os taboritas mais radicais). Os Utraquistas eventualmente se uniram a Santa Sé e derrotaram os Taboritas na Batalha de Lipany em 1434.

No entanto, o utraquismo sobreviveu sob a forma de vários surtos de reforma da Igreja, até que em 1920 se formou a Igreja hussita checoslovaca de forma independente.

Referências[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. D. MacCulloch, Reformation: Europe's house divided, Penguin Books, Londres, 2004, pág. 37.
  2. C. Grimberg, Historia Universal: Los siglos del Gótico, Ediciones Daimon, Madrid, 1973, págs. 83-87.
  • Grimberg, Carl (1973), Historia Universal: Los siglos del Gótico, Ediciones Daimon, Madrid, ISBN 84-231-0585-7
  • MacCulloch, Diarmaid (2004), Reformation: Europe's house divided, Penguin Books, Londres, ISBN 0-140-28534-2
  • Nĕmec, Ludvík (1975), The Czechoslovak Heresy and Schism: the emergence of a national Czechoslovak church American Philosophical Society, Philadelphia (EE.UU.), ISBN 0-87169-651-7