Vabalato

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde Fevereiro de 2008).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

Lucius Iulius Aurelius Septimius Vaballathus Athenodorus (Vabalato) foi soberano do Império de Palmira (266/267-273).

Antoniniano cunhado por Vabalato. As moedas de Vabalato também mostram inicialmente retratos de Aureliano. Isso significa que Aureliano e Vabalato reconheciam os seus poderes relativos.

Vabalato é a forma latinizada de seu nome arábico, Wahb Allat, cujo significado pode ser interpretado como 'presente da deusa'. Com o tempo, conforme a deusa arábica Allat veio a ser identificada com Atena, ele usou Athenodorus como a forma grega para seu nome.

Filho de Septímio Odenato, Rei de Palmira, e sua esposa Zenóbia, quando seu pai foi assassinado por seu primo Maconius (266/267), Vabalato foi feito rei, com os títulos "rex consul imperator dux Romanorum" (Ilustre Rei dos Reis) e "corrector totius orientis" do Império de Palmira. No entanto, o verdadeiro poder por detrás do trono era sua mãe Zenóbia, que veio a conquistar as regiões do Egito, Síria, Palestina, Ásia Menor e Líbano.

Inicialmente, o Imperador Romano Aureliano de certa forma reconheceu a regência de Vabalato, possivelmente devido ao fato de ele estar ocupado com o Império Gaulês no oeste, não tendo a intenção de manter um conflito armado aberto com o Império de Palmira. Esse reconhecimento mútuo é comprovado por moedas cunhadas por Vabalato, nas quais Aureliano é retratado com o título de Augustus. Porém, com o passar do tempo, o relacionamento entre os dois piorou e conseqüentemente Aureliano desapareceu das moedas cunhadas em Palmira, enquanto Vabalato e Zenóbia, adotaram os títulos de Augustus e Augusta, respectivamente.

O final do reinado de Vabalato veio quando Aureliano conquistou e saqueou Palmira (272-273) e capturou Vabalato e sua mãe, levando-os de volta a Roma como reféns. De acordo com Zósimo, Vabalato morreu no caminho a Roma.