Valério (Cachoeiras de Macacu)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


Valério pode referir-se a:

Município de Valério
"Balneário Valério"
Bandeira de Valério
Brasão de Valério
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 18 de dezembro
Fundação 18 de dezembro de 1860 (154 anos)
Gentílico valeriense ou valeriano
Lema Facito Victoria
Padroeiro(a) São Pedro
Prefeito(a) Presidente - Fabiano (AMAVEL)
(2013–2016)
Localização
Localização de Valério
Localização de Valério no Rio de Janeiro
Valério está localizado em: Brasil
Valério
Localização de Valério no Brasil
22° 44' 10" S 42° 63' 55" O22° 44' 10" S 42° 63' 55" O
Unidade federativa  Rio de Janeiro
Mesorregião Mesorregião Serrana do Rio de Janeiro Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística/2008[1]
Microrregião Serra Verde Imperial Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística/2008[1]
Região metropolitana Rio de Janeiro[2]
Municípios limítrofes Bairros de: São Lourenço, NF, Boca do Mato, CM, Macaé de Cima, NF, Bananeiras, SJ, Boa Vista, CM , Rasgo, CM e Tuim, CM
Distância até a capital 97 km
Características geográficas
Área 955,806 km² [3]
População 5,529 hab. Censo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística/2010[4]
Densidade 0,01 hab./km²
Altitude 600 m
Clima Clima de serra Cwa
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,752 (RJ: 54º) – alto PNUD/2000[5]
PIB R$ 779 077,531 mil Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística/2008[6]
PIB per capita R$ 13 781,91 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística/2008[6]
Página oficial
Rio Macacu
Comprimento 130 km
Nascente Serra do Mar
Altitude da nascente 1.600 m
Foz Baía de Guanabara
Área da bacia 200 km²
Afluentes
principais
Rios:

Rio Macuqui, Rio Valério, Rio Souza e Rio das Tocas.

País(es)  Brasil
País(es) da
bacia hidrográfica
 Brasil
Rio Valério
Comprimento 21 km
Nascente Morro Queimado na Serra do Mar
Altitude da nascente 1.400 m
Foz Baía de Guanabara
Área da bacia 35 km²
País(es)  Brasil
País(es) da
bacia hidrográfica
 Brasil
Rio Souza
Comprimento 19 km
Nascente Serra do Mar
Altitude da nascente 1.600 m
Foz Baía de Guanabara
Área da bacia 39 km²
Afluentes
principais
Rios:

Rio São Joaquim

Córrego: Córrego Vermelho

País(es)  Brasil
País(es) da
bacia hidrográfica
 Brasil
Rio das Tocas
Comprimento 11 km
Nascente Serra do Mar
Foz Baía de Guanabara
Área da bacia 23 km²
Afluentes
principais
Córrego:

Córrego do Areado.

País(es)  Brasil
País(es) da
bacia hidrográfica
 Brasil
Rio Macacu

Valério é um bairro na (Região da Serra Imperial) na Cidade de Cachoeiras de Macacu no estado do Rio de Janeiro, no Brasil. Localiza-se a uma latitude 22º 27' 45" sul e a uma longitude 42º 39' 11" oeste, estando a sede do bairro a uma altitude entre 100 a 200 metros.Localiza-se na Região Serrana do Estado. A população recenseada em 2010 era de 5.529 habitantes. É atravessado pelo Rio Valério que do nome ao bairro, o Rio São Joaquim, Rio Souza e Rio Macacu, o maior rio que deságua na Baía de Guanabara, tanto em extensão quanto em volume d'água. Sua economia baseia-se no turismo e serviços com destaque para (comercio, pousadas, gastronomia), e industrias (pequenas/médias). O mesmo faz parte da Serra Verde Imperial. O bairro tem Serras que chegam a 1.600 metros, e até mais, por exemplo o Pico, situado na divisa com Silva Jardim. Rico em mata atlântica, rios, mais de 08 cachoeiras de águas cristalinas.

Rio Macacu.

Topônimo[editar | editar código-fonte]

O nome do bairro é uma referência ao Rio Valério, um Rio que nasce entre as altitudes de 1.400 metros a 1.600 metros no Morro Queimado da Serra do Mar na Divisa com a Cidade de Nova Friburgo.

História[editar | editar código-fonte]

O povoamento da Região do Valério, não se tem data exata, no entanto acredita-se que iniciou-se no século XVI, junto com a ocupação das margens do Rio Macacu. Com o avanço na criação da Freguesia de Santo Antônio de Casseribu em 1647 e após passar à categoria de vila e conselho em 1697, passando a chamar-se Santo Antônio de Sá, provavelmente nesse período se deu início as atividades agrícolas de Banana, Açúcar, Aipim e Milho pelas primeiras Fazendas e anteriores onde hoje se situam as Fazendas de São Joaquim, Fazenda Santa Ana e a Extinta Fazenda Brasil.

Um grande impacto em toda a Região e em consequência no Balneário do Valério se deu no que se convencionou chamar de Linha do Cantagalo pela E. F. Leopoldina, que correspondia a apenas parte da E. F. Cantagalo, ferrovia original da região. Entre 1860 e 1873, a linha foi construída e aberta entre Porto das Caixas e Macuco, o que ocasionou em 1868 a transferência da sede do município que passa para a vila de Santana e, em 1877, que passou a chamar-se Santana de Macacu, com a transferência da antiga sede municipal para o município de Itaboraí, em Porto das Caixas. Essa linha originalmente tinha a bitola de 1.676m, depois reduzida para 1.109m e finalmente para métrica. O prolongamento desde a Estação de Cordeiro, nesse trecho, até Portela, às margens do Rio Paraíba do Sul, somente foi aberto por pequenos trechos, entre 1876 e 1890, e esse trecho no início era chamado de Ramal Férreo do Cantagalo. Em 1890 a Leopoldina já era dona de todo o trecho, e passou a utilizar o termo Linha do Cantagalo.

Sendo que a estação de Cachoeiras foi inaugurada em 1860 junto com a respectiva Estação Valério, Estação Boca do Mato e a Estação de Transferência no Meio da Serra, pela E. F. do Cantagalo. O nome Rasgo é consequente da construção do trecho ferroviário entre a Estação Cachoeiras e a Estação Valério, onde foi necessário executar um corte no terreno (Rasgo no Morro), motivado por uma elevação brusca que impossibilitava a implantação da linha férrea de fato. E que ocorreu no cruzamento hoje da Rua M.X. Maia e a Rua do A. Mendes se estendendo por uma distância de aproximadamente 148 metros em direção ao Centro do Valério, que impressiona por ter sido realizado apenas com ferramentas manuais. Sendo esse também o motivo do nome do Córrego do Rasgo. Essa área do Rasgo que fazia parte inicialmente da Fazenda São Joaquim e faz parte do Valério foi adquirida por uma Empresa e transformada em Loteamento do Rasgo, se estendendo até a trevo da na RJ 116 com a Rua M.X. Maia.

Outra Fazenda adquirida e transformada em Loteamento foi a Fazenda Brasil, que foi comprada por uma Empresa e deu lugar ao Loteamento Castália que é na verdade o nome de uma náiade (uma ninfa aquática) que foi transformada por Apolo em nascente de água, perto de Delfos (a Fonte de Castália) e na base do Monte Parnaso. Castália inspirava o gênio poético daqueles que bebessem das suas águas ou ouvissem o movimento das suas águas. A água sagrada também era usada para as limpezas dos templos em Delfos. O escritor alemão do século XX Hermann Hesse usou Castália como inspiração para o nome da província fictícia na sua magnum opus de 1943 com o título O Jogo das Contas de Vidro (Das Glasperlenspiel).

O Loteamento Castália que tem como símbolo na entrada do Loteamento uma Pirâmide, feita com pedras colhidas no Rio Valério, o mesmo Rio é formado por uma micro bacia composta de dezenas de córregos e nascentes e da nome a toda a Região do Valério, de onde nasce e corre serpenteando a Mata Atlântica e a Serra dos Órgãos e deságua no Rio Macacu .

Mais um grande impacto se deu foi quando a linha férrea foi fechada por partes: entre Cachoeiras de Macacu e Portela a supressão ocorreu em 1967, enquanto que o trecho inicial foi suprimido em 1973. Os trens de passageiros acabaram antes: entre 1962 e 1963 no trecho Cantagalo-Portela e em 15 de julho de 1964 no trecho Cachoeira de Macacu-Cantagalo. Em 1969, o trecho inicial do ramal também teve os trens cancelados.

O fato obrigou a diversificar a sua economia e por consequência teve um êxodo habitacional dentro do próprio Balneário do Valério com a migração de diversas famílias das Fazendas Santa Ana que se transformou em Pousada e a Fazenda São Joaquim foi transformada em Hotel e teve a implantação de uma Fábrica de Envasamento de Hidrominerais. A principal migração foi para a área do Centro do Valério e consequentemente para o Loteamento Sady por volta dos anos 1970 a 1975. As demais áreas foram loteadas individualmente por volta de 1930 como é o caso do Centro do Valério. Já o Loteamento do Sítio Sossego foi loteado em 1989. A Praça Orácio Cunha situada na Rua Dorvalino Nogueira foi inaugurada pelo Sr. Prefeito Cezar de Almeida, no dia 22 de junho de 1991, neste mesmo dia foi lançada à Pedra Fundamental da Igreja de São Pedro situada na Estrada Valério-São Joaquim e da Caixa D’água do Loteamento Sady, que teve o terreno doado pelo Sr. Marulécia, a Prefeitura tendo doado os materiais e a população tendo executado mutirão e realizado a obra. No Balneário do Valério ainda hoje existe a Escola Estadual Municipalizada Fazenda Brasil, que uma escola centenária e uma das primeiras Escolas Técnicas Agrícolas do Estado que teve a sua atuação modificada a mais de 70 anos, passando a se dedicar ao ensino de público local. Hoje se encontra reformada e fechada com atividades encerradas por força de Decreto Municipal expedido no ano de 2010 pela Secretaria Municipal de Educação de Cachoeiras de Macacu.

É importante notar que o Balneário do Valério é uma Região com uma rica história e fruto da abertura das antigas Fazendas que delimitaram o seu território e solidificaram a ocupação da Região sendo assim tornou-se importante a construção de uma Estação Ferroviária, que com o término da mesma obrigou a Região a uma reorganização e adaptação. As transformações sempre foram motivadas pela iniciativa privada o que tornou o Balneário muito independente do poder público tendo hoje uma Rede bem servida de Comércio, Indústria e Serviços com um vocação natural muito forte para o turismo, a prática de esportes e a prestação de serviços. O Bairro do Valério hoje está situado no 1º Distrito: Cachoeiras de Macacu (Sede).

Subdivisão[editar | editar código-fonte]

Em 9 de setembro de 1844, houve uma nova divisão administrativa cuja deliberação determinou a criação de mais distritos:

1° Sub Bairro - Centro:

      • 1° Loteamento - Sady
      • 2° Loteamento - Sítio Sossego
  • 1° Vila - Valdemiro
  • 2° Vila - Valerinho
  • 3° Vila - Nelson Gonçalves


2° Sub Bairro - Castália:

  • 1° Vila - Tocas
  • 2° Vila - Usina
  • 3° Vila - Maranata


3° Sub Bairro - Fazenda Brasil:

  • 1° Vila - Adrião Izidio
  • 2° Vila - José Rosa


4° Sub Bairro - Fazenda São Joaquim

  • 1° Vila - Fazenda Santa Ana


5° Sub Bairro - Santa Mônica:

  • 1° Vila - Virindinho
  • 2° Vila - Escultor


6° Sub Bairro - Laurinho:

  • 1° Vila - Araras
  • 2° Vila - Capitão Melo


7° Sub Bairro - Marieta


8° Sub Bairro - Cedae

  • 1° Vila - Estrada de Ferro

Histórico das subdivisões[editar | editar código-fonte]

Até 1860, não havia nenhuma divisão no Valério, seu território estendia-se das divisas com os bairros de: São Lourenço - Nova Friburgo, Boca do Mato, Macaé de Cima - Nova Friburgo, Bananais - Silva Jardim, Rasgo, Boa Vista e Tuim. As mesmas dimensões gerais são mantidas ainda hoje.

Regiões 

O bairro se estende de sul a norte, em comprimento. As primeiras informações sobre o bairro contam que os imigrantes chegaram à Fazenda do Morro Queimado pelas encostas seguindo o Rio Valério no Pico da Caledônia, por isso a região da Antiga Fazenda Brasil hoje Loteamento Castália, juntos das áreas abertas pela Estrada de Ferro Leopoldina são possivelmente as primeiras colonizadas da região. Ao longo do anos, o bairro foi tomando sua forma atual.

O Valério pode ser dividido nas Regiões Norte pelos Sub bairros( Centro e Fazenda São Joaquim), sul (Fazenda Brasil e Santa Mônica), oeste (Laurinho) e no leste (Castália). No dia 4 de fevereiro de 1863, foi criado o distrito de Nossa Senhora da Conceição de Sebastiana. Posteriormente outros distritos foram criados, mas a área do município de Nova Friburgo sofreu grande diminuição com a cessão de mais partes do seu território para formação de outros municípios como Sapucaia, Teresópolis, Carmo, Sumidouro, Bom Jardim e outras pequenas porções para organizar a divisão territorial. Os demais distritos de Nova Friburgo foram surgindo à medida que pequenas vilas foram crescendo e se unindo em aglomerados urbanos maiores e a terem maior importância política. A lei n° 1809, de 25 de janeiro de 1924, estabelece novo ordenamento dos distritos no município de Nova Friburgo com as seguintes denominações: 1° Cidade (atual cidade de Nova Friburgo); 2° Estação do Rio Grande; 3° Distrito de Terras Frias, com sede em Campo do Coelho; 4° Amparo e 5° São Pedro.

Clima[editar | editar código-fonte]

Valério possui um clima tropical de altitude (Cwa de acordo com a classificação climática de Köppen-Geiger), com invernos frescos e secos e verões agradáveis e úmidos. A temperatura média do bairro é de 19 °C.

Nuvola apps kweather.svg Dados climatológicos para Valério Weather-rain-thunderstorm.svg
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima média (°C) 27,0 27,6 26,9 24,8 22,9 21,6 21,1 22,5 22,9 23,9 24,8 25,5 24,3
Temperatura mínima média (°C) 17,1 17,1 16,8 14,8 11,9 10,1 9,5 10,3 12,3 14,3 15,5 16,3 13,8
Precipitação (mm) 208,6 167,2 151,0 72,3 45,6 26,6 19,7 22,9 41,3 83,4 169,2 238,7 1 246,5
Fonte: Tempo Agora

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  2. Cachoeiras de Macacu é incluída na Região Serrana ALERJ Notícias (2010).
  3. IBGE (10 de outubro de 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 de dezembro de 2010.
  4. Censo Populacional 2010 Censo Populacional 2010 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Visitado em 11 de dezembro de 2010.
  5. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  6. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 11 de dezembro de 2010.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]