Vale de M'Zab

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde Janeiro de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Pix.gif Vale de M'Zab *
Welterbe.svg
Património Mundial da UNESCO

Ghardaia.jpg
Vista panorámica de Ghardaia
País  Argélia
Critérios C(ii) (iii) (v)
Referência 188
Coordenadas 32º28'N 3º40'E
Histórico de inscrição
Inscrição 1982  (6ª sessão)
* Nome como inscrito na lista do Património Mundial.

A paisagem do Vale de M'Zab, criada no século X pelos Ibaditas em torno de suas cinco ksour ou cidades fortificadas, aparenta estar intacto. Simples, prático e perfeitamente adaptado ao ambiente, a arquitetura do M'Zab foi concebida para a vida em comunidade, respeitando as estruturas familiares. É uma fonte de inspiração para os urbanistas de hoje.

As cinco cidades fortificadas são: Ghardaia, Mélika, Atteuf, Bou Nioura e Isguen. Cada cidade tem sua própria mesquita e o seu minarete tem função de uma torre de observação. A mesquita, na verdade, foi construída como uma fortaleza, último lugar de resistência em caso de invasão; comporta também um arsenal e um silo de grãos. Em volta da mesquita organizam-se as casas em círculos concêntricos. Cada casa, uma célula padronizada, representa uma organização social igualitária fundada sob o respeito à estrutura familiar, cuja intimidade e automia devem ser respeitadas. Fora dos muros a igualdade continua. As sepulturas dos cemitérios não se distinguem.

O modo de vida da população incluía a migração sazonal. Durante o verão as populações se mudavam para cidades onde a organização do habitat era menos formal, mas não menos segura.

Em 1982 o Vale de M'zab foi inscrito como Património mundial pela UNESCO.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]