Vale de Nogueiras

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Portugal Vale de Nogueiras  
—  freguesia portuguesa extinta  —
Santuário de Panóias (vista parcial)
Santuário de Panóias (vista parcial)
Bandeira de Vale de Nogueiras
Bandeira
Brasão de armas de Vale de Nogueiras
Brasão de armas
Vale de Nogueiras está localizado em: Portugal Continental
Vale de Nogueiras
Localização de Vale de Nogueiras em Portugal Continental
41° 17' 29" N 07° 40' 49" O
Concelho primitivo Vila Real
Concelho (s) atual (is) Vila Real
Freguesia (s) atual (is) Constantim e Vale de Nogueiras
Fundação 2 de Abril de 1258 (foral)
Extinção 28 de janeiro de 2013
Área
 - Total 19,55 km²
População (2011)
 - Total 836
    • Densidade 42,8/km2 
Orago São Pedro

Vale de Nogueiras, por vezes designada Valnogueiras,1 foi uma freguesia portuguesa do concelho de Vila Real. Tinha 19,55 km² de área2 e 836 habitantes (20113 ). Foi extinta (agregada) pela reorganização administrativa de 2012/2013,4 sendo o seu território integrado na União das Freguesias de Constantim e Vale de Nogueiras.

Incluía no seu território os seguintes lugares: Assento, Carro Queimado, Carvas, Galegos, Ludares, Santa Marta e Vale de Nogueiras (sede).

População da freguesia de Vale de Nogueiras (1801–2011)
1801

5

1849

6

1864

7 8

1878

7 9

1890

7 10

1900

7 11

1911

7 12

1920

7 13

1930

7 14

1940

7 15

1950

7 16

1960

7

1970

17

1981

18

1991

19

2001

20

2011

3

650 864 1 228 1 238 1 140 1 174 1 198 1 120 1 282 1 365 1 463 1 374 1 195 1 050 1 029 1 011 836

História[editar | editar código-fonte]

É no território desta antiga freguesia, junto ao lugar de Assento, que se situa o Santuário de Panóias, outrora centro administrativo das Terras de Panóias, situadas entre a Serra do Marão e o Rio Tua.

Vale de Nogueiras recebeu foral de D. Afonso III (2 de Abril de 1258), juntamente com Arroios.

Galegos terá recebido foral de D. Dinis em 1300. Em 12 de Novembro de 1519, por foral de D. Manuel I, a terra foi desanexada do termo de Vila Real, passando a ter o estatuto de vila e sede de concelho.21 Era donatário o Marquês de Távora. Em 1759, com a extinção da Casa dos Távoras por acusação de conjura contra D. José, Galegos é integrado na Coroa e Fazenda Régia.22 O micro-concelho de Galegos (menos de 50 fogos em 1758)23 foi extinto a 6 de Novembro de 1836, aquando da Reforma Administrativa de Passos Manuel (Liberalismo).24

Na sequência da reorganização administrativa ditada pela Lei n.º 22/2012,25 o seu território foi anexado ao da vizinha freguesia de Constantim, passando o conjunto a designar-se oficialmente União das Freguesias de Constantim e Vale de Nogueiras.4 Assim, "Vale de Nogueiras" foi de facto extinta enquanto designação oficial de freguesia.

Património[editar | editar código-fonte]

Notas e Referências

  1. Cf. Associação Cultural e Desportiva de Valnogueiras. Em todos os Censos (desde 1801) a designação da freguesia tem sido sempre, com uma excepção, "Vale de Nogueiras" (ou "Valle de Nogueiras" na grafia antiga); a excepção é o Censo de 1864, onde a freguesia surge como "Valle Nogueiras".
  2. Instituto Geográfico Português, Carta Administrativa Oficial de Portugal (CAOP), versão 2012.1
  3. a b INE (2012) – "Censos 2011 (Dados Definitivos)", "Quadros de apuramento por freguesia" (tabelas anexas ao documento).
  4. a b Diário da República, Reorganização administrativa do território das freguesias, Lei n.º 11-A/2013, de 28 de janeiro, Anexo I.
  5. Luís Nuno Espinho da Silveira, coord. (2001) – "Os Recenseamentos da População Portuguesa de 1801 e 1849: Edição crítica, vol. I" (Censos 1801), p. 241 (ficheiro: p. 250).
  6. Luís Nuno Espinho da Silveira, coord. (2001) – idem, vol. III (Censos 1849), p. 788 (ficheiro: p. 133).
  7. a b c d e f g h i j INE (1964) – "X Recenseamento Geral da População no Continente e Ilhas Adjacentes às 0 horas de 15 de Dezembro de 1960. Tomo I, volume I" (Censos 1960), p. 90 (ficheiro: p. 116).
  8. Estatística de Portugal (1868) – "População: Censo no 1.º de Janeiro 1864" (Censos 1864), p. 232 (ficheiro: p. 258).
  9. Estatística de Portugal (1881) – "População no 1.º de Janeiro 1878 (parte 2)" (Censos 1878), p. 331 (ficheiro: p. 143).
  10. Direcção da Estatística Geral e Comércio (1896) – "Censo da População do Reino de Portugal no 1.º de Dezembro de 1890. Volume I" (Censos 1890), p. 238 (ficheiro: p. 357).
  11. Direcção Geral da Estatística e dos Próprios Nacionais (1905) – "Censo da População do Reino de Portugal no 1.º de Dezembro de 1900 (Quarto recenseamento geral da população). Volume I" (Censos 1900), p. 248 (ficheiro: p. 258).
  12. Direcção Geral da Estatística (1913) – "Censo da População de Portugal no 1.º de Dezembro de 1911 (5.º Recenseamento Geral da População). Parte I" (Censos 1911), p. 228 (ficheiro: p. 267).
  13. Direcção Geral de Estatística (1923) – "Censo da População de Portugal no 1.º de Dezembro de 1920 (6.º Recenseamento Geral da População). Volume I" (Censos 1920), p. 178 (ficheiro: p. 229).
  14. Direcção Geral de Estatística (1933) – "Censo da População de Portugal no 1.º de Dezembro de 1930 (7.º Recenseamento Geral da População). Volume I" (Censos 1930), p. 190 (ficheiro: p. 192).
  15. INE (1945) – "VIII Recenseamento Geral da População no Continente e Ilhas Adjacentes em 12 de Dezembro de 1940. Volume XVIII: Distrito de Vila Real" (Censos 1940), p. 28 (ficheiro: p. 32).
  16. INE (1952) – "IX Recenseamento Geral da População no Continente e Ilhas Adjacentes em 15 de Dezembro de 1950. Tomo I" (Censos 1950), p. 238 (ficheiro: p. 240).
  17. INE (1975) – "11.º Recenseamento da População, 1.º Recenseamento da Habitação: População e Alojamento por lugares: distrito de Vila Real", p. 45. (Ficheiro: "11.º Recenseamento da População, 1.º Recenseamento da Habitação: continente e ilhas" (Censos 1970), p. 1029.)
  18. INE (1983) – "XII Recenseamento Geral da População, II Recenseamento Geral da Habitação: Resultados Definitivos: Distrito de Vila Real" (Censos 1981), p. 5 (ficheiro: p. 15).
  19. INE (1993) – "Censos 91: Resultados Definitivos – Região do Norte", p. 34 (ficheiro: p. 32).
  20. INE (2003) – "Censos 2001: Resultados definitivos: XIV Recenseamento Geral da População, IV Recenseamento Geral da Habitação: Norte", p. 28 (ficheiro: p. 131).
  21. Arquivo Distrital de Vila Real, "Câmara Municipal de Galegos"
  22. Ribeiro Aires (2007) — História das Freguesias do Concelho de Vila Real. Vila Real: Maronesa. pp. 681 ss.
  23. José Viriato Capela et al. (2006) — As Freguesias do Distrito de Vila Real nas Memórias Paroquiais de 1758. Memórias, História e Património. Braga: Instituto de Ciências Sociais da Universidade do Minho. p. 48
  24. José Viriato Capela et al. (2006) — op. cit., p. 68. Note-se que, contrariando estes autores, o concelho de Galegos já não aparece listado nos Censos de 1801; cf. Luís Nuno Espinho da Silveira, coord. (2001) – op. cit., vol. III, p. 937 (ficheiro: p. 282).
  25. Diário da República, Regime jurídico da reorganização administrativa territorial autárquica, Lei n.º 22/2012, de 30 de maio

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre freguesias portuguesas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.