Valentín González

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Valentín González
Nascimento 4 de novembro de 1904
Malcocinado, Badajoz,
Morte 20 de agosto de 1983 (78 anos)
Madrid
Nacionalidade espanhol
Serviço militar
Patente Tenente-coronel
"El Campesino" direcionando soldados republicanos em Villanueva de la Cañada; 1937

Valentín González González (Malcocinado, 04 de novembro de 1904 – Madrid, 20 de outubro de 1983) era um comandante militar republicano durante a Guerra Civil Espanhola. Conhecido como El Campesino (O camponês) serviu no Exército Popular (Exército do Povo) na Segunda República Espanhola.

Gonzalez nasceu na província de Badajoz, Espanha, trabalhou como mineiro e era membro do partido comunista, ele criou uma das primeiras unidades de milícias contra o exército nacionalista de Francisco Franco.

Como um comandante de brigada, pessoalmente participou de todas as grandes ações que ocorreram durante o assalto dos nacionalistas em Madrid em 1936. Ele também liderou formações durante as batalhas da Corunha Road (Dezembro de 1936),[1] Jarama e Guadalajara (março de 1937).[2] No verão de 1937, ele liderou a 46 a Divisão na Batalha de Brunete.[3]

Referências em outras mídias[editar | editar código-fonte]

Valentín González é mencionado no livro de Ernest Hemingway Por Quem os Sinos Dobram, através dos pensamentos de Robert Jordan, que o descreveu como corajoso e difícil, um homem que "nunca soube que tudo estava perdido e se fosse ele lutaria com isso." (Hemingway, 246)[4]

Referências

  1. Thomas, Hugh. (2001). The Spanish Civil War. Penguin Books. London. p.477
  2. Thomas, Hugh. (2001). The Spanish Civil War. Penguin Books. London. p.581.
  3. Thomas, Hugh. (2001). The Spanish Civil War. Penguin Books. London. p.691
  4. Hemingway, Ernest. For Whom the Bell Tolls. USA: Scribner, 1968. 246

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

  • Beevor, Anthony (2006), The Battle for Spain: The Spanish Civil War, 1936-1939, Phoenix, ISBN 0-7538-2280-6 
  • González, Valentín. Vida y muerte en la URSS (em <Língua não-reconhecida>). [S.l.]: Bell, 1951.