Valinhos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde fevereiro de 2012). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde fevereiro de 2008).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Município de Valinhos
Bandeira de Valinhos
Brasão de Valinhos
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 30 de dezembro de 1953
Gentílico valinhense
CEP 13270-000 até 13279-999
Prefeito(a) Clayton Roberto Machado (PSDB)
(2013–2016)
Localização
Localização de Valinhos
Localização de Valinhos em São Paulo
Valinhos está localizado em: Brasil
Valinhos
Localização de Valinhos no Brasil
22° 58' 15" S 46° 59' 45" O22° 58' 15" S 46° 59' 45" O
Unidade federativa  São Paulo
Mesorregião Campinas IBGE/2008[1]
Microrregião Campinas IBGE/2008[1]
Região metropolitana Campinas
Municípios limítrofes Campinas, Morungaba, Itatiba, Vinhedo e Itupeva
Distância até a capital 82 km[2]
Características geográficas
Área 148,528 km² [3]
População 106 968 hab. Censo IBGE/2010[4]
Densidade 720,19 hab./km²
Altitude 660 m
Clima subtropical úmido Cwa
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,819 (SP:16°) – muito alto PNUD/2010[5]
PIB R$ 3 107 957,685 mil IBGE/2008[6]
PIB per capita R$ 29 520,31 IBGE/2008[6]
Página oficial

Valinhos é um município brasileiro do estado de São Paulo. Localiza-se a uma latitude 22º58'14" sul e a uma longitude 46º59'45" oeste, estando a uma altitude de 660 metros. Sua população estimada em 2011 era de 108.282 habitantes. Possui uma área de 148,96 km². Valinhos está localizada estrategicamente na Região Metropolitana de Campinas.

Conhecida como a capital do figo roxo, hoje também é lembrada pela grande produção de goiaba, o município também é lembrado quando se fala do compositor, cantor e ator Adoniran Barbosa, nascido nesta cidade no dia 6 de agosto de 1910. Adoniran Barbosa é um grande ídolo deste município até hoje pela a sua história, um dos artistas mais consagrados e de referência quando se fala em, samba, fez história na cidade de São Paulo (capital) com a composição da música Trem das Onze, onde também faleceu no dia 23 de novembro de 1982.

História[editar | editar código-fonte]

O primeiro marco na história de Valinhos registra a concessão de uma sesmaria a Alexandre Simões Vieira no dia 2 de dezembro de 1732, que foi outorgada pelo presidente de São Paulo, Antônio Luís de Távora, o conde de Sarzedas. Conta a história que Alexandre Simões Vieira abriu um caminho novo de Jundiaí aos Goiases, tendo como paragem um ribeirão chamado Pinheiros. Este trajeto novo tinha por objetivo substituir o então caminho da Vila de Jundiaí até a paragem chamada Campinas do Mato Grosso, por este ser ruim e muito longo. Até então, o caminho era conhecido como Estrada de Goiás e passou a ser bastante utilizado a partir de 1722, com a descoberta de ouro em Goiás.

O Pouso de Pinheiros, pelos registros históricos, foi o primeiro marco oficial de uma área dentro do atual município de Valinhos e, conforme os historiadores, teve existência quase centenária. Segundo o professor Mário Pires, em seu livro “Valinhos: Tempo e Espaço”, a localização deste chamado Pouso de Pinheiros provavelmente é o atual bairro Capuava, o qual o historiador considera a “célula mater” de Valinhos.

No período em que a sesmaria foi outorgada, Campinas ainda era chamada de bairro de Mato Grosso das Campinas, pertencente ao município de Jundiaí. Em 1741, Francisco Barreto Leme, juntamente com sua família, fixou-se na região e deu início a um povoado. Em 1774, o então bairro de Jundiaí foi elevado à categoria de Distrito e, em 16 de novembro de 1797, Campinas tornou-se município.

A partir daí, não se sabe precisar quando foi fundada a vila de Valinhos. Porém, na área onde está localizado o município hoje, já naquele período se constatava o desenvolvimento através de grandes fazendas. A fazenda Dois Córregos, hoje bairro Dois Córregos, pertenceu ao brigadeiro Luís António de Sousa Queirós, tido como o homem mais rico da capitania, que chegou a possuir, só em Campinas, dezesseis engenhos de açúcar, e ainda pertenceu a Joaquim Policarpo Aranha, barão de Itapura, também abastado fazendeiro em Campinas.[7]

Outro evento importante foi a epidemia de febre amarela que arrasou Campinas no ano de 1889. Segundo cálculos feitos àquela época, a população de Campinas, que era de vinte mil pessoas, foi reduzida a quatro mil. Não que a maioria tenha morrido, mas sim que muitos, com medo da doença, fugiram da cidade.

No dia 31 de abril daquele ano, a então Valinhos foi palco de uma importante reunião da Câmara Municipal de Campinas, que aqui esteve para cobrar do governo Provincial a convocação da Assembleia Legislativa, para que a mesma, em sessão extraordinária, tomasse providências sobre o saneamento da cidade, para evitar novas epidemias.

Embora não tenha sido atingida pela epidemia em 1889, Valinhos não escaparia da febre amarela. No ano seguinte, uma nova epidemia, dessa vez em menor proporção, atingiu Campinas e alcançou Valinhos, Rebouças (hoje Sumaré), Santa Bárbara e Boa Vista, entre outras.

Em função da epidemia da febre amarela de 1889, a Sexta Secção Eleitoral de Campinas foi transferida para Valinhos, onde muitos dos campineiros buscaram refúgio, desenhando o futuro distrito. No ano de 1893, o Diário Oficial do estado do dia 1º de setembro publicou, em sua página 7840, dentro do Expediente da Secretaria dos Negócios da Justiça, ato de criação do “Distrito Policial de Valinhos”.

O tráfego ferroviário pela Companhia Paulista de Estradas de Ferro de Jundiaí a Valinhos teve início em 28 de março de 1872. Com a precariedade das estradas, as cargas sendo transportadas no lombo de mulas e burros, os trens passaram a ter grande importância, servindo inicialmente para o transporte das sacas de café em grãos, com destino ao Porto de Santos.

Conforme relato do historiador Benedito Otávio, em 1907, ao inaugurar-se a a Cia. Paulista, o tráfego ainda era pequeno na Vila de Valinhos, crescendo após a lei de 13 de maio de 1888, que extinguiu a escravidão. Com a abolição, havia falta de mão-de-obra e os primeiros imigrantes italianos começaram a chegar em 1888, dando um novo impulso à agricultura.

As inúmeras fazendas cafeeiras, que proliferavam em toda a região, motivaram a construção da ferrovia. Em 28 de maio de 1896, a pequena, mas próspera vila de Valinhos foi elevada à categoria de Distrito de Paz, que utilizava as mesmas divisas do Distrito Policial, criado em 1893, para definir os limites do novo distrito.

No dia 30 de dezembro de 1953, o governo do estado promulga a lei 2456, criando o município de Valinhos. A primeira eleição acontece no dia 3 de outubro de 1954, sendo eleito Jerônymo Alves Corrêa o primeiro prefeito, com 1832 votos. O município é oficialmente instalado no dia 1º de janeiro de 1955, quando tomam posse o prefeito e os 13 vereadores.

Política[editar | editar código-fonte]

Poder executivo
Prefeito Vice-Prefeito
Clayton Roberto Machado - PSDB Luiz Mayr Neto - PV
Poder legislativo
Nome Partido Info
Lourivaldo Messias de Oliveira PROS Reeleito - Presidente
José Henrique Conti PV Reeleito - Vice Presidente
Antônio S. Gomes Filho PMDB Reeleito - 2º Vice Presidente
Kiko Beloni PSDB 1º Secretário
Paulo Roberto Montero PMDB Reeleito - 2º Secretário
Rodrigo Tolói PDT 3º Secretário
José Pedro Damiano PR Reeleito - 4º Secretário
Rodrigo Fagnani Popó PSDB
Dinho Almeida PCdoB
Edson Batista PSDB
Gilberto Borges PDT
Israel Scupenaro PMDB Reeleito
Aldemar Veiga Júnior DEM
João Moysés Abujadi PSD Reeleito
César Rocha PV
Léo Godoi PT
Orestes Previtale PMDB

Geografia[editar | editar código-fonte]

Área Área Urbana Área Rural
148 km² 59 km² 89 km²
Principais Rodovias de Acesso
Rodovia Anhanguera
Rodovia Dom Pedro I
Rodovia José Roberto Magalhães Teixeira
Rodovia Francisco Von Zuben
Rodovia Visconde de Porto Seguro
Rodovia dos Agricultores
Rodovia Valinhos-Itatiba

Topografia: Relevo fortemente acidentado, formado pelos últimos contrafortes da Serra da Mantiqueira.

Clima:Tropical de Altitude, com Temperatura média anual de 19ºC. Os verões são quentes e ensolarados, com temperatura média de 26ºC e os invernos são frescos e nublados, com temperatura média de 14ºC. A temperatura máxima já registrada foi de 41ºC e a Mínima de 2,4ºC

Hidrografia

Rios Ribeirões Córregos
Rio Atibaia e Rio Capivari Pinheiros, Bom Jardim e Dois Córregos Invernada, da Santa Escolástica, Santana dos Cuiabanos e da Fazenda São Pedro.
Altitude Máxima Altitude Média Altitude Mínima
969 m. 660 m. 600 m.

Economia[editar | editar código-fonte]

Número Serviços
12 Agências Bancárias
5 Centros Comerciais
6 Centros para convenções
5 Hotéis
39 Motéis
1 Prefeitura

Turismo[editar | editar código-fonte]

Desde a década de 1920, quando o então prefeito de Campinas Orozimbo Maia se torna proprietário da Fazenda Cachoeira e que, em 12 de julho de 1921, inaugura a Fazenda Hotel Fonte Sônia, é que Valinhos persegue sua vocação turística. Diz a história que Orozimbo Maia mandou proceder a análise da água, para saber se a mesma era radioativa, depois de ter ouvido a história de que um colono que sofria dos rins foi curado após ter tomado, durante certo tempo, a água da fonte da fazenda.

O resultado foi positivo, mostrando que a água era de fato radioativa e suas propriedades eram benéficas para os males dos rins, bexiga e outros órgãos. A água da fonte da Fazenda Cachoeira era diurética, mais forte que a de Lindoia. Pensando no sucesso financeiro da descoberta, Orozimbo Maia transforma metade da casa da fazenda em hotel e dá início à produção comercial do líquido. A Fonte Sônia também ficou famosa pela produção de doces como figada e a goiabada e por suas belezas naturais, como as cascatas e matas nativas, que ainda hoje atraem inúmeros turistas.

Em vários momentos da história a imprensa valinhense levantou a questão de Valinhos e sua vocação para o turismo. O primeiro jornal de Valinhos, editado no ano de 1939 por Gedeão Menegaldo, traz um artigo com o título “Valinhos enquanto estância termoclimática”, que fala mais diretamente sobre esta vocação.

Porém, em nenhum momento da história como neste final de século, o turismo foi tão debatido e tão almejado. A concretização deste sonho começou a ser efetivada no ano de 1996, quando a Embratur concedeu a Valinhos o Selo de Cidade com Potencial Turístico.

Desde então, um trabalho de planejamento vem sendo realizado para concretizar esta vocação, através de um projeto que garanta a Valinhos infraestrutura para promover o turismo receptivo e condições de mostrar aos visitantes as principais atrações da cidade, seus eventos e sua principal riqueza, que são as frutas.

Empresas[editar | editar código-fonte]

Lista das 50 maiores empresas em Valor Adicionado - Ano/Base-2004
Posição Nome
1 EATON Ltda.
2 Rigesa, Celulose, Papel e Embalagens Ltda.
3 IGL Industrial Ltda.
4 Val Impress Indústria Gráfica Ltda.
5 Onça Industrias Metalúrgicas S/A
6 Chem Tren Indústria Inc & Cia.
7 CHR Hansen Indústria e Comércio Ltda.
8 Unilever Bestfoods Brasil Ltda.
9 Tampas Cli Par Veí. Indústria e Comércio Ltda.
10 A Ray Bollhoff Indústria e Comércio Ltda.
11 Rigesa Celulose Papel e Embalagens Ltda.
12 Cartonificio Valinhos S/A
13 CBTI Cia Brasileira Tecnologia Industrial
14 Gráfica Editora Guteplan Ltda.
15 Asten &Cia Ltda.
16 Virmont - Produtos Alimentícios Ltda.
17 Prodesa Produtos Especiais para Alimentos S/A
18 Coop Produtos Art. Ferramentaria - Cooperfer
19 Contech Produtos Biodegradáveis Ltda.
20 Metalúrgica DDL Ltda.
21 Texpal Química Ltda.
22 Chelumb Produtos Químicos Ltda.
23 Puras do Brasil Sociedade Anônima
24 Hidroall do Brasil Ltda.
25 Rápido Luxo Campinas Ltda.
26 PTI PRO Técnicos para Impressão Ltda.
27 Adelbras - Indústria e Comércio de Adesivos Ltda.
28 Packduque Indústria de Plásticos Ltda.
29 Oliveira & Oliveira Ltda.
30 HTMG Marketing Internacional Ltda.
31 R Gonçalves Suprimentos Médicos Ltda.
32 Krebsfer industrial Ltda.
33 Alibra Ingredientes Ltda.
34 Metal Lig Met Indústria e Comércio Ltda.
35 Vitória Quim/Tintas e Anticorrosivos Ltda.
36 Emege Produtos Akimentícios S/A
37 Supermercados Caetano
39 Supermercados Caetano Ltda.
40 RVD Materiais Dielétricos Ltda.
41 Poppe do Brasil Ltda.
42 Etava - Transportes Valinhos Ltda.
43 ICAPE Indústria Campineira de Peas Ltda.
44 Roval Embalagens Plásticas Ltda.
45 ck Chemie Brasil Ltda.
46 na Paulista Brit-Pedr. S. Jerônimo Ltda.
47 Sebastian Embalagens Ltda.
48 Dalka do Brasil Ltda.
49 Hidro Swiss Irrigação Ltda.
50 Indústria de Massas Alimentícias Ltda.
Lista das 15 maiores empresas em arrecadação de ISSQN
Posição Nome
1 Concessionária do Sistema Anhanguera-Bandeirantes S/A
2 Eaton Ltda.
3 Rápido Luxo Campinas Ltda. (Filial)
4 IGL industrial Ltda.
5 Prefeitura do Município de Valinhos
6 Petróleo Brasileiro S/A - Petrobrás
7 Banco Itaú S/A
8 Colégio ETAPA S/C Ltda.
9 M & F – Assessoria e Consultoria Empresarial Ltda.
10 Unilever Bestfoods Brasil Ltda. - Filial
11 Cooperativa dos Produtos de Art. de Ferram. Cooperfer
12 Banco Bradesco S/A
13 Art Lux Clicheria, Fotolito, Arte Final e Prop. Ltda.
14 Rigesa Celulose, Papel e Embalagens Ltda. - Filial
15 Banco do Brasil S/A

Demografia[editar | editar código-fonte]

O município ocupa uma área de 148,9 km² e é o 8º município mais populoso da Região Metropolitana de Campinas, tendo idêntica posição na densidade demográfica (Habitantes/km²). Segundo dados do IBGE (setembro/2006), estima-se que Valinhos tenha 94.124 habitantes, assim distribuídos:

População Porcentagem
Urbana 95%
Rural 5%

Seu território está dividido na seguinte proporção:

Área Urbana Área Rural
65, 9 km² 83,0 km²
População Homens Mulheres Eleitores
99.328 50.112 49.216 59.934

(Censo 2000)

  • Taxa de Crescimento Anual da População: 3,02%
  • Densidade Demográfica: 557,30 hab/km²
  • Renda per capita: R$ 6.150,31 ao mês
Total de Domicílios Total de Indústrias Total de Empresas Comerciais Total De Empresas Prestadoras de Serviços Agências Bancárias
43.635 505 823 642 12
  • PIB (da RMC): R$ 61,6 bilhões

(12,5% do PIB estadual e 5,6% do PIB nacional)

Infra-estrutura[editar | editar código-fonte]

Saneamento Básico

Porcentagem Info
95% População que recebe água tratada.
98% Domicílios que recebem esgoto.
100% O esgoto que é tratado

Movimentos Sociais[editar | editar código-fonte]

Movimento Contra Passagem (MCP) Desde dezembro de 2012 Valinhos conta com o Movimento Contra Passagem que tem protagonizado na cidade a luta por um transporte realmente público e de qualidade. Já participou de protestos no centro da cidade e na câmara dos vereadores. Durante as jornadas de junho de 2013 ajudou a construir os dois grandes protesto de Valinhos-SP. Atualmente segue na luta por uma vida sem catracas.

Educação[editar | editar código-fonte]

Valinhos conta com 100 escolas públicas, 25 particulares, uma faculdade com 7 cursos superiores e 17 cursos de pós-graduação e escolas técnicas (SESI, SENAI e Escola de Comércio).

No ensino médio Valinhos possui uma escola entre as melhores instituições do Brasil. No ENEM 2008 o Colégio Etapa (particular) ficou em 18º lugar entre as escolas do país.[8] Outro grande colégio de São Paulo é o Colégio Visconde de Porto Seguro.

Saúde[editar | editar código-fonte]

A cidade conta com um hospital filantrópico (Santa Casa de Misericórdia); o qual é reconhecido como um dos melhores hospitais filantrópicos do Brasil e um Plano de Saúde Próprio além de Centro Clínico, o Centro de Atendimentos de Urgências e Especialidades (CAUE), que é considerado um mini-hospital; 15 unidades básicas de saúde; uma farmácia pública, que distribui 140 tipos de medicamentos, um centro público de fisioterapia e um laboratório de análise clínica.

Segurança[editar | editar código-fonte]

O Município conta com uma Guarda Municipal que trabalha de forma integrada com a Policia Militar e conta ainda com três delegacias de Polícia, sendo uma a Delegacia de Defesa da Mulher.

Sistema Viário[editar | editar código-fonte]

O município de Valinhos está cercado por amplo sistema viário de alta qualidade, tendo como eixos principais as seguintes rodovias:

Cultura[editar | editar código-fonte]

Valinhos possui 2 grandes locais para eventos e shows. O primeiro e mais antigo é o Parque Municipal Monsenhor Bruno Nardini, onde é realizado anualmente a Festa do Figo e Expogoiaba. O parque oference infra-estrutura para comportar grandes shows. Um dos últimos shows da Banda Mamonas Assassinas foi realizado nesse local com a presença de 80 mil espectadores. Outro local utilizado para eventos culturais da cidade é o CACC (Centro de Artes Cultura e Comércio) “Adoniran Barbosa”, que fica ao lado da rodoviária. O CACC foi inaugurado em 16 de Agosto de 2008 [9] , após a recuperação da estrutura metálica existente ao lado da rodoviária, que ficou por mais de 10 anos abandonada. O local conta com palco e camarins e é destinado a atividades culturais, religiosas, feiras e exposições.

Recentemente, foi inaugurado o Teatro Municipal de Valinhos, no antigo "Cine Saturno".

O artista Alexandre Filiage, residente em Valinhos,[10] em 2014 pintou o painel da marquise do Parque Ibirapuera, para o evento Viva a Mata 2014[11] .

Aspectos urbanos[editar | editar código-fonte]

Localizando-se próxima a cidades de grande e médio portes, Valinhos revela oportunidades de negócios em função da base produtiva, e a situação privilegiada de sua localização permite forte comércio e serviços locais. Essa localização privilegiada chamou a atenção de moradores da Região Metropolitana de Campinas (RMC) e até da capital paulista com o desejo de morarem em Valinhos. Isso gerou um movimento imobiliário recente onde muitas fazendas e sítios de figo roxo, goiaba, caju e vinhedos que antes estavam na zona rural, vêm sendo transformadas em condomínios fechados horizontais. Como consequência, a área permeável natural na zona urbana legal de Valinhos vem diminuindo ano a ano, o que certamente trará impactos importantes em futuro próximo ao município e a seus munícipes em função das enchentes em seus córregos e ribeirões, já que as águas das chuvas chegarão mais rapidamente aos mesmos.

Religião[editar | editar código-fonte]

Igreja Católica[editar | editar código-fonte]

O município pertence à Arquidiocese de Campinas.

Igreja Evangélica[editar | editar código-fonte]

A OMEV (Ordem dos ministros evangélicos de Valinhos) tem em seu cadastro mais de 55 igrejas evangélicas em Valinhos, entre elas,Igreja do Evangelho Quadrangular, a Comunidade Evangélica Cristo Vive, Igreja do Nazareno, Igreja Evangélica Livre, Igreja Presbiteriana, Presbiteriana Independente, Batista,Adventista do Setimo Dia e Todas as Igrejas Assembleias de Deus,Igreja Adonai, Igreja Cristã Apostólica Resgate, Comunidade Apostólica Rocha Eterna (CARE),Igreja Vivendo em Cristo entre outras.

Outros fatos[editar | editar código-fonte]

Um inventor de Valinhos, desenvolveu uma máquina que produz água a partir da umidade do ar.[12]

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  2. Distâncias entre a cidade de São Paulo e todas as cidades do interior paulista. Visitado em 28 de janeiro de 2011.
  3. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 dez. 2010.
  4. Censo Populacional 2010 Censo Populacional 2010 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Visitado em 10 de janeiro de 2013.
  5. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Visitado em 01 de agosto de 2013.
  6. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 11 dez. 2010.
  7. PUPO, Celso Maria de Mello. Campinas, Município do Império.
  8. http://educacao.uol.com.br/ultnot/2009/04/28/ult1811u274.jhtm
  9. Encontra Valinhos - Centro de Artes, Cultura e Comércio - CACC em Valinhos
  10. [1]
  11. EDUARDO GERAQUE (24 de maio de 2014). Parque Ibirapuera ganha painel que reproduz mata atlântica em SP Folha de São Paulo. Visitado em 14 de junho de 2014.
  12. Engenheiro de São Paulo inventa máquina que 'fabrica' água Folha de São Paulo (12 de outubro de 2014). Visitado em 12 de outubro de 2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]