Vanth

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Representação artística de Orcus e Vanth

Vanth, oficialmente (90482) Orcus I Vanth, é o único satélite natural que se conhece do provável planeta-anão (plutino) Orcus. Foi descoberto por Mike Brown e T.-A. Suer utilizando imagens tiradas pelo Telescópio Espacial Hubble em 13 de novembro de 2005.[1] Sua descoberta foi confirmada em 22 de fevereiro de 2007 na IAUC 8812.[2]

Órbita[editar | editar código-fonte]

Esta lua gira em torno de Orcus em um círculo "quase perfeito", com um período orbital de quase 10 dias.[3] Brown suspeita que como no caso de Plutão e Caronte, Orcus e Vanth estão confrontados gravitacionalmente.[3]

Propriedades[editar | editar código-fonte]

Vanth foi encontrado a só 0,25 segundos de arco sobre Orcus, uma diferença de magnitude absoluta de 2,7 ± 1,0.[1] As estimativas realizadas por Mike Brown no ano de 2009 indicam que a magnitude de Vanth é 21,97 ± 0,05, o que significa que é de 2,54 ± 0,01 magnitudes menos luminosas que Orcus.[4] Isto sugere que tem um diâmetro de aproximadamente 280 km, com um diâmetro 3,2 vezes menor que seu objeto principal, supondo que tem albedos similares.[4] Pensa-se que a diferença de cor é: Orcus (neutro) e de Vanth (vermelho), o que sugere que este último poderia ter um albedo menor que o dobro de Orcus,[4] fazendo Vanth ter mais de 380 km de diâmetro, enquanto Orcus possui 860 quilômetros de diâmetro.[4] A massa de Vanth também depende do albedo que possui variando entre 3% a 7,5% da massa total do sistema.[4]

O satélite não parece ser como outros satélites que tem sua origem em um caso de colisão, já que seu espectro é muito diferente em relação a seu planeta, o que poderia indicar que foi um objeto do cinturão de Kuiper capturado.[3]

Nome[editar | editar código-fonte]

Um vez descoberto, Vanth recebeu a designação provisória de ‘’S/2005 (2004 DW)’’. Em 23 de março de 2009, Brown pediu aos leitores de suas colunas semanais que sugerissem possíveis nomes para a Lua. O melhor nome seria enviado à União Astronômica Internacional (UAI), em 5 de abril de 2009.[3] O nome de Vanth provém de uma deusa da mitologia etrusca que guiou as almas dos mortos ao submundo e foi escolhida por um punhado de sugestões. A proposta de Vanth era a única puramente etrusca, foi a sugestão mais popular e foi proposta pela primeira vez por Sonya Taaffe.[5] [6] Esta sugestão foi avaliada e aprovada pela UAI em uma nota emitida em 30 de março de 2010.

A Vanth etrusca está associada frequentemente com a companhia de Caronte, do mesmo modo que também o sistema de Orcus (conhecido como o “anti-Plutão”, pelo tipo de ressonância que tem com Netuno, pois Ocrus sempre está oposto a Plutão em relação do Sol) e Vanth se compara com o sistema de Plutão. Taaffe diz que “Vanth acompanhou as almas dos mortos desde o momento de sua morte até sua viagem aos infernos, com sua face sempre voltada para Orcus” – uma possível referência à órbita sincrônica de Vanth em Orcus.

Referências

  1. a b Daniel W. E. Green (22-02-2007). IAUC 8812: Sats OF 2003 AZ_84, (50000), (55637),, (90482).
  2. Wm. Robert Johnston. (90482) Orcus.
  3. a b c d Michael E. Brown. S/1 90482 (2005) precisa da túa axuda.
  4. a b c d e Predefinição:Cita publicação periódica
  5. Michael E. Brown (06-04-2009). Orcus Porcus. Mike Brown's Planets (blog). Página visitada em 06-04-2009.
  6. Minor planet circular.