Vasodilatação

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Músculo Liso Humano

Em Biologia, a vasodilatação é o processo de dilatação dos vasos sanguíneos, em consequência do relaxamento do músculo liso presente na parede desses mesmos vasos. É o processo oposto à vasoconstrição.
Estes processos de vasoconstrição e dilatação verificam-se em animais com sistemas circulatórios fechados, isto é, possuem um sistema de vasos para o transporte do sangue que não os abandona.

O termo nervo ou músculo vasomotor refere-se a estruturas (nervosas ou musculares) controladoras da vasodilatação.

Mecanismos de Controle[editar | editar código-fonte]

A vasodilatação pode ser controlada por vários mecanismos. A sua regulação pode ser feita naturalmente, pelo organismo, ou por meios artificiais como medicamentos.

Mecanismos Naturais[editar | editar código-fonte]

Esquema da termorregulação por vasodilatação

A vasodilatação é normalmente vista como processo integrante da termorregulação, isto é, a regulação da temperatura do organismo através de mecanismos homeostáticos, de equilíbrio. Quando há um aumento da temperatura no exterior, ocorre um aumento da temperatura corporal. Para contrabalançar esta variação, o complexo hipotálamo-hipófise (que recebe a mensagem externa) envia uma mensagem nervosa que possibilita a vasodilatação, e consequente perda de calor para o exterior.

Mecanismos Artificiais[editar | editar código-fonte]

Um vasodilator é uma substância que provoca vasodilatação. Estas substâncias podem ser utilizadas em medicamentos de modo a possibilitar o fluxo de sangue à volta de um coágulo sanguíneo.

Algumas das principais substâncias vasodilatoras:

Existem também bactérias produtoras de endotoxinas que poderão desencadear um choque séptico caracterizado pela vasodilatação de todos os vasos de forma desadequada. O uso de vasodilatores pode igualmente causar o acto de corar.

Efeitos[editar | editar código-fonte]

O processo de vasodilatação permite uma redução da pressão sanguínea, já que é disponibilizado maior espaço para o sangue. Também possibilita (de acordo com mecansimos de termorregulação) perda de calor para o exterior, em situação de elevada temperatura corporal: os capilares aproximam-se da superfície cutânea, havendo uma transferência de energia para o meio externo.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]