Veículo zero emissões

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Uma bicicleta citadina, o veículo particular zero-emissões mais popularmente utilizado no mundo

Os Veículos Zero Emissões (VZE) são meios de transporte que normalmente por conterem apenas locomoção por meios elétricos, musculares do ser humano ou forças da natureza como o vento, não emitem para a atmosfera durante a locomoção quaisquer gases com efeitos de estufa ou nocivos para a saúde humana, como por exemplo dióxido de carbono ou o monóxido de carbono respetivamente, contribuindo assim para o melhoramento substancial do ambiente a nível mundial e para a qualidade de vida nas cidades.1 Incluem-se no grupo de Veículos Zero Emissões os veículos que obtêm a sua locomoção através do sistema muscular do ser humano como bicicletas ou Patinetes/Trotinetas, veículos com pilhas de combustível movidos por hidrogénio, veículos elétricos com baterias, veículos que utilizam a energia solar através de painéis fotovoltaicos, ou a energia eólica através de velas, assim como veículos a gás comprimido. Ainda se incluem certos transportes públicos como o bonde/elétrico, o comboio/trem, o metropolitano, o funicular ou o elevador. Por norma estes veículos emitem valores muito menores de ruído ou poluição sonora devido ao seu princípio de funcionamento em comparação com um motor de combustão interna.

Lista de veículos[editar | editar código-fonte]

Bicicleta[editar | editar código-fonte]

Kusuma bike large.jpg

A Bicicleta é o VZE mais comummente conhecido pelo mundo. Quer obtenha a energia para a sua locomoção através do sistema muscular, ou através de energia elétrica, a bicicleta não emite para a atmosfera, durante a sua locomoção, qualquer gás nocivo para a saúde ou o ambiente. A bicicleta converte energia alimentar, armazenada no corpo humano, em energia cinética.

Velomóvel[editar | editar código-fonte]

Volomóvel

O Velomóvel é um velocípede (sendo assim um veículo zero emissões (VZE) de propulsão humana), podendo ser assistido por um motor elétrico, normalmente com três rodas e com uma carroçaria para proteção do passageiro e com fins aerodinâmicos.

Segway[editar | editar código-fonte]

Segway 01.JPG

O Segway é um meio de transporte de duas rodas, que funciona a partir do equilíbrio do indivíduo que o utiliza. Converte energia elétrica armazenada nas suas baterias, em energia cinética, não libertando qualquer gás nocivo durante a sua locomoção.

Veículo propulsionado a vento[editar | editar código-fonte]

AeolusRace2008-2.png

São veículos que fazem uso do vento para a sua locomoção. Os mais clássicos são os veleiros, largamente usados durante a época dos descobrimentos e na antiguidade, para deslocação marítima. Podem hoje em dia ser também para deslocação terreste podendo ter aerogeradores, que carregando baterias ligadas a um motor elétrico dão propulsão ao veículo.

Veículo solar[editar | editar código-fonte]

Borealis3windmills.jpg

Um veículo solar é um veículo que utiliza a energia solar, para a sua locomoção. No caso mais comum, o carro solar contém um painel fotovoltaico que converte a energia do Sol em energia elétrica que alimenta um motor elétrico. É composto também por uma bateria, para os casos em que a luz solar é insuficiente para a locomoção exigida, podendo esta ser carregda quando o carro está parado.

Automóvel elétrico[editar | editar código-fonte]

Renault Zoe Z.E. - disponível em 2012 por cerca de 15000€

O Automóvel elétrico, é um automóvel movido somente através de um motor elétrico, cuja locomoção é obtida através da energia armazenada em baterias.

Vantagens do carro elétrico[editar | editar código-fonte]

  • Diminuição da poluição ambiental - É sabido que por exemplo o monóxido de carbono que surge aquando da combustão num veículo convencional e que é emitido pelo escape desse veículo, é altamente nocivo para a saúde humana provocando diversas patologias entre as quais do sistema respiratório e do sistema cardiovascular. Os gases com efeito de estufa, nos quais o CO2 se inclui, são também responsáveis pelo aquecimento global e pela desregulação climatérica do planeta, sendo que o transporte individual na atualidade tem um grande contributo nocivo para a poluição atmosférica global. Os veículos elétricos não emitem quaisquer gases com efeito de estufa na sua locomação, sendo assim denominados Zero-Emissões. Existem no entanto emissões desses gases no ato de fabrico dos veículos e das respectivas baterias.
  • Diminuição da poluição sonora - O ruído ou poluição sonora, que é frequente nas metrópoles, é também causador de diversos danos para a saúde humana, mais precisamente no sistema auditivo e no sistema endócrino, provocando estresse, hipertonia arterial e problemas circulatórios. Os veículos elétricos não emitem praticamente ruído, sendo extremamente silenciosos quando comparados com os veículos convencionais com motor de combustão.
  • Poupança nos combustíveis - Tendo o crude nos mercados internacionais um preço deveras instável e normalmente sempre crescente, e considerando que num estudo recente, as famílias portuguesas despendem cerca de 15% dos seus orçamentos para a aquisição de derivados do petróleo, o veículo elétrico torna-se deveras vantajoso pois tem um gasto em locomoção, ou seja, número de euros gastos por quilómetro percorrido, inferior em comparação com o veículo de combustão interna. O veículo elétrico é também energeticamente mais eficiente que o veículo de combustão, tendo um gasto de energia por espaço percorrido menor que um veículo convencional.

Desvantagens do carro elétrico[editar | editar código-fonte]

  • Preço - Os carros eléctricos na atualidade ainda têm um preço elevado quando comparados com os equivalentes de combustão interna, mesmo considerando os enormes benefícios fiscais atribuídos por alguns estados europeus. O incentivo aos veículos elétricos não contribui assim para a equidade social nos acessos aos meios de transporte.
  • Autonomia - A autonomia dos carros eléctricos situa-se normalmente entre os 100 km e os 200 km, o que em certas situações é diminuto. Tal está muito dependente do desenvolvimento químico em torno das tecnologias associadas às baterias.
  • Espaço - O carro elétrico não resolve uma das questões fundamentais da qualidade do espaço público em meios urbanos, pois o espaço por si ocupado é igual ao de um carro convencional. Só em Lisboa, entram 700 mil carros por dia, mesmo que todos fossem elétricos, a uma área de 12 m2 por lugar de estacionamento, teríamos uma área de cerca de 8,4 km2 só para estacionamento, praticamente a área da maior freguesia de Lisboa, os Olivais.

Pegada de Carbono[editar | editar código-fonte]

Embora durante a sua utilização e modo de funcionamento estes veículos sejam totalmente zero emissões de carbono, existe a denominada pegada de carbono, ou seja o número de gramas de C02 que foram emitidas para a atmosfera durante o fabrico destes veículos. Tal dependerá do país onde são fabricados, pois sendo que a indústria de fabricação consome essencialmente energia elétrica, dependerá da mescla de fontes de energia da rede elétrica de cada país. Há países como Portugal onde existe uma elevada percentagem de energia de fontes renováveis na rede elétrica, sendo que países como os EUA têm uma percentagem baixíssima de energia de fontes renováveis.

Lista de alguns veículos Z.E.[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências