Veleiro Pamir

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Pamir
O Pamir a plena vela (cerca de 1940).
Carreira  Alemanha (1905-1920)
 Itália (1920-1924)
 Alemanha (1924-1931)
 Finlândia (1931-1941)
 Nova Zelândia (1941-1948)
 Finlândia (1948-1951)
 Alemanha (1951-1957)
Proprietário Blohm & Voss, Hamburgo
Lançamento 29 de julho de 1905 [1]
Estado naufragou em 21 de setembro de 1957[2]
Características gerais
Classe veleiro com 3 800 m² de velas e 4 mastros
Tonelagem 3 020 GRT, 2 777 NRT, 4 500 DWT
Largura 14,0 m
Maquinário n/d
Comprimento 96,3 m
Calado 8,0 m
Velocidade 16 nós (máxima)); 8-9 nós (cruzeiro)

O Pamir foi um veleiro de carga alemão. Lançado em 1905 navegava para a companhia alemã F. Laeisz e em 1920 foi entregue ao Governo da Itália como reparação por perdas da Primeira Guerra. Foi recomprado pela companhia de navegação Flying P-Liner pertencente a empresa F. Laeisz em 1924. Em 1931 foi adquirido pelo armador finlandês Gustaf Erikson. Virou presa de guerra do Governo da Nova Zelândia em 3 de agosto de 1941 e em 1948 votou a ser comprado por Gustaf Erikson. Em 1951 foi reformado e motorizado e passou a pertencer ao armador alemão Heinz Schliewen.

História[editar | editar código-fonte]

Foi construído nos estaleiros da Blohm & Voss, em 1905, em Hamburgo. Com quatro mastros, possuía 96,40 m de comprimento e 14,0 m de boca.

Até à Primeira Guerra Mundial navegou na rota dos nitratos, fazendo a ligação entre a Alemanha e o Chile.

Em 1949 tornou-se o último veleiro de carga a rondar o Cabo Horn e em 1951 recebeu motores de propulsão.

Naufrágio[editar | editar código-fonte]

Mapa com a localização do naufrágio.

Em 10 de agosto de 1957 a Pamir deixou o porto de Buenos Aires em direção a Alemanha com uma carga completa de 3 708 toneladas de cevada a granel. Em 21 de setembro de 1957, por volta de 11:15 horas, um grave acidente, provocado por um ciclone, levou à perda do navio a cerca de 600 milhas a sudoeste dos Açores. De uma tripulação de oitenta e seis homens apenas quatro marinheiros e dois cadetes se salvaram.[3]

Referências

  1. Fredrik Sandström (2000). Pamir (em inglês). Visitado em 7 de agosto de 2012.
  2. Pamir [+1957] (em inglês) wrecksite. Visitado em 7 de agosto de 2012.
  3. The Pamir, The wreck (em inglês). Visitado em 7 de agosto de 2012.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Revista da Armada - Revista da Marinha do Brasil em formato digital, nº 376, jun. 2004.
  • Adams, Michael R. Ocean Station: Operations of the U.S. Coast Guard, 1940-1977. Eastport, Maine: Nor'easter Press. 2010. ISBN 978-0-9779200-1-3
  • Apollonio, Spencer (Editor). The Last of the Cape Horners, Firsthand Accounts from the Final Days of the Commercial Tall Ships. Washington, D.C.: Brassey's. 2000. ISBN 1-57488-283-X
  • Churchouse, Jack. The Pamir under the New Zealand Ensign. Wellington, New Zealand: Millwood Press. 1978. ISBN 0-908582-04-8
  • Parrott, Daniel. Tall Ships Down - the last voyages of the Pamir, Albatross, Marques, Pride of Baltimore and the Maria Asumpta. New York: McGraw Hill. 2003. ISBN 0-07-139092-8
  • Stark, William F. The Last Time Around Cape Horn. The Historic 1949 Voyage of the Windjammer Pamir. New York: Carroll & Graf Publishers. 2003. ISBN 0-7867-1233-3
  • Wells, Richard E. The Vancouver Voyages of the Barque Pamir. Victoria BC, Canada: Sono Nis Press. 1992. ISBN 1-55039-029-5.
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Veleiro Pamir
Ícone de esboço Este artigo sobre tópicos navais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.