Vera Cruz

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Cristo crucificado
Pintura de Giotto

Vera Cruz é a denominação dada às relíquias provenientes, segundo a tradição cristã, da verdadeira cruz em que Jesus Cristo foi crucificado.

Segundo historiadores dos últimos períodos da Antiguidade, a imperatriz Helena de Constantinopla (c. 250 d.C.–c. 330 d.C.), mãe do imperador Constantino, o primeiro imperador cristão de Roma, numa data posterior a 312 d.C. quando a Cristandade tornou-se religião oficial em todo o Império, teria viajado à Terra Santa, fundando igrejas e agências de socorro aos necessitados. Teria sido nessa época que a imperatriz descobriu três cruzes usadas na crucifixão de Jesus e de dois ladrões, Dimas e Gestas, que foram executados com ele. Um milagre revelou qual das três era a cruz verdadeira, a vera cruz.

Relíquias[editar | editar código-fonte]

Por volta de 455, Juvenal também enviou ao papa Leão I um fragmento da Vera Cruz[1] [2] .

Referências

  1. Papa Leão I. Epístola 139: To Juvenal, Bishop of Jerusalem. (em inglês). [S.l.: s.n.].; na P.L. LIV, 1108
  2. Wikisource-logo.svg "The True Cross" na edição de 1913 da Catholic Encyclopedia (em inglês)., uma publicação agora em domínio público.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]