Vera Loca

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém uma ou mais fontes no fim do texto, mas nenhuma é citada no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde fevereiro de 2013)
Por favor, melhore este artigo introduzindo notas de rodapé citando as fontes, inserindo-as no corpo do texto quando necessário.
Vera Loca
Informação geral
Origem Porto Alegre, RS
País  Brasil
Gênero(s) Rock Brasileiro, Pop Rock
Período em atividade 2002 - atualmente
Gravadora(s) Independente
Página oficial www.veraloca.com
Integrantes Diego Floreio
Fabrício Beck
Hernán González
Luigi Viera
Mumu

Vera Loca é uma banda de rock formada na cidade de Porto Alegre, Rio Grande do Sul, no ano de 2001.

História[editar | editar código-fonte]

Em 2001, a afinidade e a paixão pelo rock reuniu em Porto Alegre cinco caras e uma idea fixa em mente: criar, tocar e viver da música. No verão de 2002, a banda gravou seu primeiro álbum Meu toca discos se matou, com a produção de Duca Leindecker, produtor musical e líder da Cidadão Quem. O primeiro single do álbum, Maria Lúcia emplacou em várias rádios do Sul do Brasil, chegando a estar entre as mais tocadas em muitas.

Em meio à gravação do cd a banda ainda precisava de um nome. Os integrantes da banda, vindos de cidades diversas como Tupanciretã, Santa Maria, Caxias do Sul e Buenos Aires, ainda não haviam chegado num consenso. Sem muitas alternativas e devido ao tempo que se esgotava depressa, surgiu a ideia de 'homenagear' a vizinha moradora do andar debaixo de onde a banda morava e ensaiava. Ela reclamava do barulho 24 horas por dia, enfim os seus espetáculos na janela tornaram-se corriqueiros, gritando para todo o prédio ouvir. A Banda resolveu perguntar ao porteiro qual era o nome dessa vizinha 'loca' e ele respondeu: Vera! Aí surgiu o nome da banda: Vera Loca[1] Em 2005, a banda lançou Distúrbios do amor e rock 'n roll, também produzido por Duca Leindecker. O segundo álbum da banda perdia um pouco a veia psicodélica, bastante presente no primeiro álbum, vertendo para um lado mais clássico, beirando o hard rock. Suadinha é um bom exemplo do poder e da explosão deste novo trabalho, guitarras pesadas e um vocal poderoso, gritado e literalmente suado elevaram a Vera Loca ao status de grande banda. Além de Suadinha, A despedida e A vida é de graça são as músicas que mais foram executadas nas rádios, e continuam dentre as mais pedidas nos shows.

No ano de 2008 a Vera Loca, de forma inovadora e seguindo a tendência mundial, lança o seu terceiro álbum. O Vera Loca III tem a produção assinada por Ray-Z. O lançamento ocorreu em duas etapas: primeiro na web - onde o público só podia fazer a audição das faixas - e após no formato físico, no momento em que foi liberado o download gratuito simultaneamente no site da banda. Velocidade foi a faixa escolhida para o primeiro clipe, rodado por inteiro na passagem da banda pela Argentina durante a turnê VL Argentina. Aos meus amigos, última faixa do disco, virou um hino, sendo uma das mais pedidas do público. O ponto alto do cd, porém, fica por conta da excepcional Borracho y Loco, uma versão de Lamento Boliviano - clássico do rock argentino gravado originalmente pela banda Los Enanitos Verdes. O single estourou nas rádios do sul e ficou conhecida até pelo público que não gosta de rock. O clipe oficial da música já estava com mais de meio milhão de acessos no You Tube no final de 2012. A canção virou um clássico, sendo uma das mais executadas em rodas de violão, com pedidos de execução até em shows de outras bandas. A torcida do Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense já utiliza uma versão da música como grito de guerra.

Em 2011, a banda foi convidada para tocar no Planeta Atlântida, no palco Pretinho Convida. A exemplo do que tem sido todas as apresentações da banda, o show estava completamente lotado e os planetários cantaram todas as músicas. O ano de 2012 marca o lançamento do quarto álbum de estúdio. Parece que foi ontem foi lançado no dia 4 de Setembro nos mesmos moldes do anterior. O nome escolhido, além de fazer uma alusão ao tempo de estrada da banda é também título da segunda faixa. Com produção de Ray-Z e Vera Loca, o disco foi gravado e mixado no Estúdio AudioFarm e masterizado no Magic Garden Masterin, nos Estados Unidos, por Brian Lucey, que masterizou o último álbum do The Black Keys. Após um terceiro disco com muitos violões, Parece que foi ontem se caracteriza por arranjos fortes, de personalidade nervosa e muito rock. Cuidado Ana foi a primeira faixa a ser executada nas rádios, recentemente ganhando uma versão acústica. No final do mesmo ano, a banda grava seu primeiro trabalho ao vivo. Na noite de 15 de Novembro de 2012, mais de 1.400 pessoas[2] vibraram e cantaram, no Bar Opinião em Porto Alegre, os maiores sucessos da banda, que comemorou os 10 anos de estrada. O lançamento do álbum está previsto para 2013.

Integrantes[editar | editar código-fonte]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns de Estúdio[editar | editar código-fonte]

Álbuns Ao Vivo[editar | editar código-fonte]

Videografia[editar | editar código-fonte]

DVD[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]