Vera Ralston

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Vera Ralston
Vera Ralston no trailer de Estranha Caravana, 1949
Nome completo Věra Helena Hrubá
Outros nomes Vera Hruba Ralston
Nascimento 12 de julho de 1920 ou 1923
Praga
Nacionalidade  Tchecoslováquia
Morte 9 de fevereiro de 2003
Santa Barbara, Califórnia
Ocupação Atriz
Cônjuge Herbert J. Yates (1952-1966)
Charles de Alva (1973-2003)

Vera Ralston ou ainda Vera Hruba Ralston (Praga, 12 de Julho de 1920 ou 1923Santa Barbara, Califórnia, 9 de Fevereiro de 2003) foi uma atriz de procedência tcheca que fez carreira no cinema norte-americano.

Vida e carreira[editar | editar código-fonte]

Vera inicialmente destacou-se em patinação no gelo, tendo se tornado campeã de seu país aos treze anos de idade. Nas Olimpíadas de Berlim, em 1936, ficou em segundo lugar, atrás apenas de Sonja Henie. Na ocasião, Adolf Hitler perguntou-lhe se ela queria patinar para a Alemanha nazista, ao que ela respondeu: "Prefiro patinar em cima dela".

Com a eclosão da Segunda Guerra Mundial, Vera e sua mãe migraram para os Estados Unidos. Após uma turnê de dois anos como patinadora, foi contratada pela companhia Ice-Capades. Quando se apresentava em Chicago, foi descoberta por Herbert J. Yates, presidente da Republic Pictures, que a levou para Hollywood. Logo tornaram-se amantes, apesar de Yates ser quarenta e dois anos mais velho. Acabariam por se casar em 1952, uma união feliz somente interrompida pela morte dele em 1966.

Vera estreou no cinema em 1941, em Aconteceu no Gelo (Ice-Capades), em um pequeno papel como patinadora. Disposto a fazer dela uma grande estrela, Yates contrariou a política do estúdio e não economizou nos filmes que produziu para ela. Deu-lhe os melhores maquiadores e cabeleireiros, além de diretores competentes, como Allan Dwan, John H. Auer e Joseph Kane. Também contratou grandes astros para contracenar com ela: John Wayne, Sterling Hayden, Fred McMurray etc.

Tudo em vão: apesar de seu profissionalismo e disciplina, sem contar a inata simpatia que a fazia querida pelos colegas, todas as produções de que Vera participou foram fracassos de bilheteria. A razão principal era a pouca intimidade com a língua inglesa, daí ter sido dublada na maioria de seus filmes. Somem-se a isso roteiros pobres, limitados a faroestes, filmes de ação e musicais canhestros, além de seu pouco talento para representar. Ainda assim, destacam-se em sua filmografia as películas Tormenta Sobre Lisboa (Storm Over Lisbon 1944), Estranha Caravana (The Fighting Kentuckian, 1949) e O Manto da Perdição (A Perilous Journey, 1953).

A carreira de Vera chegou ao fim em 1958, quando Yates foi destronado do estúdio. O casal passou a se dedicar a uma aposentadoria dourada, realizando cruzeiros marítimos ao redor do mundo. Foi em um desses navios que Yates veio a falecer em 1966, de ataque cardíaco. Herdeira de dez milhões de dólares, Vera recolheu-se à sua mansão em Santa Barbara. Parte de seu tempo era dedicado à filantropia, como um hospital para deficientes. Recusou todos os convites que recebeu da televisão, dizendo que não precisava mais trabalhar. Depois de anos de viuvez, casou-se com o comerciante Charles de Alva, em 1973. Com ele viveu até sua morte, aos setenta e nove anos, após uma longa batalha contra o câncer.[1]

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Todos os títulos em Português referem-se a exibições no Brasil.[1]

Referências

  1. a b PALHINHA, Jaime Eduardo, Vera Ralston, in MATINÊ 34, Ribeirão Preto, SP: Divino Rodrigues da Silva, 2004, periodicidade variável

Ligações externas[editar | editar código-fonte]