Veridiana da Silva Prado

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Veridiana Valéria da Silva Prado
Nascimento 11 de fevereiro de 1825
São Paulo, SP
Morte 11 de junho de 1910 (85 anos)
São Paulo
Nacionalidade  brasileira
Ocupação proprietária de terras

Veridiana Valéria da Silva Prado (São Paulo, 11 de fevereiro de 1825 — São Paulo, 11 de junho de 1910) foi uma aristocrata, proprietária de terras e intelectual brasileira. Uma mulher da alta sociedade que marcou profundamente a vida cultural da cidade.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Era filha de Antônio da Silva Prado, barão de Iguape, cafeicultor, comerciante de açúcar e de tropas, um dos paulistanos mais ricos da época, e de Maria Cândida de Moura. No ano de 1838, completando 13 anos, contraiu matrimônio com seu meio-tio Martinho da Silva Prado, quatorze anos mais velho do que ela.

Vida social e intelectual[editar | editar código-fonte]

Morava desde 1848 em sua chácara na Rua da Consolação, em um sobrado de taipa do século XVIII, ao lado da Igreja da Consolação, utilizando-o em suas temporadas em São Paulo, quando deixava a Fazenda Campo Alto, onde residia com seu marido, próspero cafeicultor. Em 1877, o casal se separou. Veridiana passou a ocupar a parte inferior da casa e seu marido a parte superior.

Chácara Vila Maria[editar | editar código-fonte]

No ano seguinte, ela adquiriu o terreno onde veio a construir seu palacete, em estilo europeu francês, com material totalmente importado, ocupando uma grande área, desde a antiga Rua de Santa Cecília (atual Rua Dona Veridiana) até a atual Avenida Angélica, com divisa entre a avenida Higienópolis e a atual Rua Jaguaribe. A propriedade, com belos jardins, pomar e um campo de futebol, recebeu o nome de Chácara Vila Maria.

De educação refinada e muito culta, calcada nos moldes culturais europeus, promovia em sua chácara encontros de intelectuais, artistas, políticos e cientistas, sediando reuniões sociais e culturais que impulsionaram debates políticos e literários. Também patrocinava exposições de arte, companhias-teatrais e eventos esportivos, moda que copiara da Europa - como as corridas de bicicleta e o futebol.

O palacete ainda existe na avenida Higienópolis, no bairro de Higienópolis, tendo tido a maior parte de sua área loteada, formando o prolongamento do bairro de Higienópolis.

Diante das consideradas ousadias de Veridiana Prado, algumas pessoas passaram do falatório para as ameaças de morte, mas ela não se intimidou. Continuou com as suas atitudes de desafio, como a de andar sozinha pelas ruas quase até sua morte.

Foi madrinha de Edmundo Navarro de Andrade (1881 - 1941), que formou os Hortos do Estado de São Paulo e de outros estados.

O que restou da área do palacete, construído em 1884, passou a abrigar durante muitos anos, o refinado São Paulo Clube, que encerrou suas atividades em 2007, quando foi incorporado pelo Iate Clube de Santos, que passou a ocupar o espaço a partir de 2008. É usado ou locado para alguns eventos, tais como, leilões, festas de casamento, entre outros.

Descendência[editar | editar código-fonte]

O casal Veridiana e Martinho da Silva Prado teve os seguintes filhos:

Rua Dona Veridiana[editar | editar código-fonte]

Dona Veridiana dá nome a uma rua no bairro de Higienópolis, na capital paulista, próximo à Estação Santa Cecília do Metrô de São Paulo. Considerada uma das três senhoras fundadoras do bairro de Higienópolis, em sua primeira etapa, dos altos de Santa Cecília, juntamente com Dona Maria Antônia da Silva Ramos (Rua Maria Antônia), Dona Maria Angélica Souza Queiroz Aguiar de Barros (Avenida Angélica), cuja presença é evocada pelas ruas que levam seus nomes.

A Rua Dona Veridiana é uma via de mão única, no sentido do bairro de Higienópolis em direção ao centro, a Santa Cecília e outras regiões da cidade. Começa na Vila Buarque, próximo ao Largo Santa Cecília (mais precisamente atrás da Igreja de Santa Cecília), e termina na Avenida Higienópolis, no bairro do mesmo nome. [2]

Referências

  1. Carlos Eduardo de Almeida Barata. Subsídios para um Catálogo dos Títulos de Nobreza concedidos pela Santa Sé aos Brasileiros Colégio Brasileiro de Genealogia - Arquivos Genealógicos -Tabela I, Nº 7. Visitado em 2010-06-2.
  2. Dicionario de Ruas: Rua Dona Veridiana

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • HOMEM, Maria Cecília Naclério. História dos Bairros de São Paulo, Higienópolis. Prefeitura do Município de São Paulo, Secretaria Municipal de Cultura

Ligações externas[editar | editar código-fonte]