Viação Campos Gerais

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A Viação Campos Gerais é a concessionária do transporte coletivo da cidade de Ponta Grossa[1] .

História[editar | editar código-fonte]

Em 1927, dois irmãos (Família Rizental) iniciaram as primeiras ações em prol do transporte coletivo de Ponta Grossa. No ano seguinte, a linha que ligava o Centro ao Bairro de Uvaranas entra em operação. Na época, a empresa chamava-se Auto Viação Pontagrossense e permaneceu com este nome até 1964, quando foi adquirida pela família Mezzomo, trocando de razão social e passando a ser conhecida como Viação Campos Gerais. Em 1984, a VCG foi adquirida pela família Gulin, que já possuía know-how na área. Naquele ano, eram 40 linhas e 60 veículos. Hoje, depois de passar por um processo licitatório de âmbito nacional, a concessionária opera com uma frota de 197 ônibus, distribuídos em 89 linhas. Diariamente são transportadas 90 mil pessoas.

Em 2013, os funcionários da empresa fizeram uma greve com paralisação total, deixando mais de 100 mil pessoas sem transporte.[2] A justiça, entretanto, em seguida concedeu liminar obrigando o sindicato a manter ao menos 70% da frota funcionando, e a Prefeitura multou a empresa em cem mil reais.[2]

Em julho do mesmo ano, foi instalada uma CPI municipal em Ponta Grossa para apurar eventuais irregularidades no contrato da empresa com o município.[1]


Terminais[editar | editar código-fonte]

A VCG possui 4 terminais integrados de Ônibus distribuídos entre Centro, e bairros (Uvaranas, Oficinas e Nova Rússia).

Frota[editar | editar código-fonte]

A VCG opera com 196 veículos, possui a idade média da sua frota como uma das mais novas do país. Substituindo sempre os Ônibus que ultrapassam a marca de 10 anos em operação. A VCG opera com ônibus convencionais, micro-ônibus e articulados.

Convencionais:

Micro-ônibus:

Articulados:

Neobus Mega BRT Sem Parar

Sistema de Cores[editar | editar código-fonte]

A VCG adota 4 cores padrões para os veículos de sua frota. Amarelo para Micro-ônibus; Laranja para Ônibus Convencionais; Verde para Ônibus Articulados; Azul para Ônibus Articulados para a Linha Sem Parar.

Sem Parar[editar | editar código-fonte]

Linha adotada inicialmente usando Ônibus Convencionais em horários de pico, ligando o terminal Centro ao terminal de Uvaranas com linha direta sem parar. Após o período de teste bem sucedido foi espalhado para os outros 3 terminais com Ônibus Articulados. Em 2013 a VCG adquiriu 3 Neobus Mega BRT nas cores azul, exclusivo para as linhas Sem Parar, usando o chassi inédito Scania K310.

Bilhetagem Eletrônica[editar | editar código-fonte]

SBE Sistema de Bilhetagem Eletrônica. Através de um cartão com créditos recarregáveis em vários pontos espalhados pela cidade, e nos próprios terminais. A passagem se optada pelo cartão é R$ 0,10 mais barata que a passagem paga no dinheiro. Estudantes pagam preço especial.

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • Consome cerca de 500 mil litros de diesel por mês;
  • Todos os materiais (pneus, vidros, óleo, entre outros) são encaminhados para a reciclagem ou destinação correta, por intermédio de empresas especializadas. Desde janeiro de 2009 conta com Central de Reciclagem de água, que recicla toda a água usada na lavagem dos ônibus;
  • Percorre todos os dias o equivalente a uma volta ao redor do Planeta Terra (cerca de 40 mil km);
  • Treina e capacita constantemente seus colaboradores para prestar serviços com qualidade. Os cursos são voltados ao relacionamento inter-pessoal e/ou específicos conforme a função exercida.
  • Sua garagem tem 5 mil m2 de área está construída em um terreno de 46 mil m2;
  • A vida útil de carros convencionais e articulados é de 10 anos e de micros e micrões 8 anos (conforme prevê a legislação municipal);
  • 197 ônibus
  • Percorre cerca de 1.200.000 km por mês
  • 1140 colaboradores, pouco mais de 1.000 atuam na área de operação
  • 89 linhas

Referências

  1. a b Câmara Municipal de Curitiba (30). Câmara de Curitiba recebe CPI do Transporte de Ponta Grossa (em português). Página visitada em 01/10/2013. Cópia arquivada em 01/10/2013.
  2. a b Ponta Grossa: greve do transporte é mantida com circulação parcial da frota (em português).