Viação Férrea Federal Leste Brasileiro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Viação Férrea Federal Leste Brasileiro
Gênero Operadora ferroviária
Destino Extinta
Fundação 1935
Sede  Brasil
Proprietário(s) União
Antecessora(s) Compagnie des Chemins de Fer Fédéraux de l'Est Brésilien
Sucessora(s) Rede Ferroviária Federal

A Viação Férrea Federal Leste Brasileiro (VFFLB) foi criada em 1935 durante o governo do presidente Getúlio Vargas, pela encampação da Compagnie des Chemins de Fer Fédéraux de l'Est Brésilien (CCFFEB), empresa de capital franco-belga que explorava as principais linhas férreas do Estado da Bahia.[1]

A VFFLB foi inicialmente formada por cinco estradas de ferro e que por fim foram unidas. Eram elas a Estrada de Ferro da Bahia ao São Francisco, Estrada de Ferro Centro-Oeste da Bahia, a Estrada de Ferro Petrolina a Teresina, Estrada de Ferro Central da Bahia (EFCBH) e a Estrada de Ferro Santo Amaro, ficando de fora a Estrada de Ferro de Ilhéus, Estrada de Ferro Bahia e Minas (EFBM) e a Estrada de Ferro de Nazaré (TRN).[2] [3]

Primórdios[editar | editar código-fonte]

O primeiro trecho de ferrovia partindo da cidade de Salvador foi construído em 1860, chegando até Alagoinhas três anos depois.[carece de fontes?]

Em 1881, foi aberto uma nova linha de Alagoinhas para Timbó, no norte do estado da Bahia.[carece de fontes?]

Na seqüência, a ferrovia atravessou a divisa com o estado de Sergipe, passando pelas cidades de Aracaju (1913)[4] e Propriá, num total de 552 quilômetros.[carece de fontes?]

Locomotivas[editar | editar código-fonte]

Em 1938 a VFFLB foi a pioneira na utilização de locomotivas diesel-elétricas, embora não implantando um amplo programa de dieselização. Suas primeiras locomotivas foram compradas junto a empresa English Electric Co., a mesma empresa que fornecerá equipamentos de tração para a RFN e a EFSJ. Foram compradas 3 locomotivas com potência de 450 HP, numeradas de 600 a 602.[carece de fontes?]

Foram adquiridas junto a Davenport Locomotive Works, dos Estados Unidos, em 1944/45, oito locomotivas, que foram numeradas de 603 a 610. Consta que todas essas locomotivas foram sucateadas a partir dos anos 60, não restando nenhum exemplar.[5]

Linhas e ramais[editar | editar código-fonte]

A VFFLB possui as seguintes linhas e ramais:[6]

Antecessoras[editar | editar código-fonte]

A VFFLB foi formada pelas ferrovias da encampada CCFFEB:[2] [3]

Sucessoras[editar | editar código-fonte]

A malha ferroviária sob controle da VFFLB, após extinta, foi transferida para:[4]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. FILHO, Alcides Goularti; QUEIROZ, Paulo Roberto Cimó. Transportes e formação regional : contribuições à história dos transportes no Brasil. Dourados: Ed. UFGD, 2011. 462p.
  2. a b BUZELIN, José Emílio de Castro H. & SETTI, João Bosco; Ferrovia Centro - Atlântica: Uma Ferrovia e Suas Raízes. Memória do Trem, 2001.
  3. a b As ferrovias da Bahia Centro-Oeste. Página visitada em 15 de julho de 2013.
  4. a b Patrimônio Ferroviário Material Sergipe IPHAN. Página visitada em 15 de julho de 2013.
  5. Locomotivas Davenport da Viação Férrea Federal Leste Brasileiro Centro-Oeste. Página visitada em 15 de julho de 2013.
  6. Estações Ferroviárias do Brasil

Ligações externas[editar | editar código-fonte]